empreendedora trabalhando para conseguir os primeiros 100 clientes

">

Rumo aos 100: Como conseguir os primeiros 100 clientes?

Deve estar se perguntando: ok, como faço para conquistar os primeiros 100 clientes? Leia até o final e confira nossas dicas!

Os primeiros 100 clientes serão, certamente, os clientes mais importantes do seu negócio. São eles que irão legitimar a sua oferta, demonstrando que há de fato um mercado para o produto/serviço que você está propondo. E é fantástico pensar que sua ideia/solução é capaz de atrair pessoas dispostas a pagar pelo seu produto ou serviço, não é mesmo?

Muitos deles irão fornecer feedback valioso para ajudá-lo a melhorar o seu produto/serviço, além de depoimentos reais e sinceros que podem alavancar sua solução para níveis muito mais altos.

Conquistar os primeiros 100 clientes pode ser uma experiência bem rica de aprendizado, mas, como todo aprendizado você certamente terá pela frente muitos desafios, estratégias que podem dar certo ou não, além de muitos momentos com 90% de transpiração e 10% de inspiração.

No início, dá muito trabalho mesmo, vão consumir toda sua energia e da equipe, mas é um aprendizado muito rico e que todos precisam passar por essa experiência. Com o tempo, você vai descobrindo atalhos, novas abordagens, entendendo ainda mais do produto e qual o melhor público a atingir.

Se você leu até aqui, deve estar se perguntando: ok, e como faço para conquistar os primeiros 100 clientes? Antes, é preciso entender que os métodos para conseguir os primeiros clientes não são super otimizados.

Para te ajudar a entender como chegar lá, leia abaixo insights do Curso Kick Start: como criar negócios campeões da plataforma AprendeAí. Quem está à frente do curso é o professor Frederico Lacerda, um dos mentores mais experientes em negócios digitais do Brasil. Leia e pratique.

1. Qual o problema real que você quer resolver?

Você teve uma boa ideia, mas precisa saber se essa ideia realmente é capaz de resolver a dor de alguém. Mas, será que o problema é de fácil percepção por seu cliente? Você precisa ajudá-lo a reconhecer que tem um problema? Se sim, como irá fazê-lo? Qual a proposta de valor de sua solução? Quais são as soluções já existentes que mais se aproximam do que você está propondo? O que o mercado acha destas soluções?

Essas são perguntas que você deve fazer com o objetivo de deixar claro que estará desenvolvendo algo realmente funcional.

2. Sua ideia é realmente útil para as pessoas?

Você já descobriu se a sua ideia pode tornar a vida das pessoas melhor e se sua solução oferece praticidade e conforto? Descobrindo isso, fica mais fácil para enxergar aonde os clientes estão e se realmente sua ideia pode ser útil para a vida dele.

Por exemplo: aplicativos como Easy Taxi e 99 Taxi fazem a conexão entre usuários e motoristas de táxi. Além de chamar um motorista, o usuário pode acompanhar o trajeto do taxista, escolher o modelo do carro, verificar as formas de pagamento aceitas e, principalmente, esperar o táxi dentro de casa ou do escritório em segurança, sem precisar ficar na rua.

Para o taxista, o uso do aplicativo significa um número maior de corridas, a otimização das rotas e um acréscimo de receita no final do mês.

Conseguiu perceber o valor que essa solução tem, além do seu propósito básico que é conectar taxistas e passageiros?

3. O público percebe o valor da sua ideia?

Há casos que essa percepção precisa ser estimulada. As maiores e mais bem-sucedidas startups do mundo surgiram a partir de produtos ou serviços que os consumidores não sabiam que queriam.

Um exemplo disso é o iPhone. As pessoas não tinham a necessidade de um celular sensível ao toque, que atualiza suas funções sem a necessidade da compra de um novo hardware. Mas passaram a desejá-lo a partir do primeiro minuto em que ele foi apresentado e hoje os smartphones se tornaram necessários nas nossas vidas.

4. Para quem você deve começar a vender?

Convenhamos: quem tem mais chances de comprar seu produto? No início da sua startup, sua rede de contatos pode ser muito importante para você validar ou vender o seu produto. Amigos, ex-professores, colegas de faculdade e parentes são potenciais clientes neste momento. Só muito cuidado para não “forçar a barra” para insistir a venda e se tornar um “mala”.

