Dica diária ao empreendedor 66: A importância do feedback aos candidatos não-selecionados

A dica de hoje foi dada por Mauro Shimizu Ribeiro. Mauro é formado em Engenharia de Computação pela UNICAMP e atualmente é um jovem empreendedor. Às vezes ele tem surtos de crise de identidade e começa a falar dele mesmo em terceira pessoa.

**cv
**

Digamos que sua empresa abriu uma vaga de emprego e, de muitos currículos, apenas alguns são selecionados. O que fazer com os candidatos não escolhidos? Devemos responder justificando o motivo da reprovação ou simplesmente mantê-los às sombras do esquecimento?

Coloque-se na posição do candidato. Ele gastou horas e dias para achar sua vaga, para preparar o currículo e também para esperar uma resposta. Caso você simplesmente o esqueça, imagine a sensação horrível do candidato de ficar na **expectativa **de ser chamado para a vaga e a **insegurança **de saber se o currículo foi analisado ou não, ou mesmo se foi lido. Ainda, eles terão uma impressão negativa da sua empresa.

Além do direito legal de receber um feedback do processo seletivo, o candidato precisa de alguém que lhe oriente sobre sua condição profissional. E essa orientação deve ser responsabilidade do selecionador. Apesar de um feedback negativo não ser uma boa notícia ao candidato, é uma demonstração de preocupação e até agradecimento.

Dê feedback e não demore para fazê-lo. Os candidatos agradecem e você não fica mal visto por eles.

Se você tem alguma dica para compartilhar com outros empreendedores, por favor mande para [email protected]

comments powered by Disqus