Falta de bom atendimento: A dificuldade em encontrar bons funcionáriosblog.

">

Falta de bom atendimento: A dificuldade em encontrar bons funcionários

Obs.: Este artigo foi escrito dia 5 de Janeiro de 2010.

Obs.: Este artigo foi escrito dia 5 de Janeiro de 2010.

Anteontem, domingo, eu e alguns amigos saímos para jantar nas ruas do Guarujá, onde passei as minhas férias e a virada do ano. Fomos ao Tahiti Restaurante Pizza Bar, um dos mais famosos restaurantes da cidade, localizado na praia das Pitangueiras.

O Tahiti oferece um cardápio bem tropical, com frutos do mar e tudo bastante saboroso. Entre eles há aperitivos, pizzas (destaque para a pizza de siri), saladas e pratos (caldeirada de frutos do mar é simplesmente sensacional), e o chopp está sempre gelado. Atuando desde 1993, hoje o restaurante já conta com mais duas unidades: Monduba (na outra ponta das Pitangueiras) e em Riviera, São Sebastião.

Conheço os donos do Tahiti faz mais de 10 anos e acompanhei o crescimento do restaurante. Não tenho nenhuma briga com eles. Este artigo é uma crítica a péssimos funcionários, e não ao Tahiti em si. Aliás, é um assunto que já conversei com os próprios donos.

A recepção

As hostess do Tahiti são sempre maravilhosamente lindas e simpáticas. Fomos recebidos por uma jovem sorridente.

Perguntou-nos onde queríamos sentar. Apontamos para uma mesa próxima à janela, perto do  mar. Ela disse que lá não seria um bom lugar e sugeriu uma mesa um pouco apertada para nós, 4 pessoas. Recusamos, queríamos a outra mesa que tínhamos pedido antes, mas ela disse que aquela era para 6 pessoas. Já um pouco irritados, escolhemos uma outra mesa qualquer.

Não bastasse, ela vinha andando atrás da gente (não seria o correto a hostess levar-nos até a mesa?) e esbarrou acidentalmente em um de meus amigos. Meu amigo pediu desculpas (não seria ela quem deveria se desculpar?) e ela nada respondeu, apenas disse que iria chamar o garçom, antes mesmo de a gente se sentar.

Um de meus amigos já falava em ir embora e irmos para outro canto. Eu insisti para ficarmos pois a pizza de siri valeria a pena.

O pedido e o atendimento

O garçom falava bem baixo, não dava para entender nada sem que ele repetisse.

Numa outra hora, o garçom esbarrou na mesa (que bando de estabanados!), quase derrubando os copos com bebida, num momento em que eu comia minha pizza de siri. E foi embora rapidinho, sem ao menos pedir desculpas.

E os garçons não paravam quietos um instante, corriam para lá e para cá, apressados, sem dar conta de nós, que levantávamos as mãos para chamá-los. Detalhe que o restaurante não estava lotado.

O pagamento

Pedimos a conta. Pedimos novamente. Pedimos mais uma vez. Após meia hora, ela chegou. Todos irritados, recusamos pagar os 10% de gorjeta.

O garçom veio pedir satisfações. Disse que os 10% era o ganha pão dele. Um amigo meu perguntou: você não ganha fixo? Ele respondeu que não. Além de tudo, mentiu?

Chamou-nos para conversar com o caixa (não havia gerente naquela noite).

A justificativa

Junto ao caixa, explicamos a situação. A justificativa que ouvimos: “esses funcionários são novos, estão em treinamento“.

Conclusão

Não pagamos os 10% do atendimento. Tivemos o azar de sermos atendidos pelos piores funcionários daquela noite, pois acredito que existam sim bons funcionários. É a primeira vez que me acontece isso em 10 anos como freguês do Tahiti.

Não é preciso ser treinado para ser bem educado. Desde que o funcionário tenha educação e reconheça seus erros,  um deslize ou outro serão perdoados.

O Tahiti um dia já foi um exemplo de bom atendimento. Porém cresceu demais e fica difícil para seus donos gerenciarem todos os funcionários de todas unidades, ainda mais com a recente inauguração em Riviera. Uma possível solução seria uma reforma na hierarquia administrativa da empresa.

Abraços,
Mauro Ribeiro (porque educação começa em casa, e não no trabalho)

Para bons exemplos, não deixe de conferir nossa sessão sobre bom atendimento.

  • Mauro, isso é fato. Muitas vezes eu relevo esses acontecimentos, pq se não iria ficar SEMPRE nervoso. Por gentileza, responda esse comentário por email, para que possa lhe dar uma dica de melhora do post.

    Abs!
    Pablo

  • Mauro, isso é fato. Muitas vezes eu relevo esses acontecimentos, pq se não iria ficar SEMPRE nervoso. Por gentileza, responda esse comentário por email, para que possa lhe dar uma dica de melhora do post.

    Abs!
    Pablo

  • Thamy

    “Não é preciso ser treinado para ser bem educado.” Concordo, e imagine as outras pessoas que não são habituados a ir nesse restaurante? porque você já é acostumado e quem não é? provavelmente nunca irá voltar ali.

  • Thamy

    “Não é preciso ser treinado para ser bem educado.” Concordo, e imagine as outras pessoas que não são habituados a ir nesse restaurante? porque você já é acostumado e quem não é? provavelmente nunca irá voltar ali.

  • Lion

    Obrigado por compartilhar sr. Mauro. Bom atendimento é o básico em qualquer empresa. Legal ver como o foi demostrado aqui a importância do mesmo (publicamente!). Este post mostra o quão importante é para qualquer empreendedor saber o valor de sua equipe.
    Muito obrigado.