Com isso, você também terá a chance de descobrir necessidades dos potenciais clientes, possíveis customizações, pois quanto mais os clientes confiarem em você e no seu produto, mais eles vão demandar customizações.

5.Você sabe identificar e validar canais escaláveis para o seu negócio?

Você deve identificar quais os canais escaláveis que o seu negócio terá. Isso pode demandar um tempo maior do que o esperado, então comece a pensar desde já. Alguns exemplos: marketing de conteúdo, propaganda, força de vendas, recomendação.

Você pode começar com alguns canais de saída para iniciar o seu crescimento e aprendizado, como por exemplo: lista de contatos primários, emails captados em uma landing page, leitores de blog, facebook, LinkedIn, Twitter, adwords, Facebook Ads, eventos.

6. Onde estão seus leads?

Leads são aqueles potenciais clientes, que têm interesse em ouvir o que você tem a dizer, e que deram permissão para você comunicar com eles, mas ainda não compraram seu produto ou serviço. Essa lista é extremamente importante e é o que vai permitir que você comece a escalar seu negócio progressivamente.

E como construir a sua lista de emails? Podem ser pessoas que aterrissaram em sua landing page – veja mais sobre landing pages abaixo – atraídas por algum material que disponibilizou, seja nas redes sociais, em seu site, ou até mesmo contatos que você obteve em uma palestra, ou seja, sempre o lead autorizou antes a possibilidade de você se comunicar com ele.

7. Produz materiais relevantes para o seu público-alvo?

“Alimentar” os leads que você já possui ou oferecer “iscas” para atrair novos leads para sua lista pode aumentar suas chances de ser conhecido e se tornar referência. Isso faz parte do marketing de conteúdo, um componente essencial para dar mais visibilidade ao seu negócio.

Para isso, convide especialistas e realize webinars, crie ebooks, blogs, grupos em redes sociais. Aos poucos você irá se posicionar como referência no assunto. Ao oferecer um eBook com conteúdo relevante ou webinars, por exemplo, você terá a chance de captar contatos em troca do download gratuito dos materiais ou cadastro para participar do webinar.

Além disso, será possível Identificar os thought leaders do segmento, ou seja, pessoas que além de serem fontes valiosas de opiniões sobre o produto, também podem indicar o seu material educativo para outros potenciais clientes, aumentando significativamente a distribuição.

8. Você sabe da importância do co-marketing?

Já falamos acima que materiais como eBooks, webinars, são excelentes estratégias para captar os primeiros 100 clientes. Imagine você se unir com outra empresa para criar e promover estes conteúdos para atingir um público em comum?

E o melhor: oferecer este material para a própria base de fãs e seguidores do parceiro, sem cobrar por isso. É justamente o que acontece no co-marketing.

O alcance da mensagem é muito maior do que se fosse produzido somente pela sua empresa. Os contatos gerados ao baixar os materiais são compartilhados entre os parceiros e os custos de produção dos materiais são divididos, o que fica mais barato ainda. Essa é a sua chance de ganhar acesso privilegiado a uma audiência nova, que normalmente não te daria atenção.

9. Você tem um monitoramento digital?

Através de uma busca no Twitter, no Google, no Facebook, por exemplo, é possível identificar comentários relacionados ao seu produto, concorrentes e principalmente ao problema que o produto está disposto a resolver.

10. Você tem uma landing page?

Depois de tudo isso, é preciso ter uma página estruturada. Comece com uma Landing Page, que é simples, mais em conta e customizável. Há ferramentas gratuitas para você mesmo criar a sua, como Unbounce, RDStation, WordPress, entre outras.

E lembre-se: ideias não valem nada se não forem viáveis e executadas.

Gostou do conteúdo? Então não deixe de conferir nosso conteúdo sobre os 10 livros imperdíveis para quem está começando uma startup!

Frederico Lacerda é professor do novo curso Kick Start: criando negócios campeões da plataforma AprendeAí. É co-fundador da primeira aceleradora de negócios digitais do Brasil e responsável pela seleção de centenas de startups digitais brasileiras.