Empreender é mais legalpúblico-alvo.

">

Empreender é mais legal

Uma das coisas mais divertidas que podemos contar sobre esse processo de abrir a empresa é o apoio que temos recebido. Chegamos à conclusão de que realmente as pessoas veem o cara que abre o próprio negócio como alguém ambicioso e corajoso. Ou seja, interessante.
Para explicar melhor esse fenômeno (não o que está no Corinthians), citarei um trecho do blog Nothing to Lose do jovem empreendedor americano Brian Linton (realmente recomendo a leitura desse blog).

Uma das coisas mais divertidas que podemos contar sobre esse processo de abrir a empresa é o apoio que temos recebido. Chegamos à conclusão de que realmente as pessoas veem o cara que abre o próprio negócio como alguém ambicioso e corajoso. Ou seja, interessante.
Para explicar melhor esse fenômeno (não o que está no Corinthians), citarei um trecho do blog Nothing to Lose do jovem empreendedor americano Brian Linton (realmente recomendo a leitura desse blog).

“Como um empreendedor, você é a pessoa mais importante para a sua empresa; seus clientes e sua própria sobrevivência dependem de você. Na maior parte do tempo se você não fizer algo, ninguém fará. Como resultado disso, você é uma pessoa interessante. Não importa se você vende palitos de dente, aviões ou informação, você é um empreendedor e empreendedores são interessantes.

Percebendo que você é interessante é um passo importante para que possa comunicar efetivamente sua história pessoal e deixar uma marca nas pessoas que a ouvem. O público é fascinado por empreendedores. Histórias de empreendedores de sucesso são sempre um tema popular em revistas e jornais. As pessoas preferem muito mais ler sobre um empreendedor que criou um produto único e ganhou milhões do que sobre o produto novo da Procter&Gamble; que fatura bilhões. Nós nos identificamos com empreendedores porque eles são pessoas como nós, só que mais interessantes.”

Pela pouca, mas extremamente intensa experiência própria, fazemos nossas as palavras de Brian e agradecemos muito a todo o apoio dado a nós nesse começo da jornada.

Abraços,
Millor Machado (na saga para se tornar interessante)

p.S.: Falando em apoio de amigos, por favor, comentem os tópicos!

  • Opa, estou comentando.

    Ser empreendedor é uma mistura fascinante e assustadora. Em alguns momentos chega a dar um frio na barriga, principalmente quando temos que enfrentar alguma situação nunca antes imaginada por nós.

    Ser empreendedor no Brasil é ainda mais complicado e mais assustador, ainda mais quando você “descobre” algunas impostos que não estavam no programa. Mesmo que você se informe e se planeje direitinho, de repente surge um do nada. As mudanças que os empresários brasileiros tem que acompanhar em termos de legislação é absurda. E vejo meu contador me dizer isso.

    Eu imagino que um empreendedor acostumado com os revézes brasileiros, se dê relativamente bem (ou muito bem) nos Estados Unidos por exemplo. Com a “escola brasileira” de se fazer negócios, um empreendedor “nacional” em terras estrangeiras se sentiria nas nuvens, em uma mar de estabilidade tributária.

    Digo isso porque um amigo meu que foi aos Estados Unidos para trabalhar (a mais de 10 anos atrás) e estudar inglês, decidiu abrir uma empresa de limpeza (coisa que nós dificilmente faríamos aqui) e dadas as oportunidades, facilidades, estímulos governamentais, ele se deu muito bem e cresceu muito, vendendo sua empresa por alguns milhões de dólares.

    Casado e de volta ao Brasil, abriu um supermercado na cidade de sua esposa, comprou um sítio, uma fazenda e voltou a luta. Porém, as dificuldades que está enfrentando são muito maiores daquelas que ele teve nos Estados Unidos. Resumindo: ele está apanhando bastante para sobreviver.

    Como alguém que conseguiu ganhar milhões com uma empresa de limpeza nos Estados Unidos, sofre para manter um Supermercado em uma cidade do interior de Minas?

    Realmente, não é a toa que eu chamei o meu Blog de Super Empreendedores. Para ser empreendedor no Brasil, você tem que ser um Super Herói.

