Qual o preço psicológico do empreendedorismo?

Todos os anos, cerca de 50 milhões de novas empresas são inauguradas ao redor do mundo. A pressão para alcançar o sucesso e o estresse para evitar falhas são tão grandes que acabam se estendendo para além da sala de trabalho.

É verdade que empreender pode ser o caminho para transformar sonhos em realidade. E a realidade é que ninguém nunca disse que a construção do próprio negócio seria uma tarefa fácil.

Porém, poucas pessoas analisam o preço psicológico do empreendedorismo. Poucos avaliam como essa rotina de longas horas de trabalho, seguidas de dificuldades emocionais e preocupações mentais, podem afetar a vida do empreendedor.

Chegou a hora de falar de uma maneira mais aprofundada sobre essa montanha russa de sentimentos que pode ser a jornada empreendedora. Vamos lá!

Solidão ao enfrentar dificuldades

Começar um empreendimento significa que, muitas vezes, você vai passar por momentos de pressão e dificuldades sozinho. Você não quer levar o estresse para casa, como um bom gestor não quer alarmar os colaboradores e, certamente, não quer criar incerteza entre os investidores.

Logo, você segura essa barra por conta própria e não consegue afastar a preocupação com os dias que estão por vir. Por mais que pareça que os empresários devem enfrentar o estresse e a incerteza desamparados, as coisas não são bem assim.

Começar um negócio é sinônimo de hard work e capacidade de resolução de problemas. Contudo, é possível — e saudável — encontrar alguém com quem você possa dividir suas aflições.

Solução

O melhor recurso é encontrar um terceiro “desinteressado”, como um mentor, um confidente ou até mesmo um coaching ou terapeuta. Ou seja,** alguém em quem você possa confiar e que seja um conselheiro imparcial.** Essa pessoa vai ajudá-lo a aliviar o estresse sem causar impactos negativos no seu negócio.

Longas horas de trabalho com poucos momentos de descanso

É bastante comum que, principalmente nos primeiros anos de um negócio, o empreendedor se dedique por longos períodos às questões que envolvem o trabalho.

Por mais que muitas vezes todo esse esforço possa ser notado em resultados positivos, o corpo acaba sentindo as consequências e demonstra sinais de que algo já não vai tão bem.

Frequentemente o sono já não é mais reparador e a produtividade cai drasticamente. Por conta disso, muitos tentam recuperar a produtividade trabalhando ainda mais horas.

A resposta, além de física, também aparece no âmbito emocional, mental e até financeiro. Doenças surgem, contas deixam de ser pagas e a ansiedade passa a bater na porta.

Para muitos, ser empreendedor é ser um herói, por lutar todos os dias por algo que acredita.** Entretanto, poucos enxergam os sentimentos reprimidos que antecedem o sucesso. **

Solução

**Com a intenção de que a pressão do negócio próprio não vire um pesadelo, é preciso que os empresários saibam falar abertamente sobre os momentos em que tudo parece desabar. **Admitir que o caminho tem dificuldades é um sinal de força.

Também é fundamental saber encontrar períodos onde o cérebro não esteja pensando só no trabalho. Uma boa dica é aprender a focar no momento presente e perceber que a ansiedade nada mais é do que a preocupação com o futuro, com o que ainda nem aconteceu.

Se você estiver em uma reunião familiar, tente perceber as expressões nos rostos das pessoas que você ama. Se estiver em uma viagem, busque reparar em todos os ricos detalhes da natureza e das cidades.

Certamente essa técnica vai ajudar você a saber identificar seus momentos de lazer e deixará seu pensamento mais ativo para as horas de trabalho.

Dificuldade em encontrar equilíbrio entre trabalho e família

Para um empreendedor, dificilmente os problemas acabam quando o relógio marca as 18h. Pelo contrário, para muitos a rotina de trabalho segue 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Essa atividade mental constante pode acabar causando dificuldades nos relacionamentos familiares e amorosos. No universo dos negócios próprios não é novidade ver relatos de casos de desequilíbrio entre a vida social e o trabalho.

Solução

Muitos empreendedores que enfrentam a falência podem se perder no caminho por considerarem seus negócios como a coisa mais importante do mundo. Entretanto, mesmo que nada ande como o planejado, seus filhos ainda os amam, seus cônjuges ainda os amam. Seus cachorros ainda os amam.

Por mais centrados que os empresários possam estar, a família e os amigos serão sempre uma poderosa arma contra a depressão, a sensação de fracasso e a falta de identidade fora do trabalho.

Em razão disso, é essencial evitar que os negócios interrompam suas conexões mais sinceras com outros seres humanos. Portanto, busque cuidar dos seus relacionamentos reservando um tempo de qualidade ao lado dos seus amigos e parceira(o).

O fato de abrir seus sentimentos de forma honesta e também saber escutar as pessoas ajuda você a promover ligações mais profundas com aqueles que fazem parte da sua vida.

Constante sentimento de estar sobrecarregado

São várias as tensões que os empreendedores passam no dia a dia. Seja a possibilidade de um novo investimento, a relação com os funcionários ou ainda a pressão do mercado.

Tudo isso gera uma sensação de estar constantemente sobrecarregado. Parece que existem mais coisas a resolver do que o tempo disponível para isso. Nesse contexto, a autocobrança do empreendedor fica ainda maior.

Solução

**A saída nesses casos é saber manter as coisas em perspectiva. **Quando progredir parece extremamente difícil, olhe para trás e veja toda a evolução até o momento atual. Ao mesmo tempo, divida suas tarefas em pequenos passos e procure estar sempre progredindo, independentemente da velocidade.

Revise seu modelo de negócios, suas projeções para os próximos anos, suas metas, seus pontos de dor e as possíveis soluções inovadoras que podem vir à tona nessas situações. Busque alinhar suas metas com a realidade do que pode ser feito, e não com um cenário perfeito de conto de fadas.

Se por um lado, durante a jornada de construção de um negócio é praticamente impossível fugir dos momentos de dedicação extra, por outro também é muito importante manter intervalos de descanso e períodos de sanidade e diversão.

**Para que não seja preciso pagar o preço psicológico do empreendedorismo, os novos empresários devem refletir sobre seus hábitos. **Somente dessa forma é possível construir uma cultura de trabalho saudável para si e para os demais envolvidos no processo.

**Acreditar na força do empreendedorismo é algo que pode beneficiar um país inteiro, mas para que isso se torne realidade, quem está por trás dos negócios deve saber também cuidar de si mesmo. **

E você, gostou desse conteúdo? Confira agora motivos para não desistir da sua missão empreendedora mesmo se sua trajetória inicial for embaraçosa!

comments powered by Disqus