Google Adwords: o que é e como criar campanhas otimizadas

Você tem um pequeno negócio no seu bairro, mas pensa em alternativas para expandir sua empresa. Devido ao orçamento baixo, sente que está com as "mãos amarradas", mas ouviu falar em uma forma de alavancar seus resultados: o Google AdWords. Agora você busca a resposta para a seguinte pergunta: será que vale a pena apostar em campanhas pagas?

A resposta é sim. Essa é uma forma fácil e rápida de atrair clientes, o que permite aumentar suas vendas no curto prazo. Quando aliada a estratégias orgânicas — ou seja, sem investimentos —, sua empresa consegue consolidar seus resultados com o passar do tempo e garantir que a geração de receita seja cada vez maior.

Ficou interessado? Então, acompanhe este post, que apresentará o que é e como criar campanhas otimizadas. Além disso, você verá como utilizar essa ferramenta, quais são suas principais funcionalidades e por que precisa investir nessa ideia.

O que é o Google AdWords?

Você já deve ter acessado o YouTube e assistido a algum vídeo que tinha um anúncio antes ou até durante a reprodução. Ou pesquisado algo no Google e percebido que alguns resultados aparecem em destaque, com uma caixinha pequena logo abaixo do nome indicando "anúncio". Ou até mesmo visto um banner em site ou blog corporativo.

Todos esses são exemplos de campanhas veiculadas pelo AdWords. Apesar de serem anúncios distintos, eles representam bem a plataforma e exemplificam de forma simples o que essa ferramenta faz.

Sua finalidade é exibir anúncios em forma de links patrocinados, independentemente do dispositivo utilizado para a busca. A divulgação ocorre conforme a palavra-chave utilizada, para garantir que o resultado seja o mais relevante possível para o usuário.

Por isso, mais que apenas aparecer, a ideia é investir em uma audiência qualificada para aumentar as chances de conversão do seu negócio. Assim, os resultados positivos começam a aparecer rapidamente.

Quais são os tipos de campanhas existentes?

É possível trabalhar com diferentes formatos. Tudo depende do modelo de anúncio que deseja veicular, do público que quer atingir e de outras variáveis.

Para entender melhor, listamos a seguir os principais formatos veiculados pelo AdWords:

Rede de pesquisa

São as campanhas apresentadas quando o usuário faz uma busca no Google a partir das palavras-chave determinadas. Os resultados apresentados ficam no início e no fim da página, também chamada de SERP (Search Engine Results Page). Eles são indicados com uma caixa pequena que especifica "anúncio".

É mais indicado para atingir usuários que procuram serviços, produtos ou soluções predeterminadas. Para a empresa é uma boa alternativa porque o pagamento só é feito quando alguém clica no link da campanha. Assim, há uma boa relação custo-benefício.

A Rede de Pesquisa é composta por resultados de sites parceiros de busca, do próprio Google (por exemplo, Google Shopping e Google Play) e de grandes portais da internet, como G1, Uol, Terra etc. Os sites menores com mecanismos internos de pesquisa e que integram o Google AdSense — rede de afiliados — também estão presentes.

A vantagem de optar por essa modalidade é exibir os anúncios apenas para quem está interessado, o que eleva as chances de o usuário clicar no link.

Rede de display

É formada por sites, blogs e páginas de notícias parceiros. Alguns do Google, como YouTube e Gmail, também trabalham nessa modalidade, assim como os sites e aplicativos para mobile.

Essa modalidade oferece grande alcance e permite atingir o público por meio do canal mais acessado. Ainda podem ser utilizados diferentes formatos de anúncio, como:

  • banner: são anúncios gráficos que podem conter elementos interativos, imagens, layouts personalizados, animações etc.;
  • texto: são similares ao modelo anterior, mas os anúncios aparecem em formato "caixa de texto", com descrição, título, URL e nome da empresa;
  • Gmail: são campanhas personalizadas e visualizadas na caixa de entrada do usuário;
  • aplicativo: aparecem especialmente para apps de dispositivos móveis.
  • Um exemplo de como a Rede de Display funciona é quando você pesquisa por um modelo de celular. Nos resultados de busca aparece um blog com dicas. Ao acessar, havia um banner com promoção de smartphones.

