guia da inovaçãoaumento da taxa de desemprego principalmente entre os mais jovens.

">

Guia da inovação: Veja como manter o seu negócio sempre atualizado

Vivemos em mundo cercado de novidades. A todo momento surge uma nova maneira de se comunicar, de vender, de lidar com os serviços bancários.

Vivemos em mundo cercado de novidades. A todo momento surge uma nova maneira de se comunicar, de vender, de lidar com os serviços bancários.

O consumidor é surpreendido com possibilidades, antes inimagináveis, de comprar, e por produtos, ou serviços, que nem sonhava em possuir. A palavra destes tempos é inovação.

Mas inovar não é apenas criar algo novo, do nada. Pode ser, também, reinventar um modo de consumo. Um exemplo: Uber e Netflix.

O automóvel não é uma invenção nova, pelo contrário. O hábito de dar carona muito menos, quem sabe até mesmo Henry Ford, o inventor de carro, tenha dado algumas caronas no início do século XX.

No entanto, os responsáveis pelo Uber pegaram a tecnologia, já disponível, e facilitaram a comunicação entre os passageiros e motoristas. Uma ideia simples. A necessidade de inovação costuma estar bem perto de nós.

Por outro lado, a Netflix inovou ao estar antenada com as novas necessidades de consumo das pessoas.

Assistir séries e filmes pela internet já havia se tornado hábito dos internautas, que normalmente faziam downloads, ou acessavam sites que disponibilizava o serviço de forma gratuita.

O problema é que a qualidade da imagem deixava a desejar. Além disso, processos por direitos autorais, movidos pela indústria do entretenimento, começaram a tirar de circulação esses sites.

A grande inovação da Netflix foi convencer os produtores de Hollywood a exibir suas produções pela web, recebendo um preço justo por isso.

Muitas pessoas achavam que o usuário não aceitaria pagar para ver séries, afinal, estava acostumado a ter tudo de graça, mas a Netflix não vende, simplesmente, a possibilidade de ver produções pela internet.

Ela vende um bom catálogo de séries e longas-metragens com qualidade de som e imagem, por um preço menor que a assinatura de um pacote de TV.

Novamente a inovação aparece realinhando um mercado que parecia saturado.

Inovação é melhorar os processos de comunicação

O empreendedor que não tem uma startup pode estar pensando “devo fechar meu negócio e investir em app de celular, é isso? ”. Não, não é isso.

Os exemplos dados neste texto mostram a importância de uma palavra que tem tudo a ver com inovação: comunicação. E você pode começar a investir em comunicação hoje mesmo.

Melhore sua comunicação com os colaboradores

Seus colaboradores conhecem os processos de sua empresa muito bem. Eles o repetem todos os dias, por isso, vale a pena dar ouvidos  às sugestões deles.

Assim, mesmo que você não as acate, eles não terão medo de trazer a você uma ideia, quando ela surgir.

Grandes empresas costumam ter concursos para premiar as melhores ideias de seus funcionários. Tudo isso porque sabem que ninguém conhece tão bem a empresa por dentro quanto eles.

Uma boa ideia não precisa vir necessariamente de um engenheiro contratado para inovar os processos de trabalho, mas sim de um auxiliar de produção que percebeu que o mesmo trabalho, feito de outra forma, renderá muito mais.

Acompanhe as mudanças tecnológicas

Isso não significa que a cada lançamento de um novo produto você mudará tudo em seu negócio.

Significa, apenas, que você está acompanhando, com interesse, essas modificações e que não será pego de surpresa quando for preciso mudar algo.

Empresas mais tradicionais costumam ter medo de mudanças, mas não deveriam. Elas podem fazer com que aspectos que pareciam definitivos sejam repensados, mas isso pode ser bom.

Graças ao Uber diversas empresas que oferecem o serviço de Táxi estão criando app e melhorando seu relacionamento com o passageiro. Se elas não acompanharem essas mudanças sairão perdendo, pois, o mundo muda, você querendo ou não.

Dedique um tempo ao estudo

Grandes personalidades de sucesso como Bill Gates e a apresentadora, e empresária, Oprah já disseram que dedicam pelos menos uma hora de seu dia para aprender algo novo, seja lendo um bom livro, assistindo a um documentário ou mesmo fazendo um curso, nem sempre ligado à sua área de atuação.

