Entrevista: Suhas Gopinath sobre empreendedorismo jovem

Entrevista: Suhas Gopinath sobre empreendedorismo jovem

Aos 17 anos, Suhas Gopinath foi reconhecido como “World’s  Youngest  CEO” por veículos como BBC e Washington Times. Ao longo de sua carreira (ainda muito promissora) já foi reconhecido por várias escolas de negócios e empreendedorismo na Índia e no resto do mundo.

Aos 17 anos, Suhas Gopinath foi reconhecido como “World’s  Youngest  CEO” por veículos como BBC e Washington Times. Ao longo de sua carreira (ainda muito promissora) já foi reconhecido por várias escolas de negócios e empreendedorismo na Índia e no resto do mundo.

Suhas é indiano e mora em Bangalore. Atua como CEO e Presidente da Globals Inc., empresa que ele fundou aos 14 anos e que rapidamente cresceu internacionalmente e está presente em 11 países.

Algumas outras honras que ele recebeu:

  • 2007 – “Young Achiever Award” pelo Parlamento Europeu.
  • 2008/2009 – um dos “Young  Global Leaders” pelo Fórum Econômico Mundial.
  • 2009 – faz parte do conselho de TIC do Banco Mundial
Suhas, empreendedor desde os 14 anos

Suhas empreendedor desde os 14 anos

1- Como você começou sua carreira como empreendedor?
Apesar de alguns contra-pesos, como ninguém da minha família ser envolvido em negócios e querer ser um veterinário quando estava na escola, acabei conhecendo a internet através do meu irmão mais velho num cyber café. Fiquei completamente fascinado pelo mundo da internet, mas eu tinha um problema, pois por volta de 1999-2000 uma hora de internet num cyber café custava 10 rúpias e minha mesada era de 25 rúpias.

Como o cyber café ficava fechado todos os dias entre 13 e 16h para almoço, enxerguei uma oportunidade e fiz um acordo com o dono da loja: eu cuidaria da loja durante essas horas para que seu faturamento aumentasse, mas em contrapartida não pagaria pelo uso da internet. Assim, passei grande parte das minhas horas aprendendo como construir websites e, depois de alguns meses, comecei a construir meu próprio portal, mirando oferecer suas habilidades de desenvolvimento web como um freelancer para pequenas e médias empresas dos EUA.

Foi muito difícil convencer empresas a comprarem meus serviços, já que todas queriam saber minhas qualificações acadêmicas e ficavam inseguras quando viam que era um garoto do colegial que queria ser seu freelancer para desenvolvimento web; foi aí quando meu espírito empreendedor deu uma guinada e decidi um dia abrir uma empresa que não recrutaria olhando para a parte acadêmica do candidato.

Quando uma empresa nos EUA me ofereceu uma bolsa de estudos para estudar lá e trabalhar para eles nos finais de semana, eu não aceitei. Sempre quis ser um empreendedor e foi quando, aos 14 anos, em 2000, abri a minha empresa.

2- Quais foram os desafios que você enfrentou como um empreendedor? Como você os superou?
Como falei, ser muito novo não ajudou muito no começo e na verdade até hoje atrapalha às vezes. Na última vez que fui convidado pra falar num seminário, não permitiram minha entrada já que pensaram que eu era um estudante, mas me apresentei pra eles como um dos palestrantes!

As competências são certamente um dos mais fortes critérios de escolha para um novo negócio, mas muitas vezes o que importa é quem é a pessoa que faz acontecer. Às vezes parceiros de negócios sentem-se inseguros vendo minha idade. Quando eu tinha 17 anos, uma das empresas parceiras não me autorizou a asssinar um contrato e exigiu um maior de 18 anos para isso.  Além disso, é bem complicado lidar com agências governamentais na Índia sendo menor de idade e com uma família de classe média não inserida no mundo dos negócios.

3- Que hábitos você ainda mantém dos seus primeiros dias como um empreendedor?
Não gastar muito dinheiro e levar uma vida modesta! Eu ainda uso meu tempo livre como voluntário em organizações que ajudam animais. Na vida profissional, eu tento ao máximo garantir uma grande harmonia com meus colegas, e garantir que sou acessível a todos os funcionários.

4- Qual é a sua mensagem para jovens empreendedores que estão enfrentando dificuldades parecidas com as que você teve?
Eu peço fortemente que jovens optem pelo empreendedorismo, não só como uma forma de liberdade para inovação, como também uma forma de contribuir com o crescimento econômico de sua região e, principalmente, como uma forma de ser socialmente responsável oferecendo empregos a outros jovens.

  • Pingback: Tweets that mention Entrevista: Suhas Gopinath sobre empreendedorismo jovem | Saia do Lugar -- Topsy.com()

  • Excelente post

    Um abraço.

  • Excelente post

    Um abraço.

  • Pingback: Top Semanal – Mundo Empresarial | Diego Roriz()

  • Muito bom!