Percebeu como tudo leva a uma conversão? Para fortalecer ainda mais esse aspecto, a campanha realizada possibilita definir em quais sites ou páginas os anúncios serão exibidos e qual perfil de público-alvo deve ser alcançado.

De quebra, você ainda tem a chance de gerenciar seu orçamento e interromper a veiculação quando achar necessário. Por fim, criar um anúncio na Rede de Display pode ser bastante fácil.

Mesmo que você esteja sem verba para contratar um designer, pode formatar seu anúncio por meio da ferramenta Display Ad Builder. Esse gerador usa o conteúdo do seu site ou da sua landing page para montar o banner. Basta atentar às limitações de tamanho:

  • cabeçalho: 728 x 90;
  • banner: 468 x 60;
  • quadrado pequeno: 200 x 200;
  • quadrado: 250 x 250;
  • retângulo médio: 300 x 250;
  • retângulo grande: 336 x 280;
  • arranha-céu: 120 x 600;
  • arranha-céu largo: 160 x 600.

YouTube Ads

São os vídeos que aparecem antes ou durante a veiculação de um vídeo nessa plataforma. Qualquer pessoa pode criar sua campanha e delimitar o perfil de público-alvo desejado, por exemplo, gênero, local, idade, interesse, renda e mais.

A cobrança incide somente quando o usuário assiste até o final. Se ele pular antes do final ou de 30 segundos, a empresa está isenta de qualquer pagamento.

Os tipos de anúncio de imagem permitidos são:

gráficos: contemplam os banners padrão e InVideo;
vídeos: abrangem o In-Stream padrão e o True View;
outros recursos: podem ser o rich media, masthead e expansivo na página inicial, desde que solicitado à equipe do Google.
O ponto positivo de escolher o YouTube Ads é o fato de essa ferramenta ser o segundo maior buscador do mundo, com mais de 1,8 bilhão de usuários ativos por mês.

Anúncios de aplicativos

São direcionados a pessoas que têm determinado app. Nesse caso, a empresa pode divulgar o negócio ou o próprio aplicativo para usuários Android ou iOS.

O anúncio pode ser veiculado em toda a rede do Google, inclusive pesquisa, YouTube, Google Play e diferentes aplicativos e sites para mobile. Há 3 opções de campanha:

de instalação: permite promover o app no Youtube ou nas Redes de Pesquisa e de Display para aumentar o número de usuários ativos;
universal: tem o objetivo de encaminhar as pessoas à listagem do app na Play Store. A campanha é divulgada na loja do Google, pesquisa e YouTube;
de engajamento: é voltado para pessoas que já instalaram o aplicativo, mas deixaram de utilizar ou usuários que têm interesse em seu conteúdo. O foco é uma dessas duas ações.

Google Shopping

É a oportunidade perfeita para quem tem uma loja virtual e quer divulgar seus produtos. Por meio dessa plataforma, você pode criar campanhas específicas e aumentar a geração de leads qualificados.

A campanha será criada a partir de dados dos produtos enviados para o Google Merchant Center. Em seguida, basta criar a campanha no AdWords, que utilizará as informações de produtos.

Perceba que as palavras-chave são ignoradas nesse caso. O que vale são as informações do feed, que permitirão criar anúncios dinâmicos a serem exibidos nas Redes de Pesquisa e de Display.

A diferença para os anúncios de texto são a exibição do produto com uma imagem, preço, título, nome da loja e outros dados. Dessa forma, a pessoa já tem uma ideia do item antes mesmo de clicar nele, o que permite gerar leads mais qualificados. Além disso, é possível divulgar a campanha do Google Shopping junto a um anúncio de texto.

Remarketing

É um anúncio geralmente em formato de banner que divulga um produto visto anteriormente em outro site. A estratégia é exibir novamente um item que já despertou a atenção do usuário.

O propósito é alcançar um usuário que já visitou seu site ou usou seu aplicativo. Assim, conforme ele acessa um site da Rede de Display, vê o anúncio, que também pode aparecer quando são realizadas pesquisas com termos relacionados.

A configuração da página exige a inserção de uma tag específica para que o usuário seja "marcado" durante certo período de tempo. Os tipos de campanha que podem ser realizadas são:

padrão: a exibição é feita para visitantes anteriores durante a navegação em apps e sites da Rede de Display;
dinâmico: os anúncios são criados pelo próprio AdWords para usuários que já visitaram o site e contêm produtos e serviços visualizados durante a navegação em sites e apps da Rede de Display;
para dispositivos móveis: as campanhas podem ser apresentadas a pessoas que já usaram o app ou acessaram o site mobile enquanto visitam outros sites ou aplicativos;
listas para anúncios da Rede de Pesquisa: as campanhas são mostradas a usuários que já visitaram o site e enquanto eles continuam pesquisando no Google, depois de sair do site;
em vídeo: os usuários que interagiram com vídeos ou canal do YouTube recebem os anúncios durante navegação no YouTube ou outros sites, vídeos e apps da Rede de Display.
Dica: o Lookalike do AdWords possibilita encontrar usuários com perfis semelhantes ao dos seus clientes ou de pessoas que interessaram por seus produtos ou serviços. Isso é possível pelo recurso "públicos-alvo semelhantes", que deve ser adicionado ao grupo de anúncios. Assim, consegue-se atingir novos potenciais clientes.

Anúncios para listas de e-mails

Possibilita criar campanhas direcionadas a pessoas que já são clientes ou gerar um anúncio específico para um grupo. Basta ter uma base de e-mails para exibir anúncios em pesquisas do Gmail, Google e YouTube. Com isso, é mais fácil reativar consumidores que deixaram de comprar seus produtos ou serviços e até nutrir leads.

Campanhas call only (apenas para chamadas)

Foca o recebimento de chamadas telefônicas e, por isso, é utilizada por empresas que preferem esse canal de comunicação ou não têm um site. A ideia é gerar ligações automáticas em vez de um redirecionamento a determinada página.

Com todas essas opções, fica claro que sua empresa pode fazer uma campanha com base em suas especificidades.

Como o Google AdWords funciona?

Os tipos de campanhas listados anteriormente são importantes para aumentar sua chance de conversão. Porém, é importante conhecer o funcionamento da ferramenta para ter mais êxito em suas campanhas e anúncios.

Confira o que você deve saber para ter uma atuação mais estratégica.

Posição dos anúncios

A pesquisa por uma palavra-chave específica gera uma espécie de leilão no AdWords para determinar quais anúncios serão exibidos e sua ordenação. Porém, esse processo ocorre por meio de uma comparação com outras campanhas.

Assim, é estabelecido o Ad Rank (classificação do anúncio), que é definido a partir do lance máximo de custo por clique (CPC) e índice de qualidade. Caso o anúncio esteja relacionado à palavra-chave, mas não seja qualificado, é automaticamente ignorado no leilão.

Na prática, o índice de qualidade é mais importante, porque seu anúncio pode ganhar uma posição de destaque mesmo com um lance menor. Para calcular o posicionamento, basta fazer a seguinte multiplicação: preço máximo por clique x índice de qualidade da palavra-chave.

Perceba que esse cálculo é feito todas as vezes em que uma pesquisa é realizada. Por isso, os resultados podem ser diferentes.

Além disso, o índice de qualidade pode ser verificado no campo "Análise de palavra-chave" da sua conta. Ele apresenta uma escala de 1 a 10 e assinala qual resultado seu anúncio alcançou. Lembre-se de clicar a guia "Palavras-chave" e clicar no ícone ao lado do status.

O resultado desse indicador é determinado a partir de 3 componentes:

CTR

A taxa de cliques serve para verificar quantas vezes o anúncio foi clicado dividido pelo total de vezes que apareceu para algum usuário (impressões). É um dos elementos mais importantes do índice de qualidade, porque tende a mostrar qual anúncio é mais relevante.