Quando estamos lendo sempre sobre o mesmo tema a impressão que temos é que já sabemos de tudo, e isso é um grande erro.

O conhecimento, ainda que inicial, em diversas áreas te dará uma visão mais clara sobre o mundo, e consequentemente sobre seu negócio.

Jobs começou a pensar em design quando percebeu, em um curso de caligrafia, como as fontes oferecidas pelos computadores da época eram feias.

Silvio Santos aperfeiçoou sua comunicação com as pessoas trabalhando anos como vendedor ambulante. Dessa forma teve uma ideia clara do que como era o povo brasileiro.

Conheça sua empresa, conheça seu cliente

Você está em um determinado segmento de mercado há um ano. O caixa vai bem, os investimentos já são menores, então, está tudo certo e você não precisa mais fazer nada, né? Errado.

Ouvir seu cliente é fundamental. Muitos empresários só recorrem a eles quando as coisas não vão bem, para tentar descobrir o que está dando errado.

Quando você dá ao cliente a oportunidade de oferecer um retorno, ele lhe presenteia com uma visão real de como está seu produto no mercado, não em relação à concorrência, mas se ele ainda tem a mesma relevância.

Imagine a surpresa que os taxistas tiveram quando um passageiro citou o Uber?

Vale a pena ter contas em redes sociais – naquelas que seu cliente utiliza – para dar a ele um canal direto, e gratuito, de comunicação.

Esteja preparado para críticas, elas veem com ou sem razão, mas a sua resposta deve ser ponderada.

Não menospreze tendências de consumo

Algumas pessoas acreditam que tudo o que surge de novo é um modismo passageiro. Nem sempre.

Se você parar um pouco verá que o cuidado com o corpo é uma nova tendência junto aos consumidores.

Isso motivou a expansão de redes de academia, restaurantes de comida saudável e até mesmo práticas esportivas como o Pilates, Yoga e o Cross Fit.

Uma rede de padarias que não está atenta, pode perder a oportunidade de ampliar a venda de pães integrais, por exemplo.

Por isso, dê uma olhada ao seu redor e veja quais são as tendências que estão surgindo e se existe alguma chance de você aproveitá-las.

Você já ouvir falar em Matriz BCG?

Aqui no site nós já escrevemos um artigo inteiro sobre a Matriz BCG. Se você está mesmo disposto a inovar, recomendo essa leitura.

Enquanto isso, vale a pena dar uma relembrada em alguns tópicos, para você já ir entendendo do assunto.

A Matriz BCG é uma ferramenta que tem como objetivo mostrar quais produtos da sua empresa estão dando lucro, quais têm possibilidade de dar lucro no futuro e quais já estão dando prejuízos.

Mas, por que isso é importante?

Dessa maneira você percebe, de forma clara, quais produtos estão em um mercado que está encolhendo e quando é hora de inovar.

Nem sempre a inovação é capaz de salvar um produto, ou serviço, que está em um segmento de mercado que está morrendo. Nesses caso a única maneira de inovar é descobrir novas possibilidades para a empresa.

Vamos a um exemplo: você já percebeu que nas prateleiras das farmácias existem mais produtos alimentícios do que medicamentos?

Isso aconteceu porque em um determinado momento, os empresários do ramo perceberam que esperar as pessoas irem à farmácia apenas para comprar remédios era uma estratégia demorada para obter crescimento.

Além disso, as pessoas precisam de outros itens, além de medicamentos e aproveitarão a visita à farmácia para adquiri-los.

Por isso é importante que você saiba o que é o CVC

O Ciclo de vida do produto (CVP) é um estudo que demonstra em que momento de vida está o seu produto. Isso mesmo.

Os produtos também morrem. E quanto antes você perceber que seu serviço está morrendo para o consumidor, antes você poderá tentar salvá-lo. Foi o que as redes de farmácia fizeram.

Mudanças econômicas podem ser alavancas para inovar

Vamos olhar um pouco a história recente do Brasil para entender como algumas mudanças demográficas e econômicas ditaram novas regras de consumo.