  • Este é o exemplo que não só os jovens devem seguir mas também todas as pessoas que desejam desenvolver qualquer tipo de negócio.

  • luizpiovesana

    Ele é um exemplo de vida mesmo, Claudio.
    Tive a honra de conhecê-lo pessoalmente e depois de contar rapidamente sua
    história, ele ficou perguntando os casos das pessoas da sala (cerca de 10) –
    era impressionante o interesse dele em conhecer outras realidades também. O
    cara realmente merece estar lá.

    Abraços,
    Luiz

  • SGRZ

    Ele esta completamente certo quando diz: “Não contrarar somente pela parte acadêmica”. A parte acadêmica é importante sim, mas a história diz que a maioria dos grandes empreendedores não tiveram curso superior. As empresas que só pensam nisso na minha opnião estão no caminho errado. Muitas vezes deixam passar diamantes não lapidados para contratar um super-técnico que só sabe seguir ordens e mais ordens.

    Descobri o site a pouco tempo e só tenho a parabenizá-los pelo trabalho.

    • concordo plenamente quando tu fala de super-técnico,,, está cheio de pessoas assim o mercado. O pior de tudo que estes técnicos não sabem pensar o cotidiano.

      A universidade não forma pensadores e não cria demanda. Ela cria técnicos e atende a demanda por eles.

      Luiz Piovesana,,, boa a matéria….

  • luizpiovesana

    Obrigado pelos elogios ao blog – Sempre muito bom ouvir que temos um novo
    leitor!

    A questão do background acadêmico não tem como concordarmos mais: apesar de
    valorizarmos uma boa faculdade, o que importa quando contratamos na
    Empreendemia é o brilho nos olhos, a vontade de fazer mais e, claro, quais
    as experiências que ele já passou e como passou por elas – queremos sempre
    ouvir histórias.

    Você tem empresa?
    Já aproveitando, já conheceu nossa rede, o Empreendemia (
    http://www.empreendemia.com.br)?

    Abraços,
    Luiz

  • Muito bom o seu site. Que tal uma parceria?
    O meu site é o eCurrículo.net http://www.ecurriculo.net
    Havendo interesse entre em contato pelo e-mail [email protected]

  • Gostaríamos de convidá-los para uma parceria de TROCA DE LINKS.
    Havendo interesse, favor acessar http://www.ecurriculo.net/home/parceiros_3.php

    Atenciosamente,
    Equipe eCurrículo.net
    [email protected]
    http://www.ecurriculo.net

  • Gustavo

    Minha nossa, que porcaria de entrevista…saí sem saber ao certo quem é o cara…zero para quem montou as perguntas e zero para quem publicou essa porcaria….deveriam selecionar melhor o conteúdo, pois qualidade é essencial (pra não dizer básico)

  • Daniel Macedo

    Meu Amigo, nunca tinha visto algo tão impressionante como desta vez… esta entrevista nos faz acreditar a cada dia no potencial que temos e muitas vezes não vemos, e só enxergamos as dificuldades no caminho !!!!
    Parabéns e você foi privilegiado por te-lo conhecido pessoalmente.
    Estou com meu projeto em andamento se quiser ver fique a vontade ! http://www.hulahoopi.com.br

  • luizpiovesana

    Olá Daniel, tudo bem?

    Realmente, conseguir enxergar não só as dificuldades é o que diferencia os
    empreendedores (e também os otimistas). Se você ficar sempre analisando o
    que você tem a perder, nunca sairá do lugar e, no fim, também não ganhará
    nada.

    Tentei entrar no site do seu projeto, mas não deu certo. Mas já fico feliz
    em ver que está empreendendo também!

    Abraços,
    Luiz

  • Augusto

    “Superou a pobreza” mas ganhava 25 rupias de mesada todos os meses né? Queria ter sido pobre igual ele. Nunca tive mesada.

    • Favini

      Olá, 25 Rúpias hoje dá menos de R$1,00. Tirou leite de pedra, ele está de parabens.

  • Além das metas é necessário ter disciplina, é por isso que a maioria das pessoas vive infelizes no ponto da realizaçao pessoal

  • Além das metas é necessário ter disciplina, é por isso que a maioria das pessoas vive infelizes no ponto da realizaçao pessoal

  • Pingback: Empreendedorismo e adolescência combinam? « MERKUS()

  • WooSEO

    Incrivel, esta matéria, um jovem empreendedor, hoje ja temos alguns outros no mesmo caminho como por exemplo nosso querido Mark Zuckberg.  http://www.wooseo.com.br

    Forte Abraço !

  • Wesley

    Muito boa essa matéria, e realmente concordo que o mercado procura muito o diploma e esquece de olhar o brilho nos olhos a hostoria do profissipnal. Até pq faculdade formam empregados e funcionários publicos do que empreendedores.

  • Pingback: Global Comunic – Comunicação Integrada » 8 coisas que as faculdades não contam para os jovem empreendedores()