  • Opa, estou comentando.Ser empreendedor é uma mistura fascinante e assustadora. Em alguns momentos chega a dar um frio na barriga, principalmente quando temos que enfrentar alguma situação nunca antes imaginada por nós.Ser empreendedor no Brasil é ainda mais complicado e mais assustador, ainda mais quando você “descobre” algunas impostos que não estavam no programa. Mesmo que você se informe e se planeje direitinho, de repente surge um do nada. As mudanças que os empresários brasileiros tem que acompanhar em termos de legislação é absurda. E vejo meu contador me dizer isso.Eu imagino que um empreendedor acostumado com os revézes brasileiros, se dê relativamente bem (ou muito bem) nos Estados Unidos por exemplo. Com a “escola brasileira” de se fazer negócios, um empreendedor “nacional” em terras estrangeiras se sentiria nas nuvens, em uma mar de estabilidade tributária.Digo isso porque um amigo meu que foi aos Estados Unidos para trabalhar (a mais de 10 anos atrás) e estudar inglês, decidiu abrir uma empresa de limpeza (coisa que nós dificilmente faríamos aqui) e dadas as oportunidades, facilidades, estímulos governamentais, ele se deu muito bem e cresceu muito, vendendo sua empresa por alguns milhões de dólares.Casado e de volta ao Brasil, abriu um supermercado na cidade de sua esposa, comprou um sítio, uma fazenda e voltou a luta. Porém, as dificuldades que está enfrentando são muito maiores daquelas que ele teve nos Estados Unidos. Resumindo: ele está apanhando bastante para sobreviver.Como alguém que conseguiu ganhar milhões com uma empresa de limpeza nos Estados Unidos, sofre para manter um Supermercado em uma cidade do interior de Minas?Realmente, não é a toa que eu chamei o meu Blog de Super Empreendedores. Para ser empreendedor no Brasil, você tem que ser um Super Herói.

  • Oi Sergio,
    Realmente definitivamente ser empreendedor não é uma coisa fácil.
    Na nossa visão, as principais dificuldades são as questões burocráticas e o conhecimento de gestão. Infelizmente não temos nenhum poder sobre a burocracia, é algo que vamos ter que aceitar e conviver. Em compensação o conhecimento nós podemos tornar algo mais acessível e essa é a nossa proposta.
    Muito obrigado pela participação no nosso blog!

    Grande abraço!
    Millor Machado
    http://saiadolugar.blogspot.com

  • Oi Sergio,Realmente definitivamente ser empreendedor não é uma coisa fácil.Na nossa visão, as principais dificuldades são as questões burocráticas e o conhecimento de gestão. Infelizmente não temos nenhum poder sobre a burocracia, é algo que vamos ter que aceitar e conviver. Em compensação o conhecimento nós podemos tornar algo mais acessível e essa é a nossa proposta.Muito obrigado pela participação no nosso blog!Grande abraço!Millor Machadohttp://saiadolugar.blogspot.com

  • Thiago Kovtunin

    Estou de acordo que ser empreendedor no Brasil é bem complicado pelos motivos já citados.
    Por outro lado, são poucos os outros países no mundo que podem dar tantas oportunidades para alguém, com vontade de trabalhar, abrir uma empresa se analisarmos o seguinte: ainda existe muita coisa para se fazer em nosso pais, muitos campos ainda não explorados e hoje ainda supridos por recursos vindo de fora.

    O problema maior, creio eu, é o começo. Os 5 primeiros anos é defenitivamente um trabalho para um super-héroi, mas passada esta fase, nem o céu é o limite. Para quem já tem capital e um reconhecimento mínimo no mercado (daí a dificuldade nos primeiros anos de empresa), o caminho se torna bem mais fácil para o crescimento de uma empresa bem administrada e com gente capacitada disposta a trabalhar. O incentivo para começar é mínimo, mas também não existe legislação eficiente para evitar a concetração de renda, ao contrário de outros países, por isso minha afirmação anterior: “nem o céu é o limite”.

    Abraços

  • Thiago Kovtunin

    Estou de acordo que ser empreendedor no Brasil é bem complicado pelos motivos já citados.Por outro lado, são poucos os outros países no mundo que podem dar tantas oportunidades para alguém, com vontade de trabalhar, abrir uma empresa se analisarmos o seguinte: ainda existe muita coisa para se fazer em nosso pais, muitos campos ainda não explorados e hoje ainda supridos por recursos vindo de fora.O problema maior, creio eu, é o começo. Os 5 primeiros anos é defenitivamente um trabalho para um super-héroi, mas passada esta fase, nem o céu é o limite. Para quem já tem capital e um reconhecimento mínimo no mercado (daí a dificuldade nos primeiros anos de empresa), o caminho se torna bem mais fácil para o crescimento de uma empresa bem administrada e com gente capacitada disposta a trabalhar. O incentivo para começar é mínimo, mas também não existe legislação eficiente para evitar a concetração de renda, ao contrário de outros países, por isso minha afirmação anterior: “nem o céu é o limite”.Abraços

  • Pingback: Os 10 mitos sobre empreendedorismo | Saia do Lugar()

  • Quem é mais interessante, uma pessoa que ficou rica atravéz de herança,loteria ou uma que CONQUISTOU o sucesso?

