empreendedorismo brasileiro

Empreendedorismo brasileiro desenvolve pelo sonho, necessidade ou alternativa?

Muito se ouve sobre empreendedorismo brasileiro. O Brasil já foi considerado um dos países mais empreendedores do mundo e ter o próprio negócio é um dos três maiores sonhos do brasileiro.

Muito se ouve sobre empreendedorismo brasileiro. Principalmente com a facilidade de acesso à informação que a tecnologia nos trouxe. Conteúdo não falta na internet. O assunto também está nas empresas, universidades, mesas de bares e restaurantes e até mesmo no sofá de casa.

O Brasil já foi considerado um dos países mais empreendedores do mundo e ter o próprio negócio é um dos três maiores sonhos do brasileiro. E existe um tipo de empreendedorismo crescendo e atraindo os olhares de especialistas da área.

Qual é o motivo que leva o brasileiro a desenvolver habilidades empreendedoras? Já parou para pensar nisso? O que move uma pessoa a abrir seu próprio negócio?

Será que a situação que o país está vivendo pode ter alguma influência? Nesse post, vamos buscar encontrar a resposta para essas e outras perguntas.

Empreendedorismo por oportunidade x necessidade

Quando se trata de motivação para abrir um negócio, existem dois tipos de empreendedorismo: por necessidade e por oportunidade. Uma pesquisa da Global Entrepreneurship Monitor (GEM), realizada no Brasil pelo Sebrae e pelo Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP), revelou dados interessantes.

Segundo as informações divulgadas, o empreendedorismo por necessidade voltou a crescer no Brasil de modo expressivo. Para entender o que isso significa, precisamos explicar que empreender por necessidade é diferente de fazê-lo por oportunidade.

Na primeira opção, quem empreende por necessidade normalmente não vê mais opções de trabalho e precisa pagar as contas de alguma forma. Para garantir o sustento, muitas vezes, abre-se um negócio sem muito planejamento, pensando somente em conseguir retorno financeiro o quanto antes.

Já quem empreende por oportunidade, mesmo tendo outras opções de emprego, opta por abrir um negócio. A escolha geralmente envolve um planejamento prévio e possui objetivos bem definidos.

O percentual de empresas criadas por necessidade estava em torno de 29% até 2014. Em 2015, o número saltou para 43% e se manteve estável em 2016, segundo o Sebrae. Este percentual considera novas empresas com até 3,5 anos de funcionamento.

O crescimento do empreendedorismo por necessidade pode estar ligado aos momentos de crise que o Brasil tem enfrentado nos últimos tempos. Desde 2014, o país sofre uma recessão e houve queda no crescimento da economia.

Dessa forma, esse cenário pode ter causado o aumento no número de pessoas que abriram seu próprio negócio, muito mais por falta de opção de trabalho do que por ter um encontrado uma boa oportunidade.

O terceiro maior sonho do brasileiro

Seja por necessidade ou oportunidade, ter o próprio negócio continua sendo o terceiro maior sonho do brasileiro, segundo a GEM. Três a cada dez brasileiros adultos, entre 18 e 64 anos de idade, possuem uma empresa ou estão envolvidos com a criação de um negócio próprio.

Nesse sentido, empreender além de ser um sonho virou uma alternativa. Em um ano em que a taxa de desemprego se mantém acima de 10%, a saída é criar o seu próprio trabalho. Muitos brasileiros que perderam o emprego nos últimos tempos enxergam no empreendedorismo uma boa saída para voltar ao mercado de trabalho.

A pesquisa também apontou outro dado interessante. Pela primeira vez, o número de pessoas que almejam ter seu próprio negócio chegou a ser quase o dobro das que desejam fazer carreira em uma empresa.

Cerca de 31% dos brasileiros querem ter uma empresa, enquanto apenas 16% querem construir uma carreira. Ter um negócio só não supera os sonhos da casa própria e de viajar por aí.

O crescimento dos MEIs

Grande parte das empresas que surgiram nos últimos anos se devem à formalização dos microempreendedores individuais, muito conhecidos como MEIs.

Até 2013, os MEIs representavam cerca de 42% do total de empresas abertas. Já nos últimos anos, este número aumentou significativamente. Das 955,3 mil empresas abertas no primeiro semestre de 2017, 79,2% eram MEIs, segundo a Serasa Experian.

O MEI é uma forma simples de formalização para empreendedores individuais que não ultrapassam a receita bruta anual de R$ 60 mil. A legislação também permite a contratação de um funcionário. O cenário é ideal para quem busca uma alternativa de renda, mas ainda possui um trabalho de baixa escala.

Formas de garantir renda

As formas de conseguir uma graninha extra, ou mesmo uma alternativa para o sustento, estão cada dia mais diversificadas. Elas vão de vender doces em uma bicicleta, até se tornar sócio de grandes empresas através do Mercado de Ações.

O ramo alimentício tem sido uma saída muito procurada. Bolos, doces, sanduíches e até refeições completas. Com o avanço dos food trucks, ficou mais fácil ter seu negócio na área. Algumas pessoas se arriscam até mesmo em vender lanches ou doces em bicicletas pela cidade.

Ter uma estrutura física não é pré-requisito para o sucesso na área. Muitas pessoas vendem seus quitutes de porta em porta, em frente a empresas, comércios, escolas e etc.

O artesanato também entra na lista das alternativas que estão fazendo sucesso. Peças feitas à mão têm ganhado o gosto do consumidor e ajudado muitas pessoas a usar seus talentos para gerar renda. As peças são dos mais variados tipos, gostos e preços.

Os trabalhos freelancer também estão ganhando destaque. Esta é uma forma de obter ganhos sem um vínculo empregatício duradouro. Geralmente, são profissionais autônomos que realizam trabalhos ou projetos para uma ou até mesmo para mais de uma empresa ao mesmo tempo.

Na maioria dos casos, é o próprio profissional que organiza e gerencia sua rotina e tem a liberdade de definir seus horários. Ponto que acaba atraindo o interesse de vários profissionais.

Outra saída pode ser se tornar sócio de grandes empresas através do Mercado de Ações. O que muitas pessoas não sabem é que não é preciso ter muito dinheiro para isso.

É possível comprar ações da Petrobras, por exemplo, com um montante pequeno de capital. Você pode comprar papéis de diversas empresas e ganhar com a valorização deles.

No mundo do empreendedorismo e na busca por renda, as opções são inúmeras. Com um pouco de criatividade você pode conseguir encontrar sua forma de gerar renda.

O importante é não desistir na primeira dificuldade. Não importa se você começou por oportunidade ou necessidade, o seu negócio pode dar certo. Tenha isso em mente e você pode ir muito além do que imagina.

Conteúdo produzido pela equipe Toro!

  • Matéria interessante!
    STARTUP sob MENTORIA do SEBRAE, a BUZZPAGE é uma Rede Social Colaborativa que remunera quem gera Conteúdo!
    Vagas para Diretor Regional. Faça seu registro em seja.buzzpage.com.br/registro e receba informações por e-mail.
    Não perca essa Oportunidade!