Na década de 80 o número de crianças no Brasil era muito grande. Isso fez que a indústria de brinquedos investisse muito em publicidade, e com isso, boa parte do entretenimento criado na tevê era voltado para os “baixinhos. ”

Com o envelhecimento natural da nossa população, aliado ao aumento da expectativa de vida, hoje isso mudou. Nas principais redes de TV a estratégia é conquistar o público adulto, e isso reflete-se no investimento publicitário.

A tendência demográfica no Brasil é o envelhecimento populacional, por isso, dependendo do seu segmento, é importante pensar no público idoso.

Um outro exemplo foi a mudança econômica no nosso país. Durante os períodos de inflação, o brasileiro foi acostumado a fazer compras uma única vez por mês. Não por acaso nossas casas têm uma peça voltada para isso: a dispensa.

Os mercados perceberam, então, que havia uma grande possibilidade de negócio e inovaram o segmento com os hipermercados.

Agora, os tempos são outros. Com a vida mais agitada e piora no trânsito, o brasileiro prefere fazer tudo perto de casa. Muitos hipermercados já fecharam nas grandes cidades, na contramão os mercados de bairro apresentam crescimento.

Uma saída inovadora que as grandes redes encontraram foi criar mercados Express, pequenas lojas, dentro dos bairros, para que os consumidores comprem no caminho do trabalho, sem ter que sair de perto de casa.

Você precisa entender como as mais diversas mudanças no seu país podem exigir uma postura inovadora de você.

Não tenha medo de errar

Empreendedores são corajosos por natureza. É uma característica comum entre todos os empresários, por isso, não acredite que terá sempre sucesso ao inovar.

Com os erros aprendemos muito, e reavaliamos ideias e estratégias. Se você tem medo de errar, provavelmente você tem medo de inovar.

O planejamento é aliado da inovação

Não se tira inovação da cartola, como em um passe de mágica. É necessário planejamento.

Antes de mais nada você deve conhecer sua empresa e saber onde quer que ela esteja daqui um, cinco e quem sabe dez anos. Só assim você será capaz de estabelecer metas e avançar e inovar.

Um bom plano de negócios e uma análise detalhada sobre a concorrência são indispensáveis nessa missão.

Invista em inovação

Você já identificou que diversos processos podem ser melhorados em sua empresa? Já percebeu que investir em novos equipamentos pode melhorar a produtividade? Então prepare-se para fazer esse investimento.

Ainda que possam assustar, investimentos em renovação de maquinário se pagam a longo prazo, pois trazem ganhos em produtividade e evitam o desperdício, de matéria prima e de tempo.

Inovar também é melhorar internamente

Empresários não devem apenas pensar em inovação voltada ao produto final, ao consumidor. Muitas vezes o cliente nem perceberá, mas sua empresa passou por um grande processo inovador nos últimos anos.

Isso acontece quando o empreendedor percebe que muitos setores do negócio poderiam ganhar agilidade se sofressem modificações. Como por exemplo:

Melhore as relações interpessoais

Com isso o ambiente de trabalho torna-se mais agradável e a produtividade cresce;

Evite o desperdício de recursos

Investir em equipamentos que usem a matéria-prima de forma mais inteligente, ou treinar os colaboradores para usar os recursos de forma eficiente melhoram o lucro da empresa.

Melhore o atendimento pós-venda

Um bom atendimento pós-venda pode evitar que a empresa ganhe uma imagem negativa com o cliente, além de torna-la mais rápida na resolução de problemas, fidelizando o freguês.

Tenha uma presença digital

Um blog, um site, um app, ou, quem sabe um perfil no Facebook.

Não importa como, mas manter uma presença online é muito importante.

Assim você ganha um canal de comunicação direto com o cliente. E como já vimos, comunicação e inovação andam de mãos dadas.

Em Resumo

Inovação não precisa ser um pesadelo para e empresário. Da mesma forma que ele não deve se empolgar e mudar tudo do dia para a noite.

Estando atento ao mercado, e disposto a fazer mudanças, sem medo de errar, o empreendedor tem tudo para ter um negócio moderno, com foco na melhoria contínua e aumento da lucratividade.

Agora, que tal aprender a lidar com o stress corporativo?