    Acho que o importante não é TER sucesso, dinheiro. Mas o caminho que percorremos até chegar ao sucesso nos torna pessoas interessantes!

    Muitos empreendedores tem uma ansiedade de conquistar o sucesso RÁPIDO.
    Ganhadores do BIG Brother, disseram que quando sairam da casa, depois de sofrerem um processo de 3 meses, sairam pessoas melhores do que entraram.
    Talvez se eles tivessem ganhado 1 milhão, sem “sofrer” 3 meses, não teriam esse crescimento pessoal.

  • Quem é mais interessante, uma pessoa que ficou rica atravéz de herança,loteria ou uma que CONQUISTOU o sucesso?

    Acho que o importante não é TER sucesso, dinheiro. Mas o caminho que percorremos até chegar ao sucesso nos torna pessoas interessantes!

    Muitos empreendedores tem uma ansiedade de conquistar o sucesso RÁPIDO.
    Ganhadores do BIG Brother, disseram que quando sairam da casa, depois de sofrerem um processo de 3 meses, sairam pessoas melhores do que entraram.
    Talvez se eles tivessem ganhado 1 milhão, sem “sofrer” 3 meses, não teriam esse crescimento pessoal.

  • Pra saber que é mais legal, só tentando mesmo – a outra opção de ser empregado sempre será aparentemente mais confortável.

  • elencezar

    Acredito que o lado que mais fascina e faz com que as pessoas achem o empreendedor interessante é o fato do empreendedor de não ter medo de dar a cara pra bater, de mergulhar fundo no que acredita.

    A maioria das pessoas quer viver na estabilidade, vide a indústria dos concursos que a cada ano cresce mais. Vejo muitos amigos que visualizam boas oportunidades, mas não tem coragem de dar um passo sequer na direção de saber se a ideia é viável ou não.

    Não tiro o mérito de quem gosta do que faz e faz bem feito dentro de uma organização ganhando o devido salário no fim do mês. O que não acho legal é ver tanta gente insatisfeita no trabalho e não fazer nada para mudar.

    Aí que entra a questão do empreendedor ser “interessante”, ele é diferente, ele não se conforma com pouco, ele quer sempre mais desafios que possam ser superados.

  • Concordo plenamente Elen!

    Não necessariamente o empreendedor não tem medo, mas ele consegue superar
    esse medo e dar a cara a tapa.

    Inclusive, o mais legal é que em geral as pessoas não parabenizam um projeto
    ou o empreendimento si. A primeira coisa que normalmente ouvimos é:
    “Parabéns pela iniciativa!”

  • Parabéns pelo excelente blog.

    O Brasil realmente é um país que não favorece a cultura de empreendedorismo por questões históricas. O cenário está mudando, e daqui há alguns anos não tenho dúvida que estaremos numa situação bem melhor, relativo ao empreendedorismo.

    Não concordo com a generalização colocada no artigo. Empreendedores nem sempre são pessoas interessantes. E isso acontece em qualquer profissão e trabalho. Não é só porque a pessoa é um empreendedor que ela é interessante. Conheço pessoalmente empreendedores bem sucedidos, que trabalham sem parar, só pensam no sucesso, e esquecem o mundo e as pessoas ao redor. Eu inclusive costumava ser uma delas. E isso não me tornou uma pessoa mais interessante, muito pelo contrário.

    Na minha experiência pessoal, posso até falar que a grande maioria é egocêntrica e não consegue pensar de maneira diferente, pq ficam toda ora olhando para o passado e se vangloriando das conquistas. O mundo muda, e grande parte fica para trás, outros aparecem com sua história de conquistas e o ciclo continua.

    Um empreendedor é uma pessoal normal. Como qualquer outra. A única diferença é que a ALGUNS empreendedores conseguem planejar, correr riscos calculados, tem um bom networking, e metas bem definidas. E isto não te torna automaticamente uma pessoa mais interessante, mas te dá a possibilidade de executar planos e ações com mais facilidade. Isto pode ser treinando e aprendido por qualquer um. E você pode usar isso, tanto para traficar drogas, fazer guerras, levantar indústrias, prestar serviços, criar ongs, lutar por uma causa social, ser politico, entre outros.

    Se está começando agora a jornada do empreendedorismo, as dicas que posso dar é definir muito bem as metas, fazer empretec do sebrae e não esquecer em momento algum das pessoas que estão ao seu lado.

  • Oi Luis,

    A ideia do artigo é falar que o empreendedor por definição precisa fazer as coisas, senão ninguém fará por ele. Numa analogia do circo, o empreendedor não usa redes de proteção, o que é interessante.

    Lógico que o empreendedor é uma pessoa normal e pode muito bem ser um “escroto”, não tenho dúvidas disso. Mas considerando 2 boas pessoas, uma delas não correndo riscos e outra dando a cara a tapa, tendo a achar que a que dá a cara a tapa é mais interessante.

    Planejar e correr riscos calculados até pode ser aprendido por qualquer um, mas existem pessoas que não tem coragem de colocar esse aprendizado em prática. É justamente a ousadia que faz o empreendedor interessante.

    Abraços!

  • Concordo plenamente Elen!

    Não necessariamente o empreendedor não tem medo, mas ele consegue superar
    esse medo e dar a cara a tapa.

    Inclusive, o mais legal é que em geral as pessoas não parabenizam um projeto
    ou o empreendimento si. A primeira coisa que normalmente ouvimos é:
    “Parabéns pela iniciativa!”

  • Parabéns pelo excelente blog.

    O Brasil realmente é um país que não favorece a cultura de empreendedorismo por questões históricas. O cenário está mudando, e daqui há alguns anos não tenho dúvida que estaremos numa situação bem melhor, relativo ao empreendedorismo.

    Não concordo com a generalização colocada no artigo. Empreendedores nem sempre são pessoas interessantes. E isso acontece em qualquer profissão e trabalho. Não é só porque a pessoa é um empreendedor que ela é interessante. Conheço pessoalmente empreendedores bem sucedidos, que trabalham sem parar, só pensam no sucesso, e esquecem o mundo e as pessoas ao redor. Eu inclusive costumava ser uma delas. E isso não me tornou uma pessoa mais interessante, muito pelo contrário.

    Na minha experiência pessoal, posso até falar que a grande maioria é egocêntrica e não consegue pensar de maneira diferente, pq ficam toda ora olhando para o passado e se vangloriando das conquistas. O mundo muda, e grande parte fica para trás, outros aparecem com sua história de conquistas e o ciclo continua.

    Um empreendedor é uma pessoal normal. Como qualquer outra. A única diferença é que a ALGUNS empreendedores conseguem planejar, correr riscos calculados, tem um bom networking, e metas bem definidas. E isto não te torna automaticamente uma pessoa mais interessante, mas te dá a possibilidade de executar planos e ações com mais facilidade. Isto pode ser treinando e aprendido por qualquer um. E você pode usar isso, tanto para traficar drogas, fazer guerras, levantar indústrias, prestar serviços, criar ongs, lutar por uma causa social, ser politico, entre outros.

    Se está começando agora a jornada do empreendedorismo, as dicas que posso dar é definir muito bem as metas, fazer empretec do sebrae e não esquecer em momento algum das pessoas que estão ao seu lado.

  • Oi Luis,

    A ideia do artigo é falar que o empreendedor por definição precisa fazer as coisas, senão ninguém fará por ele. Numa analogia do circo, o empreendedor não usa redes de proteção, o que é interessante.

    Lógico que o empreendedor é uma pessoa normal e pode muito bem ser um “escroto”, não tenho dúvidas disso. Mas considerando 2 boas pessoas, uma delas não correndo riscos e outra dando a cara a tapa, tendo a achar que a que dá a cara a tapa é mais interessante.

    Planejar e correr riscos calculados até pode ser aprendido por qualquer um, mas existem pessoas que não tem coragem de colocar esse aprendizado em prática. É justamente a ousadia que faz o empreendedor interessante.

    Abraços!

  • Excelente post!

    Acho que a definição do Sergio de “fascinante e assustadora” é a que melhor descreve aquilo que sentimos, ainda mais quando se fala de startups web, a coisa se intensifica ainda mais. hehe.

    Abraços!

  • Com certeza absoluta Richard!

    Essa adrenalina de empreender a sensação de dever cumprido quando as coisas
    começam a dar certo são fantásticas.

    Por curiosidade, o que faz sua startup?

    Abraços!

  • Não posso detalhar ainda (acho que posso dizer que estou em fase garagem), mas é basicamente um portal de nicho em uma área muito explorada por ecommerces, mas sem nenhum grande avanço quando se fala em sociabilizar a coisa.

  • Muito bom Richard. Se te interessar, recomendo dar uma lida na nossa sessão
    sobre Desenvolvimento de
    Produtos<http://saiadolugar.com.br/tag/desenvolvimento-de-produtos&gt;
    .

    Abraços!

