Os problemas de excesso de dinheiro em uma empresa nascente

Os problemas de excesso de dinheiro em uma empresa nascente

Dizem por aí que tudo em excesso pode fazer mal, mas não é normal ouvir que dinheiro é um dos casos. Mal planejamento ou mesmo falta de estrutura em algumas áreas pode fazer com que uma grande injeção de capital (o que tem tudo pra ser algo muito bom) possa se tornar um risco para a sobrevivência da empresa.

Dizem por aí que tudo em excesso pode fazer mal, mas não é normal ouvir que dinheiro é um dos casos. Mal planejamento ou mesmo falta de estrutura em algumas áreas pode fazer com que uma grande injeção de capital (o que tem tudo pra ser algo muito bom) possa se tornar um risco para a sobrevivência da empresa.

Temos basicamente dois tipos de empresas nascentes (startups):
1- as que vão crescendo organicamente, aos pouquinho e, muitas delas, usando o modelo empreendedor alça-de-bota;
2- tipo relâmpago, porque recebem uma grande injeção de capital externo para que possam crescer mais rápido no mercado.

Os empreendedores alça-de-bota (tipo 1), apesar de crescerem mais lentamente, conseguem sincronizar o crescimento dos 4 principais elementos no começo (faturamento, pessoas, relações públicas e qualidade), fazendo com que nada cresça sem existir uma demanda real, já que os esforços e investimentos são bastante limitados. Além disso, por terem esse passo mais lento também garantem a continuidade da cultura e dos valores que caracterizam a empresa e o valor entregue aos clientes.

Já as empresas relâmpago (tipo 2), quando recebem esse capital, devido à euforia (e talvez excesso de confiança) normalmente não conseguem planejar como usar esse dinheiro e, por isso, podem entrar em um dos 3 casos abaixo:

a) Excesso de investimento em Relações Públicas(RP)/Propaganda
O erro mais comum é no tempo, pois provavelmente a qualidade do produto não irá acompanhar um grande crescimento de exposição. A questão é, dependendo do produto, você pode acabar com a confiança de todos clientes que, em outro caso, espalhariam seu produto (nota: não confundam qualidade suficiente com detalhismo excessivo – ainda somos pró-testes com clientes).

b) Excesso de investimentos em Contratação de Pessoas
Imagine que sua demanda cresceu graças a bons investimentos em RP e, por isso, resolveu contratar imediatamente muitos funcionários. Faz todo sentido, porém você precisará de funcionários que deem conta de grandes responsabilidades e, nesse caso, é impossível passar cultura e valores em tempo hábil para que as boas características do seu produto sejam mantidas. Contrate na velocidade que as pessoas conseguem aprender.

c) Faturamento com crescimento muito alto
Problema? Pode ser se você não tiver capacidade de contratar na mesma velocidade, caso contrário você terá grandes perdas em serviço ao consumidor ou mesmo excessiva carga de trabalho dos funcionários que estão com você. Não seja ingênuo, 10 pessoas fazem o trabalho de 15 ou 20, mas não de 40 ou 50.

Soluções para esses casos não são mágica, mas sim trabalho: existem inúmeras ferramentas para que você possa planejar muito bem uma possível injeção de capital e aí saber como investir.
Por aqui você pôde conhecer algumas das consequências mais comuns dessa falta de planejamento e, assim, se precaver contra alguns riscos, ao invés de simplesmente gastar o dinheiro porque você o tem.

Abraços,
Luiz Piovesana (pelo dinheiro aos que sabem onde gastar)

p.S.: Agradecimento a Emanuel Bezerra, que além de grande amigo e leitor, também nos indicou o tema.