equipe ilustrando o conceito de empreendedorismo corporativo

O que é empreendedorismo corporativo?

O conceito do empreendedorismo corporativo é definido como um conjunto de ações ou procedimentos dentro de um negócio já existente, visando a maximização de resultados.

O aumento do número de trabalhadores deixando seus empregos para apostar no sonho de montar o próprio negócio, colocou a tona um tema bastante significativo: o empreendedorismo corporativo.

Hoje, ter capital para investir e algum projeto diferenciado para tirar do papel, não é garantia de que as coisas darão certo, nem que ele vá prosperar. Além da capacidade teórica, outras aptidões também se fazem necessárias e requerem ser aprofundadas ao longo da carreira de empreendedor.

Pensando nisso, preparamos um post para ajudá-lo neste desafio. Acompanhe agora o que você precisa saber sobre este poderoso método!

Qual o significado do empreendedorismo corporativo?

O conceito do empreendedorismo corporativo é definido como um conjunto de ações ou procedimentos dentro de um negócio já existente, visando a maximização de resultados.

Seu mecanismo baseia nos pilares da inovação – lançar novos produtos, sistemas de criação; e na renovação– atualização constante de suas abordagens e técnicas; sempre no intuito de crescimento e superação da alta competitividade do mercado.

Podemos ilustrá-lo como um ciclo de revitalização da estrutura organizacional de uma empresa. Não é o fato de possuir produtos de qualidade que seu sucesso e estabilidade estão garantidos, pois as necessidades dos consumidores se modificam.

Portanto, quem não abre a visão aos novos rumos e oportunidades corre sérios riscos de fracassar.

É neste contexto que o empreendedorimo corporativo faz toda a diferença, ele otimiza a aptidão de reconhecer as direções e os recursos utilizados em favor da companhia.

Como implementar?

Colocá-lo em prática depende de uma transformação clara e objetiva da cultura do empreendimento. Para tanto, é essencial que as mudanças propostas deixem de ser apenas um discurso, mas que os gestos concretos espelhem o novo caminho.

É um passo importante a ser realizado, e a finalidade de que ele seja efetivo, depende não somente dos profissionais encarregados pela gestão – os funcionários em geral precisam entendê-lo e manifestar comprometimento.

Ou seja, o objetivo da estratégia realmente funcionar é obtido quando comandantes e comandados trabalham em sintonia. Dessa maneira, a troca de informações favorece bastante na missão.

Assim, estimule seus talentos a agregar conhecimentos e compartilhá-los com os demais colegas, dê responsabilidades e liberdade, a fim de estimular a criatividade. Faça com que eles enxerguem no erro o momento de rever conceitos e cresça com os tropeços.

Especialmente durante o processo de transição, programas de recompensas contribuem para aumentar a motivação e produtividade dos funcionários. Logo, conceda bonificações, critérios de promoção, o que for conveniente à inserção desta nova realidade.

Quais as características de destaque deste empreendedor?

1. Espírito inovador

Toda empresa em dado momento carece da criatividade do seu líder para solucionar problemas ou manter os índices de crescimento em ascensão.

Neste sentido, uma das habilidades indissociáveis ao empreendedor corporativo é a sua capacidade de inovação. Isso não significa ter ideias revolucionárias a cada dia, às vezes pequenas mudanças têm o poder de trazer resultados expressivos.

O mais importante é conservar a mente aberta, estar sempre disposto a absorver novos conhecimentos, se permitir a testar outras experiências, e jamais acomodar-se com o momento de sucesso.

2. Não ter medo de ousar

O dirigente que tem medo de ousar certamente perderá boas oportunidades ao longo de sua carreira, que por sinal tem grandes chances de ser curta.

Obviamente a essa liberdade impõem limites, pois aventurar-se por novos caminhos exige o cálculo prévio dos riscos da operação. É fato que incertezas sempre existirão, mas quando as ações são devidamente planejadas, alguns prejuízos podem ser evitados.

O entusiasmo para expor novas ideias e enfrentar obstáculos também deve ser cultivado entre os demais funcionários da companhia e não somente entre os envolvidos na gestão.

Assim, todos reagirão positivamente quando houver necessidade de propor mudanças, pois existirá um alinhamento de pensamento, uma postura proativa e vontade de crescer junto com a empresa.

3. Visão sistêmica

A visão sistêmica está relacionada ao domínio geral sobre o funcionamento do negócio, estar por dentro do que acontece em todas as etapas da atividade, sejam elas referentes ao processo de produção ou meramente administrativas.

Com tal característica, o empreendedor consegue enxergar melhor o seu papel diante da estrutura organizacional, bem como o dos colaboradores. E, consequentemente, promoverá a integração do ambiente de maneira eficiente.

4. Boa comunicação

Para que a atuação do empreendedor corporativo alcance a eficiência, dentre outros fatores, a competência na comunicação com os integrantes da sua equipe é fundamental.

Com essa peça chave, as chances de engajar o time com as metas da empresa são ainda maiores.

Funcionários bem informados se sentem valorizados e não medirão esforços para que os objetivos da companhia se transformem em projetos concretizados.

A comunicação interna é realizada por meio da abertura ao diálogo, mostrando os comportamentos esperados e indispensáveis à convivência harmônica no ambiente de trabalho.

E implementar esta política não se resume na troca de dados, é preciso coletar as informações e proporcionar uma análise dos pontos positivos e negativos de cada setor – práticas bem-sucedidas devem servir de modelo para as demais repartições.

A integração proporcionada pela endocomunicação assegura que os procedimentos do negócio fluam com agilidade, pois ela facilita na identificação e direcionamento para a melhor trajetória.

Estas são as razões pelas quais verdadeiros líderes demandam empenho no referido atributo.

Quais as vantagens do empreendedorismo corporativo?

  • Redução de custos: Projetos elaborados a luz do empreendedorismo corporativo, em regra, conseguem extrair o máximo dos recursos utilizados, pois eventuais problemas já foram identificados e solucionados;
  • Aumento da produtividade: empresas que promovem esse tipo de metodologia têm a preocupação com o ambiente de trabalho e investem nos seus talentos, contribuindo assim para um melhor desempenho de sua equipe;
  • Incentivo à ideia de colaboração: os funcionários passam a entender que juntos eles são muito mais fortes, e o sucesso da empresa também representa uma vitória pessoal, consequentemente as atividades terão maior rendimento.

O empreendedorismo corporativo veio para quebrar o modelo engessado de gestão em que liderar significava apenas dar ordens, sem a sensibilidade de ouvir a opinião dos envolvidos. E, por mais que a organização seja consolidada, inovar suas ações e explorar diferentes possibilidades é importante tanto para os lucros da empresa, quanto para o amadurecimento profissional.

Gostou deste post? Entendeu como o uso das táticas adequadas potencializam o seu negócio? Então continue aprofundando seus conhecimentos fazendo a leitura do nosso artigo Empreendedorismo: sinônimo de identificar problemas para gerar oportunidades.