tendências da economia

Economia do Brasil e Mercado Financeiro: as tendências da Economia Brasileira para 2018 e como isto afeta sua empresa!

Em um mercado que muda constantemente, fica difícil para o gerente de controladoria acompanhar as informações da economia brasileira. Por isso, separamos as tendências da economia para 2018.

Em um mercado que muda constantemente, fica difícil para o gerente de controladoria ou Financeiro acompanhar as informações da economia brasileira e tomar decisões com mais agilidade. Será que é a hora da sua empresa, por exemplo, trocar de instalações? Qual é o melhor momento para comprar aquele software de gestão? É a hora de fazer uma Expansão, Aquisição ou Fusão?

Para ajudar você neste horizonte de dúvidas desenhado pelas tendências do mercado financeiro, é preciso fazer uma retrospectiva para entender o que aconteceu nos últimos anos e projetar com segurança os próximos passos da empresa. Como já dizia o pensador e filósofo Confúcio: “Se queres prever o futuro, estuda o passado”.

Por isso você, principalmente que trabalha na área de finanças e controladoria, deve ficar informado nas tendências e mudanças do mercado para o ano de 2018.

A economia brasileira em 2017

O ano de 2017 entrou carregado de expectativas pelos brasileiros, pelo fato de 2016 ter sido o auge da crise econômica no país. A retomada do crescimento econômico, mesmo em passos lentos, era algo muito esperado também pelas empresas, que em sua maioria, tiveram cortes no orçamento, redução no quadro de pessoal e restrições dos investimentos para se manterem com as portas abertas.

Com a justificativa de melhorar as contas do governo, o atual presidente Michel Temer trouxe em pauta, diversos projetos de Reforma, como: Reforma Previdenciária, Reforma Trabalhista e a Reforma Tributária, alguns já aprovados e outros em tramitação no Senado. Se as Reformas são motivos de preocupação para os funcionários, imagina para os empresários, que precisam ajustar as políticas internas, reorganizar a estrutura empresarial e o orçamento.

Uma dica para administrar melhor essas oscilações é ficar atento às mudanças, prever diversos cenários econômicos-financeiros e organizar os processos da empresa para atender as alterações das Reformas. Deixar para proceder com as adequações no último badalar dos sinos pode causar multas, problemas no Fluxo de Caixa, além de muito estresse.

Ufa! Realmente 2017 está sendo um ano que muitos profissionais da área Financeira a da Controladoria estão tendo um trabalho dobrado, buscando a redução de custos e maximização dos lucros.

Nesse cenário, o Orçamento Empresarial foi a estrela da vez, ao se tornar requisito de sobrevivência, e mais do que nunca, cruciais para ajudar as empresas a passarem por momentos de tanta instabilidade na economia do Brasil.

E como ficam as tendências do mercado financeiro em 2018

A projeção para o mercado financeiro é otimista para 2018. Especialistas da área falam em inflação controlada e crescimento econômico, com a expectativa do PIB subir cerca de 2%. Na opinião do Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, a projeção é ainda mais otimista, em seu comentário no Twitter ele afirma:

As Reformas aprovadas neste ano, também devem surtir melhorias, com a reorganização das contas públicas e a redução da burocracia.

Se os ventos sopram a favor do crescimento econômico para o próximo ano, não podemos deixar para construir o planejamento da noite para o dia.

Afinal, você já deve saber que um bom planejamento depende do envolvimento de várias áreas da empresa, de uma estrutura e modelagem financeira e orçamentária, além da aprovação da diretoria.

Separamos então alguma dicas para você preparar o planejamento financeiro e orçamentário da sua empresa para o próximo ano:

#1 – Faça uma previsão da demanda: trata-se de uma projeção, ou seja, uma antecipação da demanda tomando diversos fatores como base (como fatores mercadológico, financeiro e econômico, por exemplo). Em uma cadeia de suprimentos essa previsão é tida como essencial para as tomadas de decisões estratégicas e para elaboração do planejamento estratégico, tático e operacional da empresa. A previsão de demanda é também essencial para projetar as vendas.

#2 – Defina o Planejamento Estratégico, Tático e Operacional: é no Planejamento Estratégico, onde definimos as estratégias com foco no longo prazo da empresa. No Planejamento Estratégico a empresa precisa rever sua Missão, Visão e Valores e necessita definir as Metas e Objetivos a serem alcançados pela empresa dentro do horizonte que está sendo projetado. Já no Planejamento Tático são definidos os planos com foco no médio prazo orientado as áreas e departamentos da empresa, sendo o detalhamento com os meios para atingir os objetivos e metas da organização. Por fim, temos o Planejamento Operacional com planos bem mais focados no curto prazo, geralmente elaborados para períodos mais curtos, de 3 a 6 meses, com as definições de métodos, processos e sistemas a serem utilizados para que a organização possa alcançar os objetivos globais.

#3 – Inicie a Gestão Orçamentária: com os planos da empresa em mãos, é hora de transformar o Planejamento Estratégico, Tático e Operacional em números. Desta forma, sua empresa possuirá um plano completo de quanto precisa faturar, quais são os limites de custos e despesas que precisa respeitar, quais investimentos precisa realizar e pode acompanhar os números ao longo do ano, verificando se está caminhando para alcançar sua visão ou se precisa de algum ajuste na operação. Chamamos isto de Acompanhamento e Controle Orçamentário.

Se a sua empresa ainda não utiliza o Orçamento Empresarial (Budget) em sua gestão, confira o material completo (e-book + webinar) que preparamos para auxiliar sua empresa a dar os primeiros passos! Basta clicar nos links abaixo para fazer o download do e-book e assistir ao webinar gratuitamente.

#4 – Simule Cenários: Uma prática muito comum nas empresas é a criação de Cenários Orçamentários. Os cenários são ensaios que as empresas realizam simulando diversas possibilidades de mudanças (internas ou externas) para entender os impactos que a empresa poderia sofrer com estas mudanças. Isto possibilita a empresa uma visão mais clara do cenário atual e permite a tomada de decisão mais fundamentada e precisa. É importante destacarmos aqui que a Projeção de Cenários não tenta prever o futuro, mas sim identificar fatores (variáveis) que podem se tornar reais em longo prazo. Desta forma a empresa pode se preparar, criando planos de ações prévios para os cenários mais prováveis.

Para finalizar…

Apesar das incertezas no mercado econômico do Brasil, uma coisa é certa: a vida na área de controladoria continua atribulada não é mesmo!? Brincadeiras à parte, todo mundo sabe que tendências não são verdades absolutas, mas regem o mercado financeiro, no qual o dinheiro é rei e a especulação é rainha. Por isso, fique sempre atento aos fatos e se organize com antecedência para vivenciá-los de forma sustentável.

Gostou do conteúdo? Então continue aprendendo com nosso post sobre 12 dicas básicas para você saber como administrar seu dinheiro de maneira mais inteligente

Conteúdo produzido pela equipe Treasy!