Relevância

O objetivo é apresentar o valor da palavra-chave, se comparado à mensagem. Pode ficar acima da média, na média ou abaixo dela. No último caso, pode acontecer de o anúncio ou a palavra-chave estar pouco claro ou ter muitos tópicos no grupo.

Landing page

Essa página de destino ganhou importância devido aos dispositivos móveis e a necessidade de boa usabilidade. Assim, a experiência avaliada pelo Google determina o nível de satisfação do visitante ao chegar à landing page. Para alcançar um bom resultado, é importante ter conteúdos relevantes e originais, passar confiabilidade e credibilidade e ter boa usabilidade.

Valor do CPC

Os elementos já destacados interferem diretamente no custo por clique. Esse item pode ser definido pelo próprio usuário, com o objetivo de limitar o valor máximo que se deseja pagar. Nesse caso, o AdWords gerencia o orçamento estipulado e possibilita gastar até 20% a mais por dia, nas datas em que a campanha for apresentada mais vezes.

No restante, há uma compensação com a diminuição dos lances. O CPC é calculado da seguinte forma: Ad Rank / índice de qualidade.

Como utilizar a ferramenta?

Os detalhes que você viu até aqui são importantes, mas de nada adianta entendê-los se desconhecer sua aplicação, não é mesmo? Por isso, listamos aqui um passo a passo para você começar a usar o Google AdWords agora mesmo. Vamos lá?

1. Crie uma conta

A primeira etapa é acessar o site do AdWords e abrir um perfil próprio. Para isso, clique no botão "Comece agora". Caso tenha um e-mail do Google, basta ir ao canto superior direito e selecionar "Acesse sua conta". Essas informações redirecionarão você para uma página de boas-vindas, na qual você deverá inserir a URL do seu site.

Nesse momento, você pode optar pela configuração guiada ou seguir as etapas que listaremos em seguida selecionando "Pule a configuração guiada". Insira todas as informações da conta solicitadas e clique no botão "Salve e continue".

2. Crie sua campanha

As etapas anteriores levarão a uma tela inicial do AdWords, que apresentará todas as campanhas já criadas. Se for a primeira, basta clicar em "Campanhas" no lado esquerdo da tela e, depois, no círculo azul com um símbolo "+" no meio. Se preferir, apenas clique em "Nova campanha", que está no centro inferior da página.

3. Escolha o tipo de anúncio que deseja

As campanhas podem ser bastante variadas, como você já viu. Considere sua estratégia e sua persona — ou seja, a representação do seu cliente ideal — para definir a melhor alternativa.

4. Preencha as informações solicitadas

O próximo passo é definir as "metas", isto é, ações que espera que os usuários realizem. Depois, você pode inserir o site da sua empresa, mas essa informação é opcional. Terminou tudo? Basta clicar em "Continuar".

5. Configure sua campanha

A etapa anterior leva a essa página de configuração da campanha, que também tem vários campos a serem preenchidos. Para exemplificar, imagine um anúncio na Rede de Pesquisa sobre "gestão financeira para pequenas e médias empresas (PMEs)".

Nesse caso, é preciso preencher os seguintes campos, além do nome da campanha, que já citamos:

  • redes: são os locais em que o anúncio deve ser exibido. Você pode selecionar "Incluir parceiros de pesquisa do Google" para garantir que as campanhas sejam divulgadas em mais lugares;
  • locais: é a região ou país em que deseja que o anúncio apareça, por exemplo, referente a um e-book sobre gestão financeira para PMEs;
  • idiomas: são as línguas em que o anúncio deve aparecer. Pode ser uma ou mais;
  • lances: podem ser predeterminados, mas quem está começando também tem a opção "Maximizar conversões", que determina automaticamente a fim de alcançar o maior número de retorno diante do valor disponível;
  • orçamento diário: é a quantia que pode ser desembolsada diariamente para a campanha;
  • data de início e término: predeterminam o começo e o fim da campanha, mas apenas o princípio pode ser configurado para indicar que deseja a continuidade do anúncio.
  • Lembre-se ainda de que existem configurações avançadas, que são opcionais. Assim que terminar, clique em "Salvar e continuar".

