Os 2 grandes benefícios de uma marca devidamente registrada no INPIKyodai Engenharia.

">

Os 2 grandes benefícios de uma marca devidamente registrada no INPI

Por que registrar sua marca no INPI? Entenda aqui os 2 grandes benefícios e como isso pode ajudar nos negócios

Depois de pouco menos de 3 anos no processo de registro, desde março de 2014 podemos falar: Empreendemia é uma marca registrada!

Marca registrada

Uhuuu! Empreendemia®

Com isso você pode pensar: “nossa, 3 anos?! Então deve ter dado trabalho e dor de cabeça!”. Mas pra nós (Empreendemia) o trabalho e dores de cabeça foram zero, já que todo o processo foi fantasticamente gerenciado pelo pessoal da Leal Marcas e Patentes.

Inclusive, na época que demos entrada no processo de registro da marca, nós publicamos este artigo dando as dicas práticas sobre como registrar marca no INPI (instituto Nacional de Propriedade Industrial).

Além desse artigo, o pessoal da Leal também produziu um ebook MUITO bacana, com informações mais completas sobre como registrar uma marca. Veja mais sobre ele aqui.

Marca registrada. E agora?

Falamos muito sobre como criar uma boa experiência com o seu cliente e que essa é a verdadeira construção de marca.

Ao mesmo tempo, para diversos casos, ter a marca devidamente registrada no órgão competente é um dos itens essenciais não só para que a experiência oferecida ao seu cliente seja impecável, mas também para criar valor ao seu negócio.

Na prática, isso pode ser traduzido em dois benefícios principais que você pode ter através da marca registrada:

1- Geração de receitas (licenciamento, franquia ou venda)

O registro torna sua marca algo tangível, algo com um valor financeiro, o que abre algumas opções de exploração comercial.

A primeira e mais clara é a venda da marca. Você pode vender sua empresa e, caso tenha uma marca valorizada e devidamente registrada, com certeza o valor da marca pode fazer uma boa diferença para cima no valor negociado – como comentei acima, a marca vem carregada com a experiência que se entrega ao cliente.

Também é possível vender a marca sem vender o negócio, mas com certeza esses são casos mais raros e não tão comuns entre micro e pequenos empresários.

A segunda possibilidade é o licenciamento da marca. Como, nesse caso, você continua sendo seu proprietário (e usuário), normalmente licenciamentos de marca ocorrem por distribuição geográfica – por exemplo, a sua marca X é bem estabelecida em São Paulo e você a licencia para uma parceiro no Rio de janeiro, que também a explorará, mas somente nessa cidade.

Podemos considerar o sistema de franquia como uma espécie de licenciamento de marca – a diferença é que cada franquia estabelece não só o uso da marca, mas muitas vezes os processos internos, divulgação e até os fornecedores principais.

2- Proteção

Se o seu negócio prospera e a sua marca passa a ser um símbolo de qualidade e boa experiência ao cliente, você se torna um alvo de potenciais cópias (pirataria) ou até mal uso.

Antes de ter o registro oficial da marca, caso um desses problemas ocorresse, seria preciso um processo longo e custoso para provar que a marca pertence à sua empresa.

Com o registro pronto, esse tipo de controle e proteção fica muito mais tranquilo: você tem a principal prova de que a marca é sua. Legalmente falando, não há uma opção melhor, mais rápida ou mais segura.

Caso você pense em gerar receitas com a sua marca ou mesmo ter a melhor proteção, é preciso se planejar para isso, já que o processo de registro de marca é naturalmente demorado. Sendo assim, a recomendação é entrar com o pedido de registro o quanto antes.

Como nós utilizamos e aprovamos o serviço, nossa recomendação de escritório de registro de marcas e patentes é o pessoal da Leal Marcas e Patentes. Eles são a referencia em registro de marcas pela internet, já que oferecem um atendimento diferenciado independente da sua localização.

Para falar com eles, é só clicar aqui.

Abraços,
Luiz Piovesana (Empreendemia®, um ativo protegido da Empreendemia)