pessoa anotando suas decisões importantes

Como escalar decisões importantes em seu negócio

Você sabe como escalar decisões importantes e como isso pode impactar na sua vida profissional — e na saúde da empresa? Pois esse é o tema de hoje!

Você já imaginou a quantidade de decisões importantes um empreendedor precisa fazer no dia a dia de sua atividade?

O sucesso de qualquer negócio está intimamente ligado à escalabilidade de escolhas do gestor, por isso é fundamental entender como tomá-las da melhor forma. Lembre-se que empreender não é uma prática que envolve sorte, mas muito empenho e estratégia para enxergar/criar oportunidades e aproveitá-las.

Você sabe como escalar decisões importantes e como isso pode impactar na sua vida profissional — e na saúde da empresa? Pois esse é o tema de hoje! Quer aprender tudo sobre ele? Então acompanhe!

Decisões: um dos maiores desafios do empreendedorismo

Sabe aquela história de um negócio que só teve sucesso porque o gestor estava no lugar certo na hora certa? E se fossemos nós os principais responsáveis por criar esse lugar e essa hora?

Ao tomar decisões importantes, você cria um ambiente mais suscetível para que objetivos sejam alcançados. Isso te dá a capacidade de influenciar pessoas e criar um terreno propício para desenvolver a sua ideia da melhor maneira.

Isso mostra que é importante priorizar as coisas a serem decididas — e de como isso deve ser feito! Afinal, como a rotina de empreendedores é rodeada de escolhas, deve-se preocupar com as possibilidades e os efeitos dela para a empresa.

Mas como saber o que deve ser analisado antes? E o que fazer com matérias de menor importância? Existem estratégias de gestão que podem te ajudar!

Matriz de Eisenhower: prioridade e produtividade

Vários emails para serem respondidos, fornecedores cobrando uma posição, colaboradores buscando sua ajuda para projetos distintos, tarefas atrasadas entre várias outras atividades na sua rotina: você deve imaginar o quão burocrático isso é — e quanto tempo será necessário para resolver tudo, certo?

Ao lidar com essa situação cotidianamente, Dwight Eisenhower, 34º Presidente dos Estados Unidos, desenvolveu uma matriz comparativa com quatro quadrantes, definidos por “urgente”, “não urgente”, “importante” e “não importante”.

A ideia era cruzar o nível de urgência com o de importância para definir focos no trabalho e dar mais fluxo para a atividade.

Gestores que usam dessa matriz conseguem ter uma referência de decisões a serem tomadas de forma pessoal e prioritária, distinguindo daquelas que podem ser deixadas para depois — ou até mesmo delegadas para um funcionário de confiança.

Vamos entender:

Urgente e importante

Geralmente, atribuições urgentes e importantes devem ser feitas o quanto antes! As decisões que se enquadrarem nessa definição devem ser analisadas a fundo, entendendo as consequências das escolhas e os efeitos que elas podem gerar.

Não deixe para depois, priorize essas tarefas! A palavra-chave aqui é “faça agora”, então mantenha-se atento.

Urgente e não importante

Esse quadrante envolve questões urgentes, mas não tão importantes, ou seja, ainda será possível se programas para resolvê-las.

Marcar entrevistas, responder determinados emails, compartilhar artigos, etc., são tarefas que requerem alguma atitude, mas não exigem imediatismo. Por isso, o ideal é, sempre que possível, delegá-las para alguém de sua confiança.

Assim, você consegue economizar o seu tempo e reinvesti-lo em decisões importantes que podem impactar a sua trajetória profissional e pessoal!

Aqui, o segredo é entender “quais os impactos dessas escolhas?”

Não urgente e importante

No dia a dia de uma pessoa, podemos definir questões em foco mas com pouca urgência: ligar para amigos, exercitar, planejar uma alimentação saudável, etc. são pontos que devem ser incluídos no seu dia a dia, mas não devem ser prioridade.

Por isso, o recomendado é colocar na agenda: assim você não precisa parar suas tarefas em prioridade para resolver as que estão nesse quadrante.

Assim é possível conciliar decisões urgentes e não urgentes, mesmo que ambas sejam importantes.

Não urgente e não importante

Esse é um dos grandes desafios a serem vencidos pelas pessoas: vencer as distrações da rotina. Imagine quanto tempo é desperdiçado olhando seu celular na hora do trabalho? Quantas vezes você já se perdeu no tempo ao acessas uma rede social?

Essas são atividades de lazer — e devem ser tratadas como tal! Se sua ideia é priorizar decisões, tarefas sem urgência e sem importância devem ser deixadas de lado para que o foco seja dado ao que realmente importa!

A importância de priorizar decisões

Como você notou, a matriz de Eisenhower é uma ótima prática para definir a prioridade das suas decisões no dia a dia.

A premissa é simples: um tempo curto demanda que sejam criados níveis de importância para os temas da rotina, permitindo que você faça suas escolhas de acordo com o impacto que elas podem causar no seu dia a dia.

Muitos gestores ainda erram ao achar que não precisam de um planejamento estratégico e acabam se perdendo nessa rotina — que envolve muita atenção para realização do trabalho em pouco tempo.

No fim do dia, eles não conseguem encontrar nem aproveitar as oportunidades que eventualmente apareceriam: perda de fornecedores, má gestão de clientes e problemas na comunicação com os funcionários podem ser algumas das situações percebidas por quem quer resolver tudo mas não se programa para isso.

Escalar decisões importantes é uma estratégia criar um ambiente de situações propícias para o seu negócio crescer. Assim, é possível que você se encarregue de problemas maiores enquanto tem uma equipe por trás para te ajudar com situações mais simples.

O medo de tomar decisões

A tomada de decisões pode ser algo pesado e que dê medo, principalmente para novos empreendedores, por isso é necessário que você saiba lidar com isso.

Esse desafio pode ser vencido com um bom planejamento, mas só o tempo vai te dar a segurança necessária para futuras escolhas, afinal, as pessoas acertam tentando!

Aristóteles já dizia que “somos aquilo que repetidamente fazemos. Excelência, portanto, não é um ato, mas um hábito”. Por isso, não tenha medo em errar, faça suas escolhas, entenda as consequências e aprenda a lidar com elas até que o êxito seja alcançado.

Uma boa estratégia de gestão, aliada com a vontade de alcançar os objetivos, pode ser o diferencial que você precisava para fazer sua empresa crescer. Afinal, o sucesso só pode ser alcançado tentando!

E então, leitor? Aprendeu como escalar decisões importantes e quais os efeitos para o seu negócio? Quer aprender mais? Então confira esse artigo e entenda o que é empreendedorismo corporativo.