A importância de ideias inovadoras

Desenvolvimento de Produtos: Introdução à inovação

Como inovar ao desenvolver um novo produto

Nunca na história desse país se falou tanto sobre inovação. Se fala tanto, que já não é mais nem um pouco inovador dizer que uma empresa é inovadora. Porém, o que isso significa na prática?

Algumas pessoas definem inovação como uma forma nova de resolver problemas, mas a definição que mais gosto é a de Silvio Meira que diz que inovação é igual a emitir nota fiscal. Aprofundando nesse ponto, penso em inovação como:

“Fazer algo novo, que me leve a emitir mais notas fiscais do que o cara do lado.”

A importância de ideias inovadoras

A felicidade de quem inovou com sucesso

Por um lado, inovar é fácil
A principal vantagem de inovar é fazer algo que ninguém faz e ter um oceano azul todo pra você, sem concorrentes.

Por exemplo, tenho muito orgulho de afirmar que o Empreendemia é a melhor rede social brasileira cujo mascote é um ovo de gravata. Mas o que isso quer dizer?

Por outro, inovar é MUITO difícil
Por mais que seja tentador dizer “Ninguém faz o que nós fazemos“, esse fato normalmente vem acompanhado por “Só temos meia-dúzia (ou menos) de clientes“.

Para superar esse problema, entenda como o cliente reagirá ao seu produto:

  1. O que seu produto faz?” – Podemos descrever o Empreendemia como “Uma plataforma web para acelerar o relacionamento business-to-business” ou dizer “É um Orkut de empresas“. Apesar de botar menos pressão, o 2o discurso é essencial pra que as pessoas consigam nos entender.
  2. Pra que serve isso?” – Você espera que a reação ao seu produto seja “Uau! Que ideia genial!“. Porém, a reação normalmente é “E daí?“. Para vencer isso, mostre de forma clara qual demanda você atende (no nosso caso, aproximar clientes e fornecedores).
  3. “Como isso é diferente do que já existe?” – Se o cliente acha que seu produto é útil (poucos inovadores chegam à essa etapa), ele pensará imediatamente no que já existe. Isso é bom sinal, já que agora sim você pode destacar seu diferencial.
  4. Funciona mesmo?” – Já ouviu falar que quando a esmola é demais o santo desconfia? Seu cliente também. Mesmo que ele se impressione com sua ideia inovadora, é fundamental ter dados e casos de sucesso para mostrar que você consegue entregar o que promete.
  5. Uh-hú! Quero comprar!” – Venda fechada, dinheiro na conta e sorrisos para todos os lados.

Ou seja, superar todas essas barreiras é difícil pacas!

Conheça muito bem o mercado que você quer entrar
Todo empreendedor acha que sua ideia é tão genial que magicamente os clientes baterão na porta e os concorrentes farão de tudo para copiar essa ideia. Na realidade, não é bem assim.

Quanto mais inovadora é a ideia, mais barreiras ela terá que superar. Por isso, conhecer as referências do mercado e entender muito bem qual a necessidade do cliente é mais do que importante, é obrigatório.

Se você tem uma ideia genial para um mercado em que tem pouca experiência, boa sorte!

Conclusão: Inovação é um meio, não o fim
Do mesmo jeito que com um grande poder vem uma grande responsabilidade, com uma grande inovação vem uma grande barreira de entrada. Por isso, tenha consciência de que da ideia inovadora até a riqueza o caminho é longo e cheio de obstáculos.

Abraços,
Millor Machado (lutando para a cada dia emitir mais notas fiscais do que o cara do lado)

Obs.: Esse artigo faz parte da série Desenvolvimento de Produtos sem enrolação. Confira os outros artigos da série aqui.

  • – Criar uma nova classe de produtos ou um novo mercado (Oferecer algo que antes não existia ou era possível);
    Criar um novo modo de produção (baratear por exemplo um processo, ou torná-lo mais eficiente);
    – Quebrar um monopólio.

    Tirei isso da wikipedia, heheheh!
    E eu concordo bastante com essa definição.
    Inovação é correlacionado, mas não é fundido com business.
    E existem negócios não inovadores que geram muita grana, ex: vender sapato, agua, energia elétrica, etc. São os mercadores das “vacas leiteiras” e isso é uma estratégia bacana e válida. Na minha opinião, o importante é acabar com o mito que para um negócio ser um negócio interessante e escalável, ele precisa ser inovador…

    abs,

    • Valeu Diego!

      Estamos junto nessa luta contra o mito. Viva as empresas bacanas e que são
      úteis, ao invés de mirar apenas na inovação.

      Abração