  • A menos de um mês que conheci este blog, e já estou seguindo no #twitter, assim como também, não perco nenhuma matéria publicada. Portanto, este post não ficou para trás em qualidade, tão pouco em informação de boa qualidade, afinal todos nós temos um empreendedor dentro do nosso ser, o que falta é criar a coragem de ousar, de fugir os nossos conceitos. É como diz no livro “O Código da Inteligência – Augusto Cury” (recomendo), existe pessoas sensacionais, com idéias surpreendentes, mas que se aprisionam no medo do futuro e do desconhecido.
    Então, deixo uma frase que sempre escutei de um professor – O “NÃO” já tem, corra atrás do seu “SIM”.

    Anraços a todos.

  • Oi Millor, adoro estas verdades:
    “se você não fizer algo, ninguém fará…”
    “…sua própria sobrevivência dependem de você…”
    >> Válidas para empreendedores e para todas as pessoas AMBICIOSAS, CORAJOSAS e INTERESSANTES!
    🙂

  • Oi Dionne,

    Fico muito feliz em saber que o Saia do Lugar se tornou leitura diária sua.
    Espero que nosso conteúdo esteja te ajudando no seu dia-a-dia.

    Essa frase sobre “o não você já tem” é muito boa. É algo que sempre
    lembramos quando estamos com medo de algo.

    Não sei se você já viu esse vídeo, mas trata justamente sobre isso:
    http://saiadolugar.com.br/2009/07/28/video-

    Abraços!

  • Oi Adri!

    Gostei do “pessoas ambiciosas, corajosas e interessantes”. Pode ser uma boa
    forma de definir o empreendedor.

    Lembrei agora, ainda não vi o perfil da Mencione no Empreendemia hein? 😉
    Tenho certeza que o sistema será muito interessante para vocês.

    Abraços!

  • A maioria dos meus RT no twitter vieram deste blog. Muita informação legal com comentário legal.

  • Gosto muito desse trecho…
    Diferente do emprego, a empresa é o empreendedor. Você não bate cartão depois do horário, vai para casa e volta no outro dia. Você dorme com a empresa na cabeça, sonha com ela, acorda e idealiza, investe, enfim…respira seu empreendimento. Por isso, é preciso fazer aquilo que se gosta. Descubra, portanto, se o seu produto tem a ver com o seu sonho, se ele é sua paixão. Se for, invista e transforme sua paixão em um projeto.

  • Muito obrigado Valder!

    Fique sempre a vontade pra sugerir temas que você achar interessantes pra
    serem abordados por aqui.

    Abraços!

  • Gustavo Freitas

    Fala Millor, tudo bem?

    Bastante interessante mesmo. Isto é um fenômeno. Basta você propor uma idéia empreendedora e que tenha algum potencial para que você passe a ser visto com outros olhos. Inclusive aumentando seu networking. É bastante curioso o fato de que o potencial empreendedor desperta idéias nas pessoas que ouvem e participam deste ciclo.

    Bem legal!

    Abraços!

  • Pois é Gustavo, isso foi uma coisa que percebemos no começo da empresa.
    Quando o projeto começa a sair é ainda mais impressionante essa reação das
    pessoas.

    Por sinal, como tem ido seu empreendimento? Seria muito bacana compartilhar
    sua história com os outros leitores.

    Abraços!

  • andremoreira

    Olá Millor, tudo bem?

    Também sou um Empreendedor e me identifiquei muito com este post.
    Realmente empreendedores são pessoas interessantes e muitas vezes fascinantes.
    Assim como vc também estou no caminho de me tornar um cara interessante…rs
    Isso só depende de nós mesmos!

    Mto sucesso pra vc e seus sócios e PARABENS pelo Blog e pelo Empreendemia… fantástico

    Abraço

  • Andre,

    Muito obrigado pelo apoio.

    É muito legal ver pessoas passando pela mesma situação que nós. Bom saber
    que você tem percebido que empreender é mais legal. Pode ter certeza que
    esse é um ótimo caminho e para alcançarmos o sucesso é uma mera questão de
    tempo.

    Abraços!

  • Empreendedores são interessantes…

  • Empreendedores são interessantes…

  • Rodrigo Felix

    Fera d+, gostei do texto irmão. Abraço.

  • Pingback: Características do empreendedor: | Saia do Lugar()

  • Pingback: O empreendedor é a peça-chave de uma empresa | Cooperblog - eCoopertec()

  • Pingback: Iamar Blog()

  • Orozimbo Rosa

    E não é por acaso que se diz “espírito empreendedor”. Pois este “espírito” compreende todo um conjunto de habilidades e atitudes de pessoas vencedoras. 

  • Pingback: Os 10 mitos sobre empreendedorismo | Conteúdo | Marketing Shop()