gerente de e-commercee-commerce já virou um clichê. Este ano, somente no primeiro semestre, o faturamento das lojas virtuais alcançou R$19,6 bilhões. Um crescimento de 5,2% em relação a 2015.

">

6 fatos para se tornar um excelente gerente de e-commerce

Falar do poder do e-commerce já virou um clichê. Este ano, somente no primeiro semestre, o faturamento das lojas virtuais alcançou R$19,6 bilhões. Um crescimento de 5,2% em relação a 2015.

Falar do poder do e-commerce já virou um clichê. Este ano, somente no primeiro semestre, o faturamento das lojas virtuais alcançou R$19,6 bilhões. Um crescimento de 5,2% em relação a 2015.

Esses dados refletem todo o comportamento do consumidor brasileiro. Hoje, quem busca um produto está dando preferência às facilidades e os preços das compras online, do que à correria do comércio comum.

E se há algum tempo, o e-commerce era uma novidade, agora é quase impossível encontrar uma marca que não atue no mundo virtual.

Por isso, as lojas precisam de um profissional, que não saiba apenas lidar com a parte técnica do negócio, mas traga estratégias que impulsionem o seu crescimento e alcance. E é aí que entra o gerente de e-commerce.

O nome formal pode ser um pouco assustador para um empreendedor que possui uma loja virtual de pequeno porte ou ainda está começando na área.

Mas nós te garantimos que depois desse post você vai entender a relevância desse profissional e a diferença que ele pode fazer no seu negócio. Confira!

O papel de um gerente de e-commerce

O gerente de e-commerce possui habilidades de um administrador de empresas, analista de marketing, tecnólogo da informação e de um líder.

Somente isso seria suficiente para a sua empresa investir nesse profissional, mas ele ainda traz muito mais.

Sua visão inovadora, otimista e criativa sobre o mercado o transformaram no elemento essencial para que uma loja virtual se destaque diante da concorrência, atenda aos clientes com qualidade e utilize a tecnologia com sabedoria.

De uma maneira mais clara: é ele quem faz as coisas acontecerem.

O salário desses profissionais varia entre R$13 mil e R$ 20 mil reais, pela sua raridade no mercado.

Mas para o empreendedor que ainda não possui o capital necessário para cobrir esse valor, o ideal é oferecer a capacitação necessária para os profissionais que já possui – das áreas de tecnologia, recursos humanos, design, marketing ou comunicação.

Uma alternativa é começar a procurar no local onde os futuros gerentes de e-commerce estão se formando: na internet.

Redes sociais, cursos de formação e especialização em marketing digital e LinkedIn são apenas alguns dos espaços para ficar de olho e captar os talentos que impulsionarão o seu negócio no futuro. E acredite, um futuro não tão distante.

Competências de um gerente de e-commerce

Todo profissional que lida com um e-commerce precisa ter uma série de habilidades específicas em tecnologia, mercado e liderança.

Geralmente elas veem isoladas em cada profissional, mas o gerente consegue reunir tudo que uma loja virtual precisa, por meio de competências, como:

1. Boa capacidade analítica e estratégica

Para ser um gerente de e-commerce é essencial ter uma visão analítica sobre o negócio. Relatórios, estatísticas e números não devem assustar esse profissional – mesmo que ele não tenha uma formação em ciências exatas.

Conhecer esses dados é uma maneira de criar estratégias eficientes para evitar o abandono dos carrinhos de compras, descobrir causas das desistências dos clientes, melhorar a eficiência da plataforma, dentre outras incumbências essenciais para a sobrevivência de um e-commerce.

2. Experiência no varejo

Ter experiência no varejo é uma competência diferencial para qualquer profissional que trabalha em um e-commerce.

Mesmo no ambiente virtual, o setor varejista funciona de uma forma muito específica e exige uma noção de distribuição e logística maior do que qualquer segmento.

Imagine oferecer uma cartela de produtos, mas não ter estoque suficiente para cobrir as demandas? Escolher um domínio que não dá conta do número de acessos? Não atender com eficiência às dúvidas e reclamações do público? Ou não ter uma parceria com uma transportadora de confiança?

Lidar com o consumidor é garantir que vai oferecer um serviço de qualidade em troca de fidelidade. E só quem já trabalhou ou entende do varejo sabe como essa área funciona e as implicações que ela traz.

3. Profundo conhecimento em internet

Essa dica soa meio óbvia, é verdade. Mas muitos profissionais ainda acreditam que entender de internet significa apenas saber acessá-la e realizar funções básicas.

Para muitas profissões esse conhecimento pode ser suficiente, mas para um gerente de e-commerce é essencial ir além.

Otimizar o tráfego, gerenciar bancos de dados, transformar leads em clientes, gerar conteúdo de qualidade, investir nas ferramentas de publicidade e anúncio corretas e conhecer as tendências e os assuntos do momento nas redes sociais são apenas algumas das habilidades que esse profissional deve ter.

4. Ter uma visão global

A necessidade de vender é algo básico para um e-commerce. Mas nem sempre é fácil. Uma venda garantida não se resume a parcelamentos, promoções e frete grátis.

Cada compra é uma prova de confiança dada pelo consumidor – que espera um produto diferenciado e de qualidade, dentro das tendências do mercado, principalmente em setores voláteis como o de moda.

Por isso as empresas não devem errar. Em um cenário econômico e social que muda a todo momento, um gerente precisa ter sensibilidade para atender o consumidor e uma visão global para fazer o negócio crescer.

5. Dominar os recursos de marketing

Marketing é a alma de um “e-negócio”. Estratégias orgânicas – como marcar presença em redes sociais – podem atrair atenção para a marca e serem capazes de fidelizar clientes. Mas não são as únicas.

Entender o funil de vendas, conhecer ferramentas de análise, como o Google Analytics, planejar e anunciar campanhas no tempo certo e com o capital ideal, chamar o cliente para a ação (CTA) e saber hierarquizar recursos de marketig de conteúdo com qualidade é essencial para fazer uma marca crescer.

Prever as necessidades do consumidor e melhorar a experiência oferecida ao usuário são focos do marketing, que possuem influência decisiva nos resultados. Por isso é essencial que o gerente de e-commerce domine essa área.

6. Ter capacidade de liderança

O gerente de e-commerce não se concentra apenas em questões técnicas. Todo negócio, mesmo voltado para a tecnologia, precisa do capital humano para se sustentar.

Por isso esse profissional deve saber lidar com equipes multidisciplinares, trazer o seu conhecimento para o grupo, delegar as tarefas certas para as pessoas certas, e influenciá-las.

Conclusão

A internet, o marketing e o e-commerce trouxeram a oportunidade para que os profissionais que trabalham em cargos gerenciais se desvinculem de uma rotina de planilhas, relatórios e números para explorar um ambiente criativo, que traz novas tendências a cada dia.

As empresas precisam de alguém capaz de entrar no olho do furacão do mundo digital e “sair vivo”: de novas ideias e vontade de fazer a diferença. E se tem alguém indicado para fazer esse trabalho é o gerente de e-commerce.

Conseguimos te convencer de que a sua empresa precisa de um gerente de e-commerce? Não deixe de conferir outras estratégias para melhorar o seu negócio com o nosso artigo “Aprenda como fidelizar clientes em uma pequena empresa em crescimento“!