reunião de uma empresa focada no employer branding

Entenda como reter talentos com a estratégia de employer branding

Hoje, vamos te ajudar a entender mais sobre employer branding, bem como aplica-lo em seu negócio. Continue lendo e fique por dentro do assunto. Boa leitura!

Atrair e reter talentos é uma das tarefas mais importantes para as empresas. Com profissionais acima da média, é possível conquistar os objetivos organizacionais e se diferenciar da concorrência. Nesse processo, o Employer Branding ganha muito destaque!

São diversas as companhias que já investem no assunto, como a Y&E (Ernst & Young), Unilever Brasil e AmBev. Os benefícios são muitos, desde a melhoria da imagem do empreendimento, redução de custos com o processo de seleção até a fidelização dos atuais profissionais.

Tudo isso é uma verdadeira necessidade para as empresas, especialmente para aquelas que fazem parte do mercado brasileiro. O Brasil está entre os cinco piores países do mundo para contratar mão de obra qualificada, segundo relatório do ManpowerGroup.

Pensando em tudo isso e em seus benefícios, criamos um guia especialmente para você! Hoje, vamos te ajudar a entender mais sobre o tema, bem como aplica-lo em seu negócio. Continue lendo e fique por dentro do assunto. Boa leitura!

Afinal, o que é Employer Branding

O nome vem do inglês e significa “marca empregadora”. Grosso modo, representa o desenvolvimento da imagem da empresa com foco nos profissionais talentosos, engajando-os a fazer parte do processo seletivo ou permanecer na empresa por muito mais tempo.

Imagine as ações tradicionais de marketing, elas possuem como foco os clientes finais, objetivando engajar decisões de compras. No caso da marca empregadora, o foco são os próprios colaboradores ou profissionais do mercado de trabalho, objetivando fazê-los ver a companhia como um excelente lugar para construir uma carreira.

Desse modo, empresas que utilizam a estratégia transformam-se em um grande imã para profissionais acima da média. Por consequência, conseguem estruturar equipes de alta performance e obter melhores resultados em cada uma de suas ações.

O desenvolvimento dessa estratégia envolve a definição de canais para diálogo com o público desejado (como as redes sociais), investimento na liderança pelo exemplo, construção de um propósito de atuação e um forte senso de meritocracia (dando aos talentos a chance de crescer). Todos esses pontos serão abordados mais adiante.

Qual a importância da marca empregadora

Como já foi dito, encontrar bons profissionais — competentes e com aderência à cultura organizacional — não é nada fácil. Uma prova disso é que é cada vez maior a conversão de tecnologias nesse sentido, como softwares de recrutamento e seleção, People Analytics e diagnóstico de perfis comportamentais.

Mas, após encontrar o profissional ideal, ainda há um longo processo. É preciso integrá-lo à empresa e garantir que se sinta feliz no novo emprego. Caso contrário, esse profissional apenas deixará mais avolumado a taxa de turnover de contratações recentes.

Sendo assim, a retenção é outra atividade que ganha uma ênfase cada vez maior. É preciso garantir que os talentos fiquem na empresa, empregando seus esforços para o alcance de resultados cada vez maiores. Essa tarefa é tão complexa quanto a primeira, afinal, a famosa “geração Y” está sempre em busca de novos desafios na carreira.

A marca empregadora contribui nesses dois sentidos, atraindo talentos e transformando os atuais profissionais em verdadeiros promotores da companhia.

Na realidade, esse é um processo quase que cíclico. Para que uma empresa seja um verdadeiros imã de talentos, deve, primeiro, cuidar daqueles que já fazem parte da folha de pagamento. Os atuais profissionais devem ser transformados em embaixadores da marca, que falam bem da empresa e dos seus líderes onde quer que estejam.

Companhias que não se atentarem ao assunto ficarão atrás da concorrência, pegando apenas os profissionais medianos e que ainda precisam ser bastantes “lapidados”.

Por que as empresas devem investir no Employer Branding

Existem muitos benefícios associados a construção da marca empregadora. Se não fosse assim, as maiores e mais bem-sucedidas corporações não perderiam seu tempo investindo veemente no assunto. Além da atração e retenção de talentos, veja outros benefícios:

Redução do valor investido no recrutamento

Os canais utilizados para recrutar talentos nem sempre são baratos, como links patrocinados nas redes sociais ou headhunters. Fato é que a marca empregadora reduz em até 50% o valor gasto com a aquisição de novos profissionais. Isso permite o que restante seja gasto com a integração, treinamento ou em outras estratégias pertinentes à companhia.

Desenvolvimento de embaixadores da marca

A necessidade de vestir a “camisa da empresa” é uma das que ganharam mais destaque nas últimas décadas. Todos os gestores querem que seus colaboradores comprometam-se com os resultados, emprenhando-se com máximo em cada atividade. Nesse sentido, o Employer branding tem um grande peso! Essa estratégia contribui para fidelizar os clientes internos, os funcionários, e fazer deles verdadeiros embaixadores da marca.

