Dica ao empreendedor: Feijões mágicos, TV e a internet

Dica ao empreendedor: Feijões mágicos, TV e a internet

A dica de hoje foi dada por Seth Godin em seu blog.

A dica de hoje foi dada por Seth Godin em seu blog.

Novas mídias não são o meio perfeito de marketing, e não são enquanto não encontrarmos os feijões mágicos.

A TV teve feijões mágicos por 40 anos. Por 40 anos foi muito mais fácil ganhar dinheiro usando propaganda na TV do que é hoje. Compre um número suficiente de anúncios, não faça besteira, você fica rico.

A parte difícil era comprar o número suficiente de anúncios, mas uma vez que você fez isso já podia declarar vitória.

Na internet existem muitos marketeiros “de butuca” apenas esperando que alguém os dê os feijões mágicos. E esse é o problema.

Marketing digital envolve muita mensuração, paciência, criatividade, conhecimento técnico, flexibilidade, velocidade e autenticidade. Requer muito pensamento e jantares com clientes.

Talvez nunca mais teremos feijões mágicos de novo. Talvez o Marketing esteja em transição para um novo tipo de profissão, uma que requeira inspiração, dedicação e esperteza.

  • JJ

    Qualquer imbecil, no Brasil, acha que entende de Publicidade e Markerting, por isso acha que criar, produzir e veicular publicidade na TV é coisa de imbecil. Não existem feijões mágicos, nem na TV, nem no rádio, nem nos jornais e revistas, nem na web. O que existe são picaretas, que posam de experts. E anunciantes sem conhecimento algum de marketing e de publicidade.

    • Adriano Melgaço

      Acho que não existem regras para esta questão.

      Na minha opinião, o mercado está mais do que aberto, e são os consumidores quem ditam as regras no momento atual.

      O que importa, é que os clientes estejam satisfeitos com os resultados das campanhas. E se isto ocorrer, o objetivo foi devidamente atingido.

  • JJ

    Qualquer imbecil, no Brasil, acha que entende de Publicidade e Markerting, por isso acha que criar, produzir e veicular publicidade na TV é coisa de imbecil. Não existem feijões mágicos, nem na TV, nem no rádio, nem nos jornais e revistas, nem na web. O que existe são picaretas, que posam de experts. E anunciantes sem conhecimento algum de marketing e de publicidade.

    • Adriano Melgaço

      Acho que não existem regras para esta questão.

      Na minha opinião, o mercado está mais do que aberto, e são os consumidores quem ditam as regras no momento atual.

      O que importa, é que os clientes estejam satisfeitos com os resultados das campanhas. E se isto ocorrer, o objetivo foi devidamente atingido.

  • Adriano Melgaço

    JJ,

    Acho que não existem regras para esta questão.

    Na minha opinião, o mercado, está mais do que aberto, e é o cliente quem dita as regras no momento atual.

    Uma vez que existem clientes satisfeitos com os resultados da campanha, o objetivo foi atingido.

  • Adriano Melgaço

    JJ,

    Acho que não existem regras para esta questão.

    Na minha opinião, o mercado, está mais do que aberto, e é o cliente quem dita as regras no momento atual.

    Uma vez que existem clientes satisfeitos com os resultados da campanha, o objetivo foi atingido.

  • Pingback: Em 2010 o bom atendimento vai reinar | Saia do Lugar()

  • universojea

    Adriana, qnd se fala em “clientes” quem os são: quem solicitou a campanha ou o público alvo? Pelo amor de Deus! Concordo plenamente com o JJ qnd ele diz q qualquer imbecil, no Brasil, acha que entende de Publicidade e Markerting, por isso acha que criar, produzir e veicular publicidade na TV é coisa de imbecil. Cada vez mais fica difícil, e quem consegue criar um share of mind através de propaganda na TV eh um gênio! Depois q inventaram o controle remoto e ferramentas q permitem q as pessoas “pulem” os comerciais… Qnd criarão a TV disseram q o rádio iria morrer (e ele não morreu), depois, com a invenção da internet disseram q a TV morreira (oq tbm naum aconteceu). Nada se perde, tudo se transforma.

  • Olá,
    Em nenhum momento foi dito que criar anúncios para a TV é coisa de imbecil.
    O ponto é que antigamente, sem o controle remoto e as milhares de opções
    disponíveis para “pular comerciais” era mais fácil conseguir a atenção do
    leitor.
    Hoje em dia não existem mais feijões mágicos, inclusive na TV. Por isso as
    empresas precisam conseguir formas de se diferenciar e serem cada vez mais
    criativas para conseguir o “Share of mind”.

    Eu pessoalmente acho que a TV não vai morrer de forma alguma, apenas vai se
    adaptar aos conteúdos pela internet. O modelo está mudando, por isso
    acabaram os feijões mágicos e o profissional precisa evoluir cada vez mais
    rapidamente.

    Abraços!

  • Olá,
    Em nenhum momento foi dito que criar anúncios para a TV é coisa de imbecil.
    O ponto é que antigamente, sem o controle remoto e as milhares de opções
    disponíveis para “pular comerciais” era mais fácil conseguir a atenção do
    leitor.
    Hoje em dia não existem mais feijões mágicos, inclusive na TV. Por isso as
    empresas precisam conseguir formas de se diferenciar e serem cada vez mais
    criativas para conseguir o “Share of mind”.

    Eu pessoalmente acho que a TV não vai morrer de forma alguma, apenas vai se
    adaptar aos conteúdos pela internet. O modelo está mudando, por isso
    acabaram os feijões mágicos e o profissional precisa evoluir cada vez mais
    rapidamente.

    Abraços!

  • É inevitável essa transição descrita no post. E como em todo momento de mudança, as oportunidades estão no ar, é hora de experimentar e trabalhar com dedicação! Os profissionais de comunicação devem estar atentos às mudanças para não ficarem para trás, mais do que nunca estar atento ao que está acontecendo nos diversos meios e nas ações que os convergem é essencial.

    Abs!

  • Com certeza absoluta!

    Muito mais do que uma mudança tecnologia, estamos vivendo uma revolução nos hábitos de consumo. Os profissionais que souberem se adaptar bem a essa nova realidade terão um grande diferencial competitivo.

    Abraços!

  • Pingback: Dica ao empreendedor: Feijões mágicos, TV e a internet « Rafael Roque()

  • Filipewvs

    Cara.. Pode crer… Um novo profissional com estratégias diferenciadas.

  • Leonardo

    Eu acredito em uma integração dos veículos, onde tudo poderá ser administrado pela internet, semelhante as ações multiplataforma feitas pela net hoje em dia. Com certeza o feeling do profissional vai ter que ser muito mais apurado, alias acredito que mude o nome do profissional para algum termo americanizado. Realmente a empresa que propor essa integração vai faturar muito e ter muita moral das empresas. As empresas Globo com certeza vão ter participação significativa nesse projeto.