storytelling

Storytelling: No plano de negócios, saiba contar histórias!

Como o Plano de negócios deve ser encaixado dentro de um contexto maior

O poder de uma marca ao se relacionar com um cliente é algo muito cobiçado pelo mercado.

E não é de hoje que as empresas precisam criar estratégias para se aproximar do seu público-alvo. O Storytelling é uma dessas formas!

O recurso de contar histórias já é um velho conhecido, mas nunca esteve tão em alta.

Neste post nós vamos te mostrar como usar o Storytelling a favor do seu negócio e assim, contar histórias que aumentarão as suas vendas.

Antes de aprender como usar essa estratégia, você precisa entender o que ela significa.

O que é Storytelling afinal?

Nada mais é do que contar histórias relevantes. Quando associada a uma estratégia de marketing, storytelling passa a não ser apenas a ação de contar uma boa história mas também passa a ser uma forma de aproximar o cliente da própria marca.

Essas histórias são usadas geralmente para dar vida a uma marca e criar uma relação afetiva com o consumidor.

Dar uma narrativa para a história de uma marca significa valorizar a forma como o seu negócio surgiu.

É importante ressaltar que essas histórias podem ser contadas em diversas formas, seja escrita, em vídeo ou até mesmo em forma de música.

Vale lembrar que essa estratégia não se associa apenas a história de como a empresa surgiu, existe também a possibilidade de criar uma campanha que siga essa linha de contar uma história e essa própria história é o suficiente para se propagar sozinha.

Pode ser também alguma história que esteja ligada aos ideais de uma empresa, vamos usar como exemplo a Dove.

A principal forma de comunicação da marca é usar histórias de mulheres, o que de fato gera um empoderamento deste gênero e cria uma aproximação com a realidade de muitas mulheres pelo mundo.

Agora que você já sabe em linhas gerais o que é essa estratégia, vamos te explicar porque essa é uma estratégia importante para uma marca.

Por que usar Storytelling?

Se a sua empresa tem um posicionamento de mercado ligado principalmente a tradição, ter um storytelling pode ajudar a confirmar esse posicionamento.

Ao contar para o seu público a forma como a empresa surgiu, contar sobre os ideais do seu negócio e a forma como a empresa se aplica em valores, você cria uma aproximação e uma sensação de ser um velho conhecido do consumidor.

As marcas hoje precisam de uma gestão que vá além da identificação e diferenciação dela.

Nós já vimos aqui em outros artigos, como é importante agregar valor no seu negócio -temos como exemplo a estratégia de marketing de conteúdo que é uma das principais estratégias usadas para conseguir isso.

Por isso, se você deseja ter uma marca que se posicione como amiga do consumidor, use a estratégia de storytelling para convencer o seu público.

Qual é a melhor maneira de fazer um Storytelling?  O que não fazer?

Aprenda com as dicas a seguir como usar essa estratégia de contar histórias a favor do seu negócio!

Use histórias para convencer o consumidor

Poder contar histórias e mexer com o emocional do consumidor é uma das principais vantagens de fazer o uso desta estratégia.

Busque explorar a sua história e seus ideiais da melhor maneira possível e impulsione o seu sucesso.

Tenha um objetivo e saiba qual mensagem será transmitida

Só contar uma história não é o suficiente. Tenha em mente qual será a mensagem a ser transmitida antes mesmo de traçar uma estratégia.

Para associar a sua marca a uma história é muito importante que você trace seu objetivo e tenha cautela ao escolher a mensagem que será transmitida a frente da sua empresa.

Vamos continuar utilizando a Dove como exemplo do nosso raciocínio. Ela prega a real beleza feminina nas suas campanhas e sustenta o empoderamento das mulheres.

Imaginem só se na hora de interagir nas redes sociais a comunicação fosse feita de forma machista? Isso iria contra os princípios da estratégia de storytelling da marca.

Por isso fazer um planejamento estratégico é tão importante. Você precisa não só transmitir uma mensagem como também precisa viver essa história – mensagem.

Escolha uma forma de comunicação

Não pense que a comunicação deve ser feita somente nas embalagens dos produtos ou algo do tipo.

Existem infinitas possibilidades de mostrar a sua storytelling, não se prenda ao convencional.

Seja com uma música, vídeo – para passar dentro do seu estabelecimento -, estampado nas embalagens, escrito nos blogs, nas campanhas, enfim…Existem muitas opções

O mais importante é saber onde terá o maior engajamento com o seu público alvo e qual é o tipo do seu negócio.

Não invente histórias!

Talvez este seja um dos pontos mais importante da estratégia de storytelling. Se você quer contar a história do seu negócio, ela precisa ser verdadeira!

De nada adianta tentar impactar o consumidor com histórias que não aconteceram de fato ou com uma falsa “glória”.

