6 razões para você NÃO ser o Neymar da sua empresa!

Se eu perguntasse se você gostaria de ter o talento do Neymar Jr. na sua profissão, você com certeza responderia “sim”. Não é mesmo?

Desde o seu surgimento no Santos, Neymar chamou atenção pelo seu futebol. Depois de todo talento e genialidade apresentados por Ronaldinho Gaúcho, o Brasil estava à espera de um novo craque. Alguém para assumir o protagonismo do nosso futebol.

E ele veio com Neymar.

Em pouco tempo, mesmo sem sequer ter idade para beber com os amigos, o menino se tornou a grande esperança para o Hexa.

O problema foi que, com o passar dos tempos, Neymar não virou notícia apenas pelas pernas finas, habilidade incomparável e marcas goleadoras. Ele também ficou conhecido por outros motivos, não tão legais assim…

O menino da Vila se tornou um profissional daqueles que, apesar do talento, fica difícil querer trabalhar.

No post de hoje não vamos analisar o jogador e o seu dom futebolístico, vamos analisar Neymar como profissional e porque você precisa se esforçar para não ser o Neymar da sua empresa:

Talento não é tudo

Primeiro ponto que qualquer profissional precisa entender, especialmente os que já possuem um dom ou talento natural, é que isso não quer dizer nada.

O mundo está cheio de pessoas talentosas fracassadas e de profissionais medianos que se tornaram grandes referências em seus mercados.

Um ótimo exemplo é o atleta Kaka, que conquistou um prêmio de melhor do mundo sem contar o talento nato como o de Neymar. Kaka sempre foi considerado um exemplo em campo e batalhou muito para conquistar o prêmio!

Ser mais habilidoso do que os seus companheiros não torna você mais importante do que eles. E talvez esse seja o problema que levou Neymar a tomar todas as atitudes durante sua carreira.

Os nossos dons acabam inconscientemente elevando o nosso ego e nos tornando pessoas orgulhosas e difíceis de lidar.

[Quer aprender a lidar com esse tipo de pessoa? Leia o nosso artigo e veja como pessoas inteligentes lidam com pessoas difíceis!]

Entender que, apesar do seu talento, você não é mais importante que ninguém será fundamental para respeitar todos ao seu entorno como profissional. Caso contrário você poderá se tornar o Neymar da sua empresa e assim como ele:

Não reconhecer autoridades

Um dos piores defeitos que uma pessoa pode ter é não saber reconhecer a autoridades na sua vida.

Isso não quer dizer que você deve obedecer cegamente aos seus líderes, mas que deve respeitá-los. Eles não alcançaram a posição que estão por acaso (pelo menos não deveriam).

Um time de futebol funciona como uma empresa. Temos o presidente, temos diretores e temos diversos setores. O setor mais importante talvez seja o time.

Esse time possui um gestor, o técnico.

O treinador é o gerente do time e os jogadores precisam acatar as suas decisões. Assim como na sua empresa, quando o seu gerente toma uma decisão você precisa respeitá-lo.

Infelizmente o futebol muitas vezes coloca os jogadores como superiores aos seus técnicos, alguns jogadores se julgam maiores que os treinadores e até que os próprios times.

Em 2010 o gerente do Neymar pediu para o Marcel bater o pênalti. Neymar queria ser o batedor. O menino, então, se irritou de tal forma que tratou o treinador como um coleguinha rival em um recreio selvagem da escola.

Conclusão: Neymar foi afastado, multado e, posteriormente, reintegrado a equipe para aprender a lição, correto?

NÃO!

O gerente Dorival Jr. afastou o jogador, o que culminou em sua demissão!

Outra lição: não deixe sua empresa ser o Santos FC. Hierarquia é fundamental para um bom funcionamento da empresa.

O que Neymar fez é inaceitável. Se você não concorda com o seu gestor converse pessoalmente com ele e apresente a sua posição, de preferência em um momento que não seja uma apresentação para investidores, por exemplo.

Discordar de nossos gestores é absolutamente natural. Faltar com respeito a eles não! Se você está em uma equipe tente confiar em seus líderes. Muitas vezes eles ouvirão você e irão acatar a sua sugestão.

Em outras, você deverá cumprir o seu papel, mesmo achando que poderia ser feito de outra forma. O importante é entender a sua posição dentro da equipe e a hierarquia da sua empresa.

Não respeitar os seus concorrentes

Outra máxima comum na carreira de Neymar é a falta de respeito com os seus concorrentes.

É mais que habitual ver o craque brasileiro provocando os seus adversários, brigando em campo, dando entradas maldosas e simulando faltas e pênaltis (desrespeito a autoridade do jogo que é o árbitro e trapaça contra os seus adversários).

Além disso é natural quando a sua equipe está vencendo ver o jogador provocando com dribles (que ele nunca dá quando está perdendo) e tentando irritar os seus adversários.

Apesar de atacante, por conta dessas atitudes, Neymar é sempre um dos jogadores mais advertidos nos clubes que passa.

E a maturidade não parece vir com o tempo.

Já aos 25 anos Neymar segue acumulando cartões e há poucos meses, foi expulso em um dos jogos mais importantes do Barcelona no Campeonato Espanhol (justamente) e perdeu outros 2 jogos (inclusive o clássico contra o Real Madrid) por aplaudir ironicamente o árbitro.

Essas condutas mostram um tipo de profissional que, apesar do talento, pode comprometer os resultados da sua empresa. É fundamental ser profissional e respeitar os seus concorrentes e as autoridades no mercado.

Imagine um advogado xingando um juiz, um professor desrespeitando o diretor de uma escola ou um contador ofendendo um auditor fiscal, pois é, você não gostaria de ter um profissional desses na sua empresa.

Não respeitar os seus companheiros

Bom, você pode argumentar que quando Neymar deu o chilique com Dorival Jr. ele era apenas um garoto. Eu até concordo, ainda mais que Neymar demonstrou total amadurecimento com o tempo, certo?

Errado!

A maior contratação da história do PSG mal chegou e já assumiu o protagonismo da equipe, de forma positiva (com seu futebol) e de forma negativa também.

Bastaram 5 jogos com a equipe para Neymar se desentender com o seu novo companheiro de equipe, Cavani (que já está no clube há muitos anos).

Cavani era o batedor oficial do clube em cobranças de pênaltis e batia muitas faltas. E no jogo, Neymar discutiu por duas vezes com o seu companheiro. Em uma delas, por uma cobrança de falta, o menino da Vila se uniu ao seu companheiro de travessuras no recreio, Daniel Alves, e tomaram a bola de Cavani para a cobrança.

Essa atitude gera um desconforto com os seus novos companheiros, pode rachar um grupo gerando panelinhas desnecessárias e prejudicar o desempenho do time (ou da sua empresa).

Lição 1: não importa o quão talentoso você seja, respeite os seus companheiros. Se você não concorda, resolvam isso entre vocês, e não em meio a uma apresentação importante.

Lição 2: não importa se você foi contratado como o herói para salvar uma empresa. Se você acabou de chegar, respeite as pessoas que já estão lá e que fizeram dessa empresa o que ela é hoje.

Lição 3: não queira ser protagonista de tudo, você não é o centro da sua empresa. Você é uma peça para gerar o sucesso da empresa. Trabalhe para o crescimento dela e não para o seu crescimento pessoal. Ele virá como consequência dos bons resultados que a empresa alcançar.

Lição 4: respeite os novos talentos. Antes de ir para o PSG, Neymar teve um desentendimento feio em um treino com o jovem lateral português Semedo. Neymar mais experiente e já de saída do Barcelona poderia muito bem ter evitado a situação.

Não aprender com os mais experientes

Ter mentores e grandes referências para se inspirar como profissional é importante.

E, fazendo um contraponto direto ao tópico anterior, temos o gênio e ex-companheiro de Neymar, Messi.

Messi é o dono do time. Maior jogador da história do clube, maior artilheiro da história do clube e um dos jogadores com o maior número de títulos.

Esse mesmo Messi deixava Neymar e o uruguaio Suárez cobrarem diversos pênaltis. Inclusive, em uma cobrança, Messi deu até assistência de pênalti (era para Neymar! Mas Suárez não sabia e fez o gol). Veja o lance:

O Neymar que teve essa referência como companheiro, mal chegou ao novo clube e já está brigando por uma cobrança!

Neymar, assim como Messi, não deveria querer ser apenas o que mais brilha na sua equipe, mas a ajudar os seus companheiros a brilharem mais.

Não aprender com os seus erros

Iniciei os tópicos apresentando com o talento pode nos ensoberbecer. Talvez esse seja o problema do Neymar. E isso muitas vezes nos impede de aprender com nossos próprios erros.

Em toda a sua carreira vemos uma sucessão de episódios como os mencionados aqui. São inúmeras expulsões, discussões com companheiros de profissão, problemas com arbitragem, provocações, simulações etc.

Começou com uma discussão com um treinador e foi escalando com o passar dos anos.

Torço por Neymar como qualquer outro brasileiro. O post não é para fazer uma crítica explícita ao jogador, e sim para aprendermos com os erros dele e nos tornarmos profissionais melhores.

Humildade e inteligência emocional talvez sejam as palavras-chave do momento. São duas características que evitariam muitos dos problemas que o craque enfrentou.

Espero que Neymar aprenda com os seus erros e nos traga o hexa.

Mas enquanto ele não aprende, cabe a nós aprendermos com os erros dele.

Quer aprender mais com a histórias de outras personalidades? Leia o nosso post e****descubra como o fundador do KFC ficou bilionário depois do 60 anos.

comments powered by Disqus