Redução do nível de turnover

O elevado turnover é um péssimo indicador de RH, representa o número de funcionários que deixaram a empresa em determinado período. Com essa métrica, há perda de capital intelectual, dinheiro com rescisões e degradação do próprio clima de trabalho. Empresas com marcas empregadoras fortes têm taxas de turnover 28% inferior as demais.

Melhoria da reputação da empresa

A imagem de companhia tem um enorme valor intangível, podendo influenciar em novas relações comerciais, parcerias estratégicas, aportes financeiros e contratações de sucesso. É por isso que muitas lutam para fazer parte da lista das melhores empresas para trabalhar, divulgada anualmente e que conta com nomes como Google e Natura Cosméticos.

Primeiros passos para investir no assunto

Não há um passo a passo fixo, que deve ser obedecido à risca, mas alguns pontos devem ser observados e implementados com qualidade na empresa. Lembre-se que essa não é uma estratégia apenas para grandes companhias, as pequenas também podem se beneficiar. Veja, agora, os itens mais importantes:

Invista nos atuais profissionais

A marca empregadora deve ser construída sobre fatos reais, coisas que realmente acontecem na empresa. Como será possível “vender” a imagem de um ótimo lugar para trabalhar, se os atuais profissionais estão insatisfeitos? Veja algumas dicas:

  1. aposte em benefícios complementares;
  2. aprimore a qualidade de vida na empresa;
  3. facilite o processo de comunicação interna.

Ao fazer isso, conseguirá otimizar o bem-estar na empresa e obter uma série de vantagens secundárias. Também terá colaboradores felizes, capazes de entregar resultados ainda maiores e vestir a “camisa da empresa” onde quer que estejam.

Incentive a liderança pelo exemplo

A liderança também tem uma grande influencia na construção da marca empregadora. Lembre-se que grande parte da experiência dos profissionais com a empresa depende dos próprios líderes, que podem torna-la ótima ou péssima. Um líder exemplar:

  1. coloca a “mão na massa”;
  2. sabe dar e receber feedback;
  3. entrega resultados pessoalmente;
  4. valoriza as pessoas.

Diga a cada líder que a liderança pelo exemplo é um aspecto realmente valioso na empresa, e que todos devem seguir essa ideia. Incentive uma maior interação entre líderes e liderados, seja por meio de bate-papos ou treinamentos colaborativos.

Encontre o propósito de atuação

O propósito de uma empresa tem uma grande influencia na hora de empregar profissionais de primeira linha. Lembre-se que os melhores profissionais não trabalham apenas por dinheiro, mas porque acreditam em algo maior. Então crie (e incorpore) um propósito de atuação.

Se minha empresa não existisse, o que o mundo perderia?

Reflita sobre essa pergunta e busque entender como a sua empresa tem contribuído para a melhoria na vida dos clientes ou comunidades próximas. Desenvolva algo grande, realista e inspirador, que vá além do dinheiro e ajuda a inspirar as pessoas.

Utilize as redes sociais a seu favor

Chegou a hora de mostrar ao mundo a marca empregadora, dizer aos talentos porque devem fazer parte da sua empresa. Para tanto, precisa de um ótimo canal de comunicação: as redes sociais. É uma ferramenta acessível, de baixo custo e muito popular.

Escolha a rede social que mais combina com seu público-alvo. As mais comuns são: LinkedIn, Facebook, Twitter, Instagram e o YouTube. Compartilhe vídeos, textos ou fotos sobre a empresa e seus funcionários. Mostre como é um bom lugar para atuar, construir uma carreira de sucesso e cultivar relações profissionais.

Crie uma página de carreiras

A página de carreiras é o famoso “trabalhe conosco”, um espaço específico para compartilhar novas vagas de trabalho, informações sobre a funções e sobre a empresa em geral. Algumas organizações desenvolvem sua página do zero, outras utilizam as funções do LinkedIn para isso. Veja, agora, alguns exemplos:

  1. LinkedIn;
  2. Natura;
  3. Coca-Cola;
  4. Google.

Defina seu Employer Value Proposition (EVP)

Para finalizar, é importante definir uma proposta de valor ao empregado, algo que diferencie sua empresa da concorrência e torne-a cobiçada. Empresas que possuem um EVP consistente não sofrem com a escassez de mão de obra e não perdem talentos com facilidade.

É importante que o EVP esteja alinhado à imagem da empresa. Se o seu negócio é focado em resultados, por exemplo, crie um EVP de rápido crescimento profissional. Comunique com eficiência essa proposta aos seus funcionários, candidatos atuais e em potencial.

Veja, agora você está por dentro do assunto! O desenvolvimento da marca empregadora não é uma responsabilidade apenas da área de gestão de pessoas e marketing, mas de toda a liderança organizacional. Cada um dos líderes devem se comprometer com o assunto.

Gostou do nosso conteúdo? Está pronto para investir em Employer Branding? Agora, aproveite para continuar aprendendo. Leia nosso post: o que é empreendedorismo corporativo?