empreendedor entendendo o que é factoring

Factoring: Entenda o que é e como funciona

Você que é microempreendedor e ainda não conhece o factoring, confira nosso artigo e descubra como melhorar o controle financeiro do seu negócio. Acompanhe!

(Clique no player para o ouvir a narração do nosso post! Deixe nos comentários o que achou.)

A atividade de empreender sempre acarreta muitos riscos, mas principalmente quando se tem uma estrutura menor, as dificuldades podem se tornar verdadeiros entraves para o negócio decolar.

Em meio ao cenário de crise enfrentado no Brasil, a burocracia para a concessão de crédito, taxas de juros elevadas e o aumento do risco inadimplência, os empresários precisam usar a criatividade e encontrar novas alternativas para solucionar os problemas do dia a dia e equilibrar a saúde econômica da sua companhia.

Uma maneira ágil e também vantajosa de obter recursos neste contexto são as empresas de factoring. Elas têm expandido cada vez mais o seu mercado, e proporcionado, especialmente aos pequenos negócios, a possibilidade de continuarem operando.

Você que é microempreendedor e ainda não conhece esse tipo de incentivo, confira nosso artigo e descubra como melhorar o controle financeiro do seu negócio. Acompanhe!

O que é Factoring?

Factoring ou fomento mercantil é uma forma de alavancar o desenvolvimento dos micro, pequenos e médios empreendedores, proporcionando uma capitalização facilitada por meio da compra dos créditos de suas vendas à prazo.

Podemos dizer que essa prática representa o adiantamento das receitas e garante certa estabilidade ao empresário que busca se consolidar no mercado, pois aumenta o seu poder de negociação.

Além da aquisição dos ativos, a empresa contratada também se responsabiliza por questões administrativas da contratante, como gerenciar o fluxo de caixa, receber dos compradores, pagar contas, dentre outras.

Vale destacar que as empresas de fomento mercantil não se confundem com as instituições financeiras, elas não realizam concessão de empréstimos ou fazem desconto de títulos como os bancos.

Sua competência se resume em adquirir títulos de crédito e se incumbir de controlá-los, sem que para isso tenham que fazer uso de recursos de terceiros.

Qual a sua origem?

A história do factoring pelo mundo remonta a Europa dos séculos XIV e XV, período em que o papel do Factor era exercido por um agente, e não por uma instituição empresária tal como conhecemos hoje.

Este agente mercantil vendia mercadorias pertencentes a outras pessoas em troca de comissão, uma espécie de representante comercial que percorria as colônias oferecendo produtos. É importante destacar que esse Factor era encarregado pela proteção da mercadoria e também em receber o pagamento, somente depois prestava contas ao comerciante.

Ao longo dos anos, esses indivíduos passaram a antecipar o pagamento aos fornecedores, era como se eles comprassem os itens para revender. E o processo foi evoluindo até chegar a maneira tal como conhecemos hoje.

Com qual finalidade ele é praticado?

O objetivo principal desta atividade comercial é proporcionar a liquidez financeira aos empreendimentos de menor porte.

O factoring auxilia os empresários a solucionarem seus problemas com escassez de recursos, bem como na gestão financeira, uma espécie de terceirização do setor administrativo.

Como funciona o Factoring?

A operação do factoring é uma relação que envolve três partes distintas:

  • o Factor: aquele que compra o crédito;
  • o Aderente: quem cede os seus haveres em troca do adiantamento da quantia;
  • o Devedor: indivíduo que fez a compra e deu origem ao crédito

A transação é formalizada quando o Factor assina um contrato de fomento mercantil com o Aderente, no qual estão estabelecidos as condições gerais e o fator de compra.

Mas tudo tem início a partir do momento em que o Aderente comercializa seu produto ou presta o serviço ao Devedor. Após o fato gerador da verba, a empresa negocia o referido crédito com o Factor.

Uma vez adquirido o título, a fomentadora procura o sacado e o informa sobre a compra e as formas de cobrança. Chegado o prazo ajustado para pagamento, Devedor quita sua dívida com o Factor, encerrando-se assim o procedimento.

As operações de factoring podem envolver tanto transações nacionais, como também internacionais, oriundas de negociações com empresas ou clientes fora do país.

Quais são as suas modalidades?

Factoring Convencional

É a forma mais praticada no Brasil, se concretiza por meio de contrato de fomento mercantil, o qual formaliza a aquisição dos direitos de créditos das empresas fomentadas.

Factoring Maturity

Modalidade factoring em que a atividade da fomentadora se resume em administrar as contas a receber da empresa fomentada, o empreendedor detentor do crédito não tem que se preocupar com cobrança;

Factoring Trustee

Se caracteriza por somar à obrigação do factoring convencional com o maturity, há o dever de administrar as contas a receber da empresa fomentada, ou seja, ela também exerce a função de gestão financeira;

Factoring Exportação

Categoria na qual a operação envolve exportação de bens ou serviços, e ela é intermediada por duas empresas de factoring, que defendem os respectivos interesses das empresas situadas em cada país compreendido na transação;

Factoring Matéria-Prima

Tipo de procedimento em que a Factoring atua como intermediária da sua cliente, a empresa fomentada e os seus fornecedores de matéria-prima.

O Factor paga à vista o fornecedor, e tem garantido seu direito futuro de receber da contratante o reembolso do valor correspondente, com os lucros colhidos da transformação desta matéria-prima. Quanto à forma de pagamento, o factoring ainda pode ser dividido em dois tipos:

Factoring com recursos

É a modalidade em que há obrigação de reembolsar o valor adiantado, caso o devedor não honre o seu compromisso. Podemos dizer que a fomentada tem responsabilidade subsidiária;

Factoring sem recursos

Espécie na qual o risco do inadimplemento é todo do Factor, ele suporta sozinho as consequências da falta de pagamento.

Quais as vantagens de usar o factoring?

Antecipação dos créditos

O empresário recebe à vista pelas vendas realizadas a prazo, o que implica em injeção de dinheiro ao caixa da empresa, sem ter que recorrer a empréstimos bancários. É uma forma dinâmica de dar um fôlego para a gestão financeira e encarar com solidez a alta competitividade do mercado, sem que para tanto tenha que se endividar.

Transferência do risco de inadimplemento

Dependendo da modalidade de factoring escolhida, o empreendedor não terá nenhuma dor de cabeça caso seu cliente falte com o pagamento da obrigação. Além do Factor ter a obrigação de lidar com os procedimentos de cobrança, existe a possibilidade de ele assumir o risco integral da negociação.

Assim, não recaem sobre as empresas fomentadas a preocupação de não receber o que lhe é devido, muito menos correr atrás dos clientes para cobrar.

Maior disponibilidade para focar em outros propósitos da sua empresa

Por diminuir os seus riscos do crédito, o empreendedor que contrata equipe especializada na gestão das contas, terá mais tempo para se dedicar a outros setores do seu negócio.

Por exemplo, concentrar esforços na conquista de novos clientes e fidelização dos antigos, capacitação do seu time de colaboradores, promoção de ações de marketing e intensificação do trabalho do seu time de vendas sem a necessidade de realizar cobranças, aumentar a produtividade de sua empresa, e, principalmente, maximizar a capacidade financeira.

Facilidade na compra de matéria-prima

É impossível uma empresa funcionar sem insumos, ainda que ela seja apenas prestadora de serviços será necessário um mínimo de itens para atuar. Entretanto, para quem está começando um negócio em geral os recursos de investimento são contados, e por isso precisam ser muito bem administrados.

Ao optar pelo factoring o empreendedor tem a vantagem de comprar todo o material à vista, sem precisar retirar do seu caixa essa quantia imediatamente, quem paga ao fornecedor é a Factoring.

Tal facilidade garante ao pequeno empresário melhores condições de negociação, podendo conseguir preços mais baixos e maiores quantidades, fortalecendo o seu poder para enfrentar os concorrentes.

Não incidência de juros

Ao contrário do que acontece com os empréstimos bancários, nas operações de factoring não incide cobrança de juros.Por óbvio que toda essa segurança e praticidade têm seu preço, afinal de contas, ninguém trabalha de graça.

Mas o que ocorre nessas situações é a utilização do chamado fator de compra. Baseando no referido parâmetro, a fomentadora analisa diversos aspectos da relação, como os riscos de calote, os impostos que recaem sobre a atividade, o perfil dos devedores, dentre outros.

Como utilizar o factoring?

Primeiramente é importante destacar que as operações de factoring só podem ser realizadas com pessoas jurídicas. Tal competência se explica pelo fato de que essas empresas prestam serviços comerciais, elas não são exploradoras de atividades econômicas como os bancos.

Quem deseja se valer dessa alternativa deve ter em mente que vários elementos são levados em consideração no momento de se determinar o fator de compra. Em regra, são os custos com: impostos, os riscos e expectativas de lucro, custos operacionais, com a realização das cobranças, a oportunidade de capital.

De maneira que para cada empresa e transação os valores serão diferentes. Calculado o fator de compra e aprovado o cadastro da fomentada, o contrato contendo os direitos e deveres de ambas as partes é confeccionado.

As empresas de factoring representam uma forma inovadora e estratégica para o empresário que necessita se capitalizar e administrar melhor os seus recursos, e no cenário de crise, elas vêm ganhando cada vez mais destaque no mercado.

Gostou de aprender o que é factoring e o seu modo de funcionamento? As informações deste post foram úteis? Continue aprendendo sobre como manter a saúde financeira do seu negócio em nosso artigo Processo de cobrança: Descubra como evitar a inadimplência.