O dia-a-dia dentro de uma equipe de projeto

O dia-a-dia dentro de uma equipe de projeto

Ter uma empresa realmente não é fácil. Cabe a cada fundador fazer desde a limpeza do vaso sanitário até o planejamento estratégico da empresa.

Ter uma empresa realmente não é fácil. Cabe a cada fundador fazer desde a limpeza do vaso sanitário até o planejamento estratégico da empresa.

Eu e meus colegas de trabalho, felizmente, temos aptidões bem diferentes e temos uma divisão bastante clara de nossas tarefas. Geralmente eu cuido de toda a empresa, meus sócios limpam a privada e o estagiário traz o café.

Na verdade, meu principal papel na empresa é o desenvolvimento, desde programação até o design de interfaces, uma mistura que já não é muito trivial. Isso sem contar das tarefas paralelas e os terríveis pepinos diários de um empreendedor.

O que faço para não perder minha sanidade mental?

Criar confiança no time é fundamental

Estabeleça uma rotina diária

Eu particularmente odeio rotinas, mas é um mal necessário, pois nos ajuda a manter a disciplina com os horários. O dia fica menos bagunçado e fica mais fácil planejar o dia.

Horários de descanso também devem ser programados. Alongamentos ajudam a desestressar e são saudáveis. Atividades físicas e entretenimento ajudam tanto a relaxar quanto a resolver pepinos – já tive vários insights enquanto jogava Wii.

Atropelar horário de almoço, de saída e de sono só vão diminuir seu rendimento. Os problemas vão ficar martelando o dia inteiro no seu cocoruto e seus neurônios vão pedir arrego.

Paciência com seus sócios

Sócio é pior que mãe, acha que a gente é feito de ouro e tem super poderes. Pior ainda, acham que você tem 10 braços e que seu cérebro pode processar 64 tarefas paralelamente. Nosso email não pára, nossas bocas não calam e nossos ouvidos são um verdadeiro absorvedor de informações. Nosso escritório é frenético, o inferno sobre a Terra, um noticiário de tragédias. Se eu der bola para metade dos problemas com que meus s´ocios aparecem nessas conversas, eu estaria apodrecendo num manicômio. Há coisas que eles estão certos, a se discutir, a se adiar e coisas a se ignorar.

Nossa equipe briga todo dia. Mas por mais que alguém saia de olho roxo, sabemos levar as coisas pro lado profissional e, no final da tarde, estamos todos juntos tomando cervejinha.

Agendando e priorizando tarefas

Em nosso site, temos um sistema de feedback e reporte de erros para os próprios usuários reportarem. O interessante é que as pessoas usam e acabam encontrando problemas que muitas vezes a gente não repara.

Não pense que problemas aparecem em horários programados. Os pepinos sempre aparecem em safras, aos montes, e é preciso saber priorizá-los. A maneira que escolhemos priorizar as tarefas é resolver aquilo que os usuários se incomodam mais e segurança do sistema, em menor tempo possível.

Existem diversas metodologias de gerenciamento de projetos que ajudam a priorizar as tarefas e cumpri-las, como o Extreme Programming (XP) e SCRUM (este último aplicável a várias situações, não apenas para programação).

Saiba ficar surdo temporariamente

Meus sócios muitas vezes vem me cobrando coisas que eles consideram alta prioridade, mas que para mim é besteira e tenho coisas mais importantes a fazer. É aí que aperto o botão “mute” e faço o que devo fazer.

Só não pode esquecer-se de lembrar depois. A melhor coisa é anotar as tarefas em algum canto, para não deixá-las empoeirando.

Brincadeiras, zoeiras e conversas são divertidas. Eu sou um sujeito bem descontraído, mas também preciso de concentração. E minha equipe de trabalho é barulhenta demais! Tenho um sócio com um terrível gosto musical que me dá vontade de arrancar meus tímpanos fora. Nesses momentos um fone de ouvido e uma música de seu gosto resolvem o problema.

Conclusão

Não vá abraçando cada problema que aparece. Organize as ideias. Não importa se é de seu sócio, seu chefe, seu cachorro ou seu cliente, você deve ser capaz de administrar as atividades que te passam dentro do seu ritmo e tempo.

Esse é o tipo de habilidade que se aprende de verdade na prática, mas ter um bom conhecimento sobre técnicas de gestão pode facilitar muito.

Nessa área, vale a pena conferir a Graduação Executiva em Processos Gerenciais da Anhembi Morumbi, que conta com professores experientes e inseridos no mercado.

O mais legal desse curso, além da flexibilidade na escolha das matérias, é o fato de ser focado em pessoas já com certa experiência no mercado (turmas exclusivas para pessoas acima de 24 anos), o que permite um grande networking e o surgimento de oportunidades.

Se você tem interesse em investir na sua educação, veja mais informações sobre a Graduação Executiva. Ela conta com grande flexibilidade de horário, o que te possibilita montar seu horário de acordo com sua agenda e capacidade financeira.

Abraços,
Mauro Ribeiro (a favor de equipes mais produtivas)

P.S.: Esse post foi patrocinado pela Anhembi Morumbi, o que não altera o seu conteúdo. Confira nossa forma de trabalhar com posts patrocinados no artigo Conteúdo útil para empreendedores em primeiro lugar.

  • Parabéns Mauro, adorei o post e me identifiquei em vários pontos positivos e negativos.
    O que vai ajudar a trabalhar e aprimorar mais cada um deles 😉

  • Roberto

    Mauro, comecem a pensar em colocar no início que o post é patrocinado. Se não, ao final, pode parecer que fomos conduzidos (e fomos) na leitura para adquirir a fonte do patrocínio. No início seria mais honesto com o leitor.

    • Anônimo

      Oi Roberto, tudo bem?

      Estamos analisando ainda a melhor forma de sinalizar que um post foi
      patrocinado. Obrigado pelo comentário.

      Lamento pelo fato de você achar que foi conduzido ao patrocínio. Mas
      gostaria de saber: o conteúdo do post não foi útil para você?
      Pergunto isso, pois este é um post que escreveríamos (na verdade, já até
      estava pronto) mesmo que não tivessemos o patrocínio referido.

      O post que linkamos no final sobre como lidamos com posts patrocinados
      explica bem melhor nossa política, mas, claro, ainda estamos vendo como
      nossos leitores reagem a isso.

      Abraços,
      Luiz

    • Uma boa idéia de mostrar que um post é patrocinado é usado no site Mashable, eles colocam o logotipo da empresa que está patrocinando o post logo na parte superior, vale a pena dar uma olhadinha.

    • Alisson Godoi

      Ou se separa o conteúdo da matéria do patronício, transformando em uma propaganda,
      ou indique que a matéria tem patrocínio.
      Quando lemos um texto temos a expectativa de assimilar o conteúdo sem ser induzido. Uma maneira sutil de fazer tal ptrocínio por exemplo seria associar o autor da matéria a patrocinadora (como ex-aluno da faculdade em questao).
      Por exemplo, nesse caso, sabemos que a Anhembi Morumbi pode ser uma excelente faculdade para ensinar gerenciamento, mas provável que nao esteja na lista das melhores do mundo. Quando assimilamos um conteúdo, estamos buscando o que há de melhor. Com certeza não deixaria de fazer Anhembi Morumbi, mas preferiria me espelhar no exemplo de um expert da área. Se voce me diz para ler uma matéria de um professor da Anhembi que ajudou a escrever o PMP, ou representa a faculdade no IEEE, seria outra história.
      Abraços. Espero que essa crítica seja construtiva!

    • Jonas

      Tive o mesmo ponto de vista. Obrigado