  • Lion

    Obrigado por compartilhar sr. Mauro. Bom atendimento é o básico em qualquer empresa. Legal ver como o foi demostrado aqui a importância do mesmo (publicamente!). Este post mostra o quão importante é para qualquer empreendedor saber o valor de sua equipe.
    Muito obrigado.

  • Fala Mauro.
    Não precisa ir muito longe para perceber que o atendimento não é levado a serio. Na própria Ford de Joinville-SC (Globovel), cidade onde eu morava, o atendimento é terrível.

    Levei meu carro para a revisão três vezes. E em todas elas, ninguém veio me atender. É impressionante a falta de motivação. Para você ter uma ideia, mesmo ocupado, um dos mecânicos veio me atender. A recepcionista, o gerente e os consultores, sentados em suas confortáveis cadeiras, me “evitaram”. Após 40 minutos a recepcionista veio me atender. Adivinha pra onde eu mandei ela ir? Passei um feedback para o gerente, que concordou com minha atitude e meus direitos de “cobrar” por algo que estou pagando. Mããs infelizmente não foi o suficiente, pois continua igual.

    Na última revisão levei meu carro em outra autorizada (Forauto/Criciúma-SC) que se diferencia pelo seu atendimento de excelência. A recepcionista (Pricila), super simpática, me atendeu antes mesmo de descer do carro. Adivinha aonde eu vou levar meu carro na próxima revisão? Aonde será que eu vou comprar meu próximo carro? Qual lugar eu vou indicar para os meus amigos?

    Atendimento bom gera mais negócios, mais amigos, mais clientes,… Atendimento é tudo!

    Abraços

  • Fala Mauro.
    Não precisa ir muito longe para perceber que o atendimento não é levado a serio. Na própria Ford de Joinville-SC (Globovel), cidade onde eu morava, o atendimento é terrível.

    Levei meu carro para a revisão três vezes. E em todas elas, ninguém veio me atender. É impressionante a falta de motivação. Para você ter uma ideia, mesmo ocupado, um dos mecânicos veio me atender. A recepcionista, o gerente e os consultores, sentados em suas confortáveis cadeiras, me “evitaram”. Após 40 minutos a recepcionista veio me atender. Adivinha pra onde eu mandei ela ir? Passei um feedback para o gerente, que concordou com minha atitude e meus direitos de “cobrar” por algo que estou pagando. Mããs infelizmente não foi o suficiente, pois continua igual.

    Na última revisão levei meu carro em outra autorizada (Forauto/Criciúma-SC) que se diferencia pelo seu atendimento de excelência. A recepcionista (Pricila), super simpática, me atendeu antes mesmo de descer do carro. Adivinha aonde eu vou levar meu carro na próxima revisão? Aonde será que eu vou comprar meu próximo carro? Qual lugar eu vou indicar para os meus amigos?

    Atendimento bom gera mais negócios, mais amigos, mais clientes,… Atendimento é tudo!

    Abraços

  • f_clemente

    Mauro, excelente artigo! Todos os lugares, instituições, organizações, Órgãos públicos são carentes de profissionais educados, não digo bons e sim somente educados.. Passei minhas o final 1009 no litoral de SC, e nos bares de lá tinha que pedir pelo amor de Deus para ser atendido, e quase q era preciso abrir a cerveja no dente, pois os garçons de lá são horríveis. Agora em BH onde moro, vc vai na prudente de morais (local muito conhecido pela quantidade de bares) não é preciso nem colocar a cerveja no copo, sempre passa um garçom e te serve e sempre sorrindo. Isso sim que são os verdadeiros profissionais, se pudéssemos levar isso para o nosso dia a dia com certeza melhoraríamos não só a nossa vida, mas a de todos que nos cercam.
    Forte Abraço

  • Meu amigo, é dificil encontrar bons funcionários hoje em dia mesmo.

    Sergio – Criciúma – Santa Catarina

    Criciúma Web Sites

  • O fato de estarem em treinamento não justifica a atitude rude em tecer comentários como “esse é meu ganha pão”, os problemas pessoais do profissional nunca devem transpor a relação fornecedor-cliente, acredito ser uma atitude invasiva e desrespeitosa.

    Acredito que o treinamento deve ser foco de toda a empresa, para que mesmo no primeiro dia de trabalho os profissionais tenham uma sólida referência de conduta profissional em determinado ambiente.

    Paulo Alberto – Campinas SP
    http://www.bluetie.com.br | Inteligência Operacional

  • Pingback: Blog Empreendemia » Expoente RH – Empresa da Semana()

  • convidado

    Não precisa ser treinado pra ser bem educado????? Você não mora no Brasil, tenho certeza. Ou não mora no planeta, hahaha!

    Abraço!

    • Convidada

      Quem precisa de treinamento para aprender a dizer “desculpa”, “muito obrigado”. Isso se aprende até na creche. Então… não precisa ser treinado pra ser bem educado.

  • Luis

    Aqui em Brasília, serviço é praticamente um favor! Até uma situação em que o garçom praticamente nos orientou que a cozinha estava fechada e que os pedidos estavam suspensos. Pedimos só bebidas, e mesmo assim ele não se mostrou muito feliz em nos atender. Aqui é uma das piores cidades do Brasil para ser atendido. Salvo raras exceções, o povo que é garçom aqui não está nem um pouco interessado em servir!

  • Pingback: Global Comunic – Comunicação Integrada » 6 dicas de como criticar funcionários()

  • Pingback: Educando Seu Dinheiro – 6 dicas de como criticar funcionários()