Os mitos sobre o Plano de Negócios

Os mitos sobre o Plano de Negócios

Um tipo de fantasma que ronda alguns empreendedores é o famoso plano de negócios (Business Plan para os íntimos). Vamos esclarecer alguns mitos sobre esse nosso amigo.

Um tipo de fantasma que ronda alguns empreendedores é o famoso plano de negócios (Business Plan para os íntimos). Vamos esclarecer alguns mitos sobre esse nosso amigo.

  1. O plano de negócios serve só para mostrar para investidores ou incubadoras
    Escrever que a estimativa conservadora prevê que você lucrará 10 milhões no primeiro ano não fará o investidor te dar um abraço e aceitar na hora seu pedido. O plano de negócios serve para você definir quem você é, pra que serve, o que te faz especial e como alcançar seu objetivo. Não perca o tempo de seu leitor fazendo um plano “para inglês ver”. Escreva pela razão correta: se planejar.
  2. Quanto mais detalhado o plano, melhor ele será
    Depois de 20 páginas, cada 10 páginas de plano aumentam em 25% a chance de seu plano não ser lido. O plano não vai fechar nenhum negócio e sim conseguir o interesse do investidor. Interessado, ele vai analisar sua ideia, pesquisar o mercado e ver se o que você está falando é verdade. Não perca o tempo de seu leitor enchendo-o de informação, mostre apenas o que é vital para que ele se interesse em pesquisar sobre a ideia.
  3. A primeira coisa a ser feita em uma empresa é o plano de negócios
    Essa é uma ótima forma de garantir que o plano de negócios seja ruim. Monte uma apresentação que explique o que é a sua empresa. Converse com as pessoas, entenda o que elas acham da sua ideia, descubra o que os clientes querem e só depois escreva o plano. Uma apresentação é muito mais fácil de alterar do que um documento de 20 páginas. Não perca o tempo do seu leitor, deixe o plano para depois que a ideia já estiver bem maturada.
  4. É necessário ter uma meta otimista e uma pessimista
    Se você não alcançar uma meta mostra ou que seu plano estava errado ou que você não o executou corretamente. Alcançar uma meta pessimista mas não atingir a meta otimista significa que você não teve coragem para definir uma meta verdadeira. Não perca o tempo do seu leitor, mostre aonde você quer chegar e o que você fará para alcançar isso.
  5. O plano de negócios é aplicado totalmente na prática
    O plano serve para te guiar, mas não é a verdade absoluta. No momento de planejar, é preciso assumir algumas coisas como verdade, se na prática você descobrir que essas coisas não são verdade, não tem motivo para não se adaptar. Não perca o tempo do seu leitor se você é um cabeça-dura.
  6. As projeções financeiras precisam ser extremamente detalhadas
    O importante é entender quais são os fatores que te farão vender mais e onde você gastará esse dinheiro. Planejar quanto será gasto com canetas não te fará parecer mais inteligente. Não perca o tempo de seu leitor mostrando números detalhados e que todos sabem que são chutados. Mostre as premissas que você está levando em conta para chegar naqueles números e isso mostrará muito mais se a estimativa faz sentido do que os números em si.
  7. A descrição do produto é a parte mais importante do plano
    Errado. O sumário executivo é a parte mais importante do plano (é a primeira que vai ser lida), deve ser escrito por último e ter no máximo 2 páginas. Seus elementos são:

Quem tiver alguma experiência (boa ou não) com o plano de negócios, por favor sinta-se a vontade para compartilhar a história.

Se você já estiver começando o seu, mas precisa de maiores orientações, recomendamos a nossa metodologia para elaboração de plano de negócios.

Abraços!
Millor Machado (fazendo as pessoas não perderem tempo próprio nem o dos outros)

Obs.: Baseado em artigos de Guy Kawasaki.