Tenha sempre contato com pessoas mais experientes no seu mercado

O caso de empreendedorismo de hoje foi enviado por nosso leitor Cristiano Silveira, diretor executivo da i3 Tecnologia.

O caso de empreendedorismo de hoje foi enviado por nosso leitor Cristiano Silveira, diretor executivo da i3 Tecnologia.

Uma experiência que implementei na minha empresa há pouco tempo, e que tem nos dado bons retornos, foi a criação de um grupo externo, que podemos chamar de “Conselho”, ou até mesmo “External Board”. Nada mais é que um grupo de 3 pessoas que apresento e discuto com eles a viabilidade de uma ideia. Simples assim.

São profissionais, com bem mais idade, tanto de vida como de experiência profissional, que entendem de negócios, em diferentes áreas.

A importância da supervisão adulta

Supervisão adulta é fundamental em uma empresa iniciante

A escolha desses 3 para o grupo, foi baseada em perfil:

  • Um deles tem um perfil criativo, atualizado e inovador. Geralmente é ele quem visualiza a ideia implementada. É uma pessoa que já foi empresário e hoje atua como diretor de uma grande entidade empresarial da cidade.
  • Outro tem um perfil detalhista, observador, baseia a decisão sempre em cima do impacto financeiro na empresa. É um grande conhecedor de leis e empresário, com um dos maiores escritórios de contabilidade da cidade.
  • Por último e não menos importante, tem um perfil sistêmico, busca sempre a excelência pela qualidade. É diretor de uma empresa que investe muito em qualidade e a maior do seu seguimento na cidade.

O grupo não é remunerado. Simplesmente temos uma relação de confiança muito grande, construída alguns anos atrás, quando fui presidente de uma entidade de jovens empreendedores na cidade, onde 2 desses foram integrantes do Conselho. Depois, fui integrante do Supervisory Group da AIESEC Santa Maria e pude perceber o outro lado, como conselheiro, e como pode fazer a diferença uma visão externa do operacional.

A ideia de criar isso é exatamente para validar se uma ideia tem viabilidade, somando pontos de vistas diferentes, com experiências diferentes e mercados diferentes. Acredito que esse tipo de Conselho possa ser inserido em qualquer tamanho de empresa, sendo hoje um privilégio mais recorrente nas grandes, até mesmo por ser remunerado e formalizado.

Meu conselho é que você tenha alguém que conheça o mercado e possa confiar para apresentar as ideias. Lembre-se de também estar preparado para sua ideia não ser aceita ou compreendida.

Abraço e sucesso,
Cristiano Silveira dos Santos

Além desse, Cristiano já escreveu outro artigo por aqui. Confira: Empretec, o melhor curso de empreendedorismo que já fiz.

Para entrar em contato com ele, seguem seus contatos: