Iniciativa Vs Acabativa

A dica de hoje foi dada por John Jantsch no blog Duct Tape Marketing.

A dica de hoje foi dada por John Jantsch no blog Duct Tape Marketing.

Hoje em dia todos falam que você deve fazer o que você ama, por isso não entrarei no mérito do fazer, mas no de acabar o que você faz.

Eu amo o que eu faço, mas sou recompensado pelo que termino. Fazer tudo até o fim não significa fazer 90% de seu trabalho, pois muitas vezes são aqueles últimos 10% que determinam se o seu projeto será ou não um sucesso.

É muito fácil ficar apaixonado por uma empresa quando ela está começando, mas o que realmente te dará orgulho é fazer o trabalho até o fim e levar seu empreendimento ao sucesso.

Trabalhe com o que te motiva do começo ao fim!

__

Fazendo o trabalho até o fim, recomendo que você leia também este post: Resolva o problema até o fim.

Se quiser receber sempre nossas dicas, assine nosso RSS ou siga-nos no Twitter:@empreendemia.

  • carlos lindberg

    Apenas para aprofundar com enfoque psicanalítico as tais “acabativas”, parece claro que esse neologismo é uma falácia porque todas as nossas “iniciativas” típicas de fim-de-ano, são pulsões relacionadas ao arquétipo de Apolo. – É bom que fique claro que, para os altos iniciados da Grécia antiga, os deuses do Olimpo não tinham o mesmo caráter do deus cristão – eram na verdade representações das pulsões ou forças presentes em nosso inconsciente, as quais nos fazem agir dessa ou daquela maneira. È assim que, carregando a culpa da nossa obediência aos impulsos de Dionísio (Baco para os romanos), por haver pintado e bordado o ano inteiro, no final do ano, para tentar aliviar essas culpas, nós permitimos que os impulsos do arquétipo de Apolo nos conduzam na direção do: “ano que vem vou deixar de fumar, perder xx quilos, fazer dieta, entrar pra academia, gastar menos com bobagens, etc.” / Ocorre que essas prevalências arquetípicas são bipolares no nosso inconsciente. Conseguimos obedecer a Apolo até mais ou menos fevereiro. Quando chega o carnaval, Dionísio assume nosso volante volitivo e então fazemos uma espécie de acordo entre os dois arquétipos conflitantes: “bem, vou fumar só UM cigarrinho, me esbaldar na comida e na bebida somente durante o carnaval, ficar somente essa semana sem as caminhadas e a academia (afinal vou queimar bastantes calorias atrás do trio elétrico”). Pronto! Estamos lascados quanto às “iniciativas apolíneas”. Dionísio não larga mais o volante e lá vamos nós meio tontos fazendo barbeiragens até que o nível de culpabilidade aumenta e só então, lá pra dezembro a polaridade apolínea nos induz a novos acordos internos, apenas para tentar ludibriar o sentimento de culpa. Penso que “acabativas” é um ótimo termo, entretanto, conhecendo melhor os meandros do nosso psiquismo, podemos convencer-nos que “acabativa” alguma poderá jamais ter fundamento empírico, porque Dionísio e Apolo são uma espécie de moto – perpetuo. Abraços.

  • Marco Darvas

    Lucas, fazer o seu trabalho até o fim te alvanca de verdade pois so ai voce recupera, com juros e correçāo , a energia que você colocou. Por isso quanto mais você faz, mais você tem vontade de fazer. marcodarvas Porque nosso tempo é precioso.