Existem alguns exemplos clássicos de marcas que mentiram sobre seu surgimento e que acabou afetando negativamente a imagem do produto.

Um deles que vale a pena ser lembrado é o da marca de sorvetes Dilleto. Essa empresa surgiu em São Paulo e é administrada por Leandro Scabin.

A marca se associou a história de que o avô de Leandro – Vittorio Scabin- era um sorveteiro em Vêneto e que colhia frutas frescas e buscava neve para fabricar sorvetes e durante a segunda guerra mundial veio para o Brasil.

Mas a verdade é que o Vittorio – o sorveteiro – nunca existiu. O avô de Leandro se chamava Antônio e era paisagista.

A realidade é que essa história foi fundamental para que a sorveteria crescesse e se popularizasse, até porque a identidade visual da marca foi baseada nessa storytelling. Mas a partir do momento que a verdade é descoberta, a imagem da empresa fica fragilizada.

Se quiser saber mais o caso completo da Dilleto, clique aqui.

Torne a sua história memorável

A história deve ser forte o suficiente para se tornar memorável. Típica daquelas que a gente sempre tem em mente.

Lápide a sua ideia e explore todas os recursos para torná-la o mais próxima possível da vida dos consumidores.

Podemos tirar o lado positivo do caso da Dilleto como inspiração de um bom uso de uma storytelling. Neste caso específico, eles usaram a “própria história” – ou pelo menos deveria ser – e criaram uma identidade visual em cima disso.

Sem dúvidas é uma forma de tornar uma história inesquecível.

Outra marca que virou memorável foi a Coca-cola. Toda campanha dela é possível notar que não é oferecido um produto e sim momentos e boas histórias.

Mire nas práticas de sucesso e crie a sua própria estratégia.

Não use histórias que não são suas ou histórias parecidas com as de outras marcas

Este é um tópico só para relembrar a todos aqueles que pretendem investir em uma estratégia de storytelling que a história deve ser sua e de mais ninguém.

Mesmo se a sua história não for cheia de emoção e coisas gloriosas, mas ela é sua e é única.

Torne a sua história interessante em outros pontos de vista. Mas nunca finja existir algo que nunca existiu de fato.

Fique atento aos bons princípios

Se você associa a sua empresa a algo, todos os seus comportamentos devem ser alinhados a essa associação.

Assim como já foi dito anteriormente no exemplo da Dove. Se a marca segue o padrão do empoderamento ela deve ter comportamentos ligados a isso.

É claro que associar a sua marca a política, religião e outros assuntos que dividem opiniões é arriscado e nem um pouco recomendado.

Foque no seu público alvo e pensa em uma maneira de retratar a sua história onde a sua persona será atingida de forma positiva, criando uma relação de valor com a sua marca.

Podemos concluir que o storytelling é uma excelente estratégia se usada da forma correta. Pesquise seu mercado consumidor, foque nos seus objetivos e no que deseja ser repassado para o público e só assim crie a sua estratégia!

Queremos saber a sua opinião! O que você acha sobre storytelling? Alguma marca já conseguiu te atingir com essa estratégia? Nos conte suas experiências nos comentários!

  • Pingback: Tweets that mention No plano de negócios, saiba contar histórias | Saia do Lugar -- Topsy.com()

  • Olá, lendo seu artigo uma frase me chamou atenção, “como leio muitos planos de negócio”, estou buscando assessoria para lapidar meu plano de negócio…

    Por favor entre em contato se for possível!

    Obrigado

  • Olá, lendo seu artigo uma frase me chamou atenção, “como leio muitos planos de negócio”, estou buscando assessoria para lapidar meu plano de negócio…

    Por favor entre em contato se for possível!

    Obrigado

  • Curioso

     
    Olá,

    Sinceramente eu fiquei confuso agora. Por exemplo, em outros arquivos por aqui vocês já disseram completamente o contrário, que o Plano de Negócio tem que ser sucinto, objetivo, sem enrolação e direto ao ponto, mostrando a viabilidade, a matemática, etc. Até mesmo porque os avaliadores têm pilhas e pilhas de PN pra ler.

    E agora vocês soltam essa, de que o Plano de Negócio tem que contar histórias? WTF?

    Por favor, decidam a sugestão que vocês acreditam. Afinal, o Plano de Negócio tem que ser matematicamente viável ou emocionalmente convincente??

    Att.,

    • Curioso,

      A história mostra como o número será alcançado, ela não precisa ser de forma alguma longa e enrolada. Só o número não diz muita coisa, é fundamental mostrar quais as premissas por trás dos cálculos.

      Abraços!

  • Pingback: No plano de negócios, saiba contar histórias | Saia do Lugar | Portugal Negócios()