6. Determine os grupos de anúncios

A ideia é reunir campanhas com palavras-chave relacionadas. O objetivo é ter um controle maior das pesquisas que podem ser ativadas em seus anúncios. Assim que terminar, clique em "Salvar e continuar".

7. Monte o anúncio

A configuração de todas as etapas anteriores permite chegar a esse momento. Há vários campos que devem ser inseridos. Vamos apresentá-los a partir da campanha "gestão financeira para PMEs".

  • URL final: é a página que você deseja que o usuário seja redirecionado, por exemplo, www.gestaofinanceiraparapmes.com.br;
  • título 1: é a frase inicial que será vista pelos usuários, como "gestão financeira para PMEs";
  • título 2: é uma frase complementar e que indica o que as pessoas verão se clicarem no anúncio, por exemplo, "dicas para fazer um fluxo de caixa eficiente";
  • exibir caminho: é o texto apresentado abaixo do título 1 e representa para onde o usuário deve ser encaminhado para encontrar seu produto, no caso, o e-book. É um campo opcional, que tem por finalidade indicar exatamente o que será acessado;
  • descrição do anúncio: é um resumo do produto, por exemplo: "Veja 7 dicas eficientes para fazer o fluxo de caixa da sua empresa e manter as contas no azul".
  • Assim que todas essas informações forem preenchidas, você terá a opção de visualizar o resultado para mobile, desktop e Rede de Display. Então, basta clicar em "Salvar e continuar" e a campanha estará ativa.

Vale a pena lembrar que haverá um ícone para iniciar ou pausar a campanha ao lado do "Grupo de anúncios". Além disso, na parte superior é possível acompanhar: orçamento diário, tipo e status da campanha.

Ao clicar em "Editar" no menu "Configurações", você pode alterar os dados ou remover a campanha. Caso a exclua, ela nunca poderá se reativada.

Por que sua empresa deve apostar no Google AdWords?

Existem vários motivos que justificam a realização de uma campanha nessa plataforma. Abaixo, citamos as principais justificativas para apostar no AdWords agora mesmo.

Custo

É uma mídia barata e que permite controlar o orçamento para evitar gastos excessivos. Assim, você pode começar com um valor mais baixo e verificar o comportamento do público para, então, aumentar o investimento ou definir novas regras para o anúncio.

Vale a pena destacar que essa característica é válida mesmo com a elevação do valor de algumas palavras-chave devido à concorrência existente. Para isso, é necessário que você tenha o cuidado de otimizar a campanha para garantir os melhores resultados.

Segmentação

Configurar as campanhas conforme diferentes variáveis permite ser mais eficaz e aumentar as chances de conversão. Você pode segmentar por:

  • palavra-chave;
  • tópico e canais;
  • público-alvo;
  • local de exibição;
  • idade, idioma e local;
  • frequências, horários e dias de exibição;
  • dispositivos.
    Tenha em mente que você pode escolher mais de um critério para combiná-los e ter anúncios mais relevantes e que aparecem para o público correto.

ROI

É possível mensurar as ações realizadas no AdWords e ter informações relevantes à sua disposição. Por exemplo: você consegue descobrir quais foram as impressões e os cliques, e se teve alguma conversão. Com isso, o remarketing pode ser configurado.

Todos esses dados permitem obter insights que servirão para a criação de outras campanhas. Por isso, esteja sempre atento aos números, pois eles indicarão o melhor caminho a seguir para obter retorno do investimento (ROI).

Essa questão também está diretamente relacionada ao melhor rendimento da campanha e a um uso racional do orçamento estipulado. Portanto, esse desembolso é uma aplicação, que surte efeitos positivos no futuro.

Como você pôde perceber, criar campanhas no Google AdWords é simples, mas envolve diferentes variáveis, se você deseja otimizá-las. Seguir as etapas que indicamos ao longo deste post ajudará a obter melhores resultados e atingir um excelente custo-benefício nessa empreitada.

E você, gostou de conhecer mais sobre essa ferramenta? Aproveite para deixar seu comentário e conte para a gente sua experiência!

comments powered by Disqus