Todo mundo tem outras preocupações, não leve as coisas pro lado pessoal

Todo mundo tem outras preocupações, não leve as coisas pro lado pessoal

Da próxima vez que você tiver certeza de que alguém está bravo com você, considere que você pode estar enganado.

A dica de hoje foi dada por Seth Godin em seu blog: Seth Godin’s Blog.

Recentemente trombei com o David Byrne em uma conferência. Nossos caminhos já haviam se cruzado anteriormente, temos amigos em comum, eu sou grande fã de seu trabalho e ele usa muito bem o marketing para vender seus discos.

Eu disse “oi”. David me olhou com cara assustada, deu de ombros e saiu andando.

O que foi que eu disse? O que foi que fiz? Por que ele estaria bravo comigo?

Mas é claro, David Byrne não está bravo comigo, ele nem se lembra quem eu sou. Pra falar a verdade, ele estava ocupado, ou atrasado, ou pensando sobre o que iria fazer em seguida. A última coisa que ele iria fazer era me comprimentar pacientemente, passar alguns minutos descobrindo quem eu sou e mais alguns fazendo promessas que ele não poderia cumprir do tipo:

– Vamos manter contato!
– Ah, vamos sim!

Da próxima vez que você tiver certeza de que alguém está bravo com você, considere que você pode estar enganado. Talvez aquele cliente, contato, ou chefe tenha coisas mais importantes a fazer do que estar bravo com você. Por mais que seja intuitivo concluir que ofendemos alguém, é mais provável que a pessoa esteja com milhares de outras coisas na cabeça.

Vale a pena lembrar que se de fato a pessoa está brava com você, é importante saber pedir desculpas.

Para mais dicas que podem te ajudar no contato diário com as pessoas, assine nosso RSS ou siga-nos no Twitter: @empreendemia.

  • Boa indicação, Lucas.
    Em um de seus livros, Donald Trump conta um caso de um ótimo funcionário, merecedor de todas as promoções e bônus a que tinha direito, que foi à sua sala pedir um aumento em uma hora inadequada, na qual Trump estava nervoso com alguma coisa. Ele respondeu ao funcionário que não era uma boa hora; o rapaz insistiu. Trump contou que deu uns berros com ele e não o demitiu (apesar da vontade) pq era realmente um bom trabalhador, só não soube reconhecer a hora certa de abordar o chefe.
    Abraços!

  • Gustavo

    poxa Lucas que cortada hein? hehehe….pode até ser que a pessoa tenha outras coisas para fazer, mas o caso que você contou foi uma absurda falta de educação…só porque a pessoa tem os seus motivos ela não pode simplesmente dar de ombros e sequer cumprimentar. O que custa falar: “me desculpe, mas estou apressado para um compromisso” se possível de maneira simpática pois a outra pessoa (dentro das milhares de outras coisas que ela também tem para fazer) decidiu tirar um pouco do seu tempo e falar com o “marciano”. Me desculpe, mas este tipo de atitude deve ser execrada e não colocada como normal. Educação é o mínimo seja nos negócios seja na vida.

  • Concordo com você, Gustavo. Também considero, no mínimo, desatenção 😉

    Eu não sou nenhuma estrela e nunca senti na péle o que é ser idolatrado, mas entendo que sua visão de mundo, inevitavelmente acaba mudando. Mesmo porque seus objetivos, portando, seu foco, acabam sendo um pouco diferentes das pessoas ditas “normais”.

    Entendo este texto como um “Quando ocorrer isso contigo, releve, pois não sabe o que a outra pessoa tem em mente ou está passando naquele momento”. Ou seja, independente de ter isso em troca, continue sendo cortês e seja paciente com essas situações, pois pode não ser naquele momento, mas a chance de ter isso em troca numa outra oportunidade é bem maior.

    Vale a reflexão 😉