25 perguntas de entrevista que vão surpreender seus candidatos!

Elaborar perguntas de entrevista que sejam criativas e fora da caixa não é uma tarefa fácil. Muitos empreendedores e recrutadores ainda se prendem a ideia de que um processo de seleção precisa ser pautado em perguntas sérias e enigmáticas para conhecer bem o candidato.

O fato é que já faz um tempo que muitas empresas estão mudando essa visão, mostrando que não basta avaliar tecnicamente os seus candidatos.** Mas também verificar a sua autenticidade e criatividade.**

Afinal, essas e outras, são características muito importantes nos dias de hoje para que qualquer profissional consiga lidar com a dinâmica do mercado de trabalho.

Para você entender melhor do que estamos falando, preparamos esse conteúdo com alguns exemplos sobre perguntas criativas e também dicas de como conduzir uma boa entrevista de emprego. Quer saber mais? Então, continue acompanhando a leitura conosco!

Quais são as 25 perguntas de entrevista criativas e que realmente funcionam?

Para que você possa ter ideias em como elaborar as perguntas certas para as entrevistas do negócio, vamos apresentar diversas opções de como elas podem ser elaboradas, baseadas em exemplos reais.

Então, preparamos aqui algumas listas com as perguntas utilizadas em grandes empresas americanas. Algumas são um pouco difíceis, com o objetivo de pôr o candidato à prova. Por fim, listamos outras que visam avaliar o aspecto comportamental, que também é algo importante.

Confira abaixo essas 3 listas:

Perguntas feitas por empresas americanas

Essa primeira lista contém perguntas feitas por grandes empresas, tal como Google, Kraft Foods, Facebook, Dell, dentre outras gigantes que contam com um processo de seleção  eficiente.

A ideia desses negócios é buscar entender, por meio da simplicidade, qual é o jogo de cintura do profissional, bem como o seu raciocínio lógico e a sua criatividade. Perceba como elas fogem de algo tradicional:

  1. Quantas vacas existem no Canadá? — Google;
  2. Quantas moedas de 25 centavos seriam necessárias para alcançar o topo do Empire State? — JetBlue;
  3. Se eu fosse jantar na sua casa, o que você prepararia para mim? — Trader;
  4. Se eu tivesse uma viagem de férias marcada, qual lugar você me recomendaria? — PricewaterhouseCoopers;
  5. Quantos iPhones cabem em um ônibus? — Facebook;
  6. Qual utensílio de cozinha você seria? E qual gostaria de ser? — Bandwidth.com;
  7. Estime quantas janelas existem na cidade de Nova York.— Bain & Company;
  8. O relógio está marcando 11h50. Qual é o ângulo de dois dos seus ponteiros? — Bank of America;
  9. Como você passaria instruções para alguém fazer um omelete? — PETCO;
  10. Se fosse para avaliar de 1 a 10, como seria a sua avaliação em relação ao entrevistador? — Kraft Foods;
  11. Como você armazenaria 1 milhão de números telefônicos? — Google;
  12. Se você tivesse acesso a todos os dados do Facebook, o que faria com eles? — Facebook;
  13. Se você pudesse eliminar um estado dos Estados Unidos, qual seria e por quê? — Forrester Research;
  14. Você é o capitão de um navio pirata e os seus companheiros farão uma votação para definir como o ouro obtido será dividido entre todos. Se menos da metade dos piratas concordar com sua proposta, você será morto. Então, como você recomendaria um meio para dividir o ouro de forma a ganhar uma boa recompensa mas ao mesmo tempo sobreviver? — Google.

É claro que essas perguntas são apenas alguns exemplos e você não precisa utilizá-las exatamente no contexto que foram apresentadas.

Mas por que fazer perguntas tão  inusitadas?

O importante é entender como elas contribuem para identificar as características e os potenciais de cada candidato, principalmente no que diz respeito ao seu raciocínio lógico, liderança, planejamento, execução, dentre outras competências que são interessantes serem avaliadas.

Perguntas difíceis

Nem só de perguntas confortáveis um processo seletivo é feito. **É preciso entender como o candidato se comporta em situações adversas, e até algumas que são extremas. **Principalmente quando este se encontra em uma posição desconfortável e precisa tomar uma decisão em relação a isso.

Veja só alguns exemplos que destacamos e que conseguem extrair essa questão:

  1. Quantas ideias você consegue ter em 3 minutos?
  2. Se você pudesse mudar algo no passado, o que mudaria?
  3. Imagine você convencendo o conselho de administração da empresa a me demitir para lhe contratar, o que você falaria?
  4. A vaga que você está se aplicando não lhe parece muito júnior?
  5. Há alguma pergunta que você não quer que eu faça?

Perceba que essas perguntas, apesar de serem mais difíceis, possuem como objetivo avaliar a criatividade do candidato, bem como entender quais são as suas fraquezas e os seus medos. Além disso, há uma grande possibilidade do jogo virar e o candidato exercitar o seu marketing pessoal, mostrando que é a melhor pessoa para ocupar a vaga.

Perguntas comportamentais

Quando falamos em perguntas comportamentais, muitos pensam naquelas que são as mais básicas e que estamos acostumados a ver nos processos seletivos tradicionais. Mas, saiba que é possível sim levar a criatividade também para esse tipo de avaliação.

Não se esqueça que, além da inteligência, é preciso avaliar também a personalidade dos candidatos para entender se a pessoa é ideal para ocupar a vaga. No sentido de possuir os valores da empresa e ter condições de trabalhar ali, no que diz respeito ao relacionamento e a convivência com os seus futuros colegas de trabalho.

Segue a lista que preparamos:

  1. Você poderia me descrever o seu chefe anterior?
  2. Você já precisou concordar com alguma decisão contra a sua vontade? Por que você concordou?
  3. Se você fosse demitido após 1 mês de contratado. Por qual motivo você acha que seria demitido?
  4. O que os seus amigos e ex-colegas de trabalho falariam de você?
  5. Conte como você lidou com um conflito entre os seus colegas de trabalho no passado.
  6. Você já teve que lidar com um problema pessoal durante o expediente? Conte-nos como foi.

Perceba que essas perguntas ajudam a entender diversos aspectos comportamentais, dentre eles o quanto a pessoa “fala pelas costas” dos seus superiores e até dos seus ex-colegas de trabalho. Além disso, mostra como ela lida e aceita fatos que podem deixá-la descontente e também o quanto ela sabe separar o lado profissional do pessoal.

Por fim, é possível entender o quanto o candidato sabe lidar com pessoas, o quanto é flexível em entender diversas opiniões e contribui para que o ambiente de trabalho seja o melhor possível.

Como conduzir bem uma entrevista?

Agora que você já tem uma boa noção das perguntas de entrevista que podem ser incluídas no seu processo seletivo, é preciso pensar um pouco mais além: como conduzir bem a entrevista, de modo que, ela seja a melhor possível?

Afinal, de nada adianta ter boas perguntas se elas não são bem aplicadas. É preciso construir um fluxo bom para que essa atividade seja uma experiência marcante, tanto para a empresa, quanto para o candidato.

Preparamos, então, algumas dicas para lhe ajudar nesse desafio, ok? Veja quais são elas:

Invista em uma boa preparação

Preparação é algo essencial para qualquer atividade profissional, para uma entrevista de emprego isso não é diferente. Então, busque, em primeiro lugar, entender como será esse processo, organize quanto tempo será preciso para fazer as perguntas e obter as respostas, bem como selecione quais delas serão feitas.

**A partir do momento que esse fluxo for criado na sua cabeça, tudo ficará mais fácil. **Principalmente na questão de saber lidar com a entrevista no momento em que ela estará ocorrendo.

Uma sugestão que pode ajudar muito, é treinar com outro colaborador da empresa, a fim de entender possíveis falhas para que no momento da entrevista seja possível garantir que nada saia fora do seu controle.

Tire o candidato da zona de conforto

Ao longo da entrevista, você pode identificar alguns comportamentos que estejam deixando o entrevistado mais confortável no momento. Podemos tomar como por exemplo: o entrevistado pode se alongar muito nas suas respostas para trazer segurança para si mesmo. Então o mais indicado é desafiá-lo a responder as próximas perguntas com poucas palavras.

Independente se o candidato se demonstrar ser mais tímido ou um pouco mais confiante, a ideia é avaliar como ele se comporta fora da sua zona de conforto.

Afinal, sabemos que é bem provável que situações que provoquem isso no seu dia a dia de trabalho surjam. É preciso saber se ele tem potencial para enfrentar esse desafio.

Leve outro colaborador para a entrevista

Quando achar necessário, leve outro colaborador para participar da entrevista também. Isso ajudará tanto na questão de conseguir extrair um segundo ponto de vista de percepção sobre o candidato, quanto na contribuição de também entender como ele se porta na entrevista com alguém que ele possa trabalhar junto no futuro.

**De preferência leve alguém que não tenha um cargo elevado. **Visto que a postura das pessoas geralmente muda quando está de frente com um diretor ou coordenador, por exemplo. Deixe que esse colaborador também faça perguntas e ajude-o a conduzir a entrevista da melhor forma possível.

Peça um feedback

Ao fim da entrevista peça um feedback da entrevista e do entrevistador. Saiba que isso pode gerar informações valiosas para as futuras entrevistas. Principalmente para entender quais pontos foram muito bons e quais precisam ser corrigidos nas próximas entrevistas.

*Além do feedback imediato, envie também um questionário online, por email. *Afinal, nem todo mundo se sente confortável com esse tipo de prática pessoalmente, principalmente quando está querendo passar uma boa impressão para a outra pessoa.

Utilize a tecnologia para tornar o processo mais dinâmico

Por fim, a nossa última dica é adotar a tecnologia para tornar o processo mais dinâmico. Dentre as diversas possibilidades que existem, destacamos a utilização das plataformas de chamada de áudio e vídeo para fazer as entrevistas de forma remota.

Esse tipo de recurso ajuda também a poupar qualquer tempo de deslocamento do candidato, bem como oferece a possibilidade de alguém que não esteja perto geograficamente participar do seu processo de seleção, o que abre margem para ter mais opções de futuros colaboradores.

Além disso, na própria entrevista presencial pode-se utilizar de alguns recursos baseados na tecnologia, tal como a adoção de um quiz para que o candidato possa responder perguntas de forma rápida naquele momento. Pode não parecer, mas isso torna o processo mais leve e descontraído.

Esperamos que com esse conteúdo seja possível elaborar as melhores perguntas de entrevista, que se encaixem perfeitamente no processo de seleção do seu negócio.

**O que acha agora de baixar o nosso eBook que lhe ajudará a entender **Como usar a tecnologia a favor do seu processo de contratação.

comments powered by Disqus