networking: organizando rede de contatos

Todo empreendedor está cansado de saber que para gerar mais volume de negócios e ver sua ideia expandindo, ganhando adeptos e alcançando o tão sonhado sucesso é essencial arregaçar as mangas e trabalhar na construção de um bom networking.

">

Networking: como organizar sua rede de contatos

Todo empreendedor está cansado de saber que para gerar mais volume de negócios e ver sua ideia expandindo, ganhando adeptos e alcançando o tão sonhado sucesso é essencial arregaçar as mangas e trabalhar na construção de um bom networking.

Todo empreendedor está cansado de saber que para gerar mais volume de negócios e ver sua ideia expandindo, ganhando adeptos e alcançando o tão sonhado sucesso é essencial arregaçar as mangas e trabalhar na construção de um bom networking.

Mesmo acreditando na lei geral da meritocracia, aquela que estabelece que só ganha quem coloca os melhores resultados na mesa, o conhecido ‘Quem Indica’ ou “QI” não pode de forma alguma ser deixado de lado por qualquer empreendedor em busca do sucesso profissional.

Apesar dos negócios serem fechados entre empresas, eles só acontecem porque são representados por pessoas de carne e osso, que são a alma do negócio.

Ao fim e ao cabo, a assinatura de novos contratos e colaborações dependerá do grau de confiança que uma pessoa passa a outra, e isso também vale no momento de indicar ou ser indicado por outras pessoas como alguém preparado para assumir determinadas responsabilidades.

Como é dito constantemente por gurus do mundo dos negócios: ‘Confiança é tudo’.

Outro ponto que torna imprescindível a conexão entre pessoas por meio do networking e transforma esta em uma prática da qual não conseguimos escapar é nossa própria natureza humana.

Quem nunca ouviu dizer que o homem é, antes de mais nada, um ‘ser social’? Sabemos que, com raríssimas exceções, nenhuma pessoa consegue viver de forma plena isolada dos demais.

A busca por contatos e interações, portanto, é automática e instintiva em nossas vidas.

Podemos dizer que faz parte da nossa essência como seres humanos buscar alguma forma de contato e estabelecer relações com outras pessoas.

Mas afinal, o que é networking?

A palavra networking vem do inglês e é formada pela união dos termos ‘net’, que significa ‘rede’ e ‘working’, que é o gerúndio do verbo trabalhar.

Em português, nada mais é do que a famosa rede de contatos – as relações profissionais, pessoais e comerciais que construímos ao longo de nossas vidas.

Por trás deste conceito, está a ideia de que quanto maior for a rede de contatos de uma pessoa, maiores serão as chances dela obter uma recolocação profissional, informações que ofereçam a ela uma vantagem competitiva, destacar-se no mercado de trabalho e fechar bons negócios.

Quem já começou a carreira, com certeza percebeu como a colaboração entre pessoas conhecidas pode facilitar a busca por vagas de trabalho e até mesmo a conquista do primeiro emprego ou cliente relevante.

De forma mais abrangente, podemos dizer que o networking nada mais é que a busca e a manutenção de relacionamentos interpessoais que tragam benefícios e vantagens a todos os envolvidos. Isso significa que não há networking de um lado só.

Para que funcione, é preciso que ambos os lados procurem fortalecer e manter este contato como algo relevante e vantajoso.

O reconhecimento das habilidades profissionais precisa ser mútuo, além do sentimento de respeito e confiança que se cria e nutre de forma honesta, recíproca e madura.

Qual a importância de criar relacionamentos estratégicos?

Existem diversos motivos que podem nos levar a querer formar uma boa e influente rede de contatos.

Ou ela pode ir simplesmente acontecendo naturalmente com o tempo – não sem um pouco de esforço de nossa parte para a manutenção da qualidade dos contatos, sem sombra de dúvidas! As pessoas podem estar em busca de novas experiências ou cansadas de um velho emprego, por exemplo.

Ou então sentem uma extrema satisfação pessoal só por estar em contato com outras pessoas, formando relações significativas e podendo ajudar.

Outros sentem que estando em grupo ficam mais fortes, já que juntos conseguimos completar ou solucionar alguns pontos fracos que carregamos individualmente.

Ainda, em algum determinado momento em nossas vidas, fatalmente chegamos à conclusão de que por excelente empreendedor ou profissional que sejamos, jamais, nunca conseguiremos fazer tudo sozinhos.

Independente da razão que nos leva à criação do networking, é a formação de uma rede de contatos úteis, por meio de estratégias que utilizamos no nosso dia-a-dia para nos aproximar de empresas e pessoas, que qualquer empreendedor terá o apoio que precisa para avançar de forma segura para a próxima etapa do seu projeto.

Quais são os benefícios?

Um esforço constante para a construção de relacionamentos interpessoais positivos e úteis para o estabelecimento de novos negócios coloca qualquer empreendedor em contato com novas ideias, opiniões e hábitos.

E tudo isso é um motor certo para expandir a criatividade, estimular a inteligência e aumentar a visão de mundo, contribuindo para a visualização de novas oportunidades.

Algumas pesquisas indicam que cerca de 70% das vagas de trabalho preenchidas no mercado ocorrem devido a indicações de outros profissionais.

Isto coloca o networking como uma ferramenta quase fundamental para a colocação profissional.

No dia-a-dia, significa para a empresa uma facilidade a mais em ficar por dentro das últimas novidades e tendências na sua área de atuação, notar e ser notado e, como consequência, chegar antes da concorrência e conseguir fechar bons e novos negócios.

Networking visto como troca e benefício mútuo

Para alguns especialistas, a rede de contatos, quando bem feita, deve ser visto como uma relação ganha-ganha, em que todos os envolvidos na rede acabam ganhando em novos conhecimentos, experiências, troca de críticas maduras e expansão das oportunidades de negócio.

Mesmo um empreendedor com mais experiência pode se beneficiar de um contato que está começando.

Isso porque ele pode aprender sobre um novo nicho de negócio, uma área diferente sobre a qual tem pouco conhecimento, um novo problema ou habilidades novas para solucioná-lo.

Por isso, nada de ter vergonha na hora de abordar uma pessoa que você não conhece mas tem a certeza que poderá contribuir com a sua ideia ou projeto.

Quem já está com um pé lá, avisa que é preciso tomar um pouco de cuidado para não se transformar naquele ‘chato da festa’, mas é importante vencer as barreiras da timidez e não ser tão envergonhando para alçar voos maiores.

Para que a troca funcione. no entanto, é preciso compartilhar. Dividir o seu conhecimento com os outros é fundamental para contribuir para a sua rede e receber ajuda mais tarde.

Tenha em mente que o que você está fazendo é em prol do desenvolvimento do seu negócio e das suas habilidades empreendedoras.

Um objetivo maior ajuda sempre a gente a manter o foco e ir à luta com mais garra.

Já entendi o que é networking. Mas por onde começar?

Para fazer um bom networking é preciso manter contato com pessoas que você considere importante para sua área de atuação.

Tenha em mente ainda que quantidade apenas não basta. O que mais conta para que um networking realmente seja útil é a qualidade dos contatos e a formação de um relacionamento profissional maduro e sólido.

Não vale forçar a barra, é preciso ser genuíno na construção destes relacionamentos.

Uma boa forma de manter contato são os lembretes de aniversário, além de comentários relevantes que podemos postar em redes sociais em um artigo compartilhado por um colega que você considere interessante.

Não vale, porém, ficar só nisso. É preciso dar atenção e saber ouvir as pessoas em quem você enxerga um grande potencial de parceria ou relacionamento futuro.

Se você viu um artigo que pode acrescentar mais ideias a uma conversa que acabou de ter com um colega seu, ou mesmo ficou sabendo de uma oportunidade que pode beneficiar alguém da sua rede, compartilhe.

A disposição em ajudar e estar presente fará com que você esteja no radar e seja lembrado em outros momentos e estimulará que outros dos seus contatos façam o mesmo.

Quando há uma troca autêntica, o benefício de uma interação consistente com sua rede de contatos tende a gerar não só benefícios para os seus objetivos profissionais, mas também para a sua vida pessoal, com insights e compartilhamento de ideias enriquecedoras também foram do ambiente de negócio.

A construção de amizades motivada por interesses mútuos resulta na criação de um capital social efetivo, gerando a sensação de boas impressões e referências importantes para você e o seu negócio.

‘Network to get work’

Esta frase é épica e funciona não só para quem está em busca de um trabalho formal e fixo em uma empresa, mas também para quem busca clientes e oportunidades de crescimento para o seu negócio.

É muito fácil, porém, se perder nas inúmeras oportunidades que surgem e, por isso, nós listamos aqui algumas recomendações para facilitar a organização dos seus contatos e também ajudar a direcionar o seu foco de atuação:

Clientes e fornecedores

Como eles estão diretamente envolvidos com a produção e geração de receita no empreendimento, podem ser o foco mais óbvio para geração de novos contatos profissionais.

Dar prioridade alta a eles, mesmo aqueles que ainda são ‘possíveis clientes ou fornecedores’, e estar em contato constante são pontos que farão a diferença para você trazer para perto de si cada vez mais e melhores fornecedores, além de conquistar novos clientes.

Mentores e Influencers

Estes fazem parte dos grupos dos super experientes, cuja orientação ou mesmo simples opinião é mais que válida para dar aquele empurrãozinho básico no andamento do seu negócio.

Seus feedbacks são valiosos e, por terem uma rede de contatos maior e já estabelecida, poderão colocar você em contato com pessoas que tenham interesses comuns.

Se você ainda não conhece ninguém com este perfil, não tenha vergonha de quebrar o gelo e fazer o primeiro contato. Este surto de coragem e determinação poderá fazer a diferença para o seu empreendimento.

Amigos

Durante a sua vida, você provavelmente conhecerá pessoas de outras áreas que aparentemente não tem nada a ver com o seu negócio.

Em um primeiro momento, pode parecer que não há sentido em manter contatos assim, mas pense que conforme você vá conhecendo mais pessoas, você pode ajudar outros a se conectarem entre si, transformando-se em um verdadeiro direcionador de contatos e ajudando os demais.

Talvez você não tenha um ganho direto com esta brincadeira, mas ajudar outros amigos e colegas não machuca ninguém, não gasta quase nada do seu tempo e criar uma corrente positiva não faz mal a ninguém, pelo contrário, pode dar um belo retorno no médio e longo prazo.

Agora que você já sabe tudo sobre como organizar a sua rede de contatos, que tal expandir os seus conhecimentos aprendendo como torná-la ainda maior? Então, dê uma olhada no artigo Networking: Como expandir sua rede de contatos!  

  • 7eanfellipe

    Anteriormente tentava separar profissional de pessoal, dois ou mais e-mails, redes sociais…mas percebi que só me gerava um baita trabalho.

    Hoje trabalho com o gmail(único e-mail), utilizo dos “filtros” para redirecionar meus e-mails diretamente para as suas respectivas pastas, evitando o trabalho de categorizar e-mail à e-mail.

    Aprendi a unir organização com praticidade.

  • luizpiovesana

    Legal, Jean! O Gmail e também outras ferramentas agregadas do google ajudam
    muito se você souber como classificar seus contatos.

    Abraços,
    Luiz

  • Luiz Gabriel Tiag

    A organização é fundamental. Luiz Gabriel Tiago – twitter.com/senhorgentileza

  • Fabio Platero

    Excelente post, Luiz, principalmente a última parte: eu sou fã da filosofia Pay It Forward. Este filme explica muito bem este conceito: http://www.youtube.com/watch?v=CwHcS-XoYbc
    Espero que ajude.

  • Muito bom! 😀