trabalhadores trabalhando a mais para computar no banco de horas

Banco de horas: 5 erros da gestão de empresas que impactam nas horas trabalhadas

Muitos erros são cometidos no momento de liderar, e uma boa saída para amenizá-los é fazer uma análise real do banco de horas da corporação.

Grande parte do sucesso de uma empresa se dá por meio de uma boa gestão. Esse é um processo essencial, pois identifica a tempo muitas ações que não estão dando certo e determina quais estratégias o seu negócio deve seguir para se destacar.

Uma gestão efetiva pressupõe a coleta constante de dados sobre o que acontece no dia a dia da organização, possibilitando uma melhoria contínua nos processos — além de requerer também um bom alinhamento dos gestores nas diversas áreas a fim de atingir um melhor desempenho global.

Essas informações podem ser extraídas no cotidiano da empresa por meio de indicadores simples e gerar benefícios como a diminuição de custos, o aumento do lucro, uma equipe mais motivada, a redução de estresse etc.

Na maioria das vezes, todos esse fatores estão ligados à qualidade da equipe e à capacidade dos gestores de administrar o capital humano da empresa. Muitos erros são cometidos no momento de liderar, e uma boa saída para amenizá-los é fazer uma análise real do banco de horas da corporação.

Confira abaixo 5 conclusões que você pode chegar após a sua avaliação!

1. É preciso aumentar a equipe

Por meio do banco de horas é possível comparar a carga horária dos seus funcionários com o grau de resolução das tarefas. Isto é, se todos eles estiverem cumprindo adequadamente o quadro de horas e ainda assim a entrega dos trabalhos estiver atrasada, pode ser que você precise contratar mais funcionários.

Mas antes de tomar essa decisão, é importante que você descarte a próxima conclusão possível: falta de disciplina.

2. A falta de disciplina dos seus funcionários está sendo prejudicial

É papel indispensável do gestor saber como fazer uma boa gestão de recursos humanos e criar um bom clima organizacional. A falta de disciplina e de comprometimento da sua equipe é um indicador grave de uma fraca cultura interna, e isso certamente afetará a sua taxa de lucratividade.

3. Sua equipe está tendo sobrecarga de trabalho

Se você considera que tem uma forte cultura organizacional e uma equipe motivada, engajada e comprometida, é recomendável que você analise se isso se mantém ao longo de determinado período. Se o desempenho dos seus funcionários vier caindo consideravelmente, um dos motivos pode ser o estresse.

A sobrecarga de trabalho pode dar início a conflitos internos e a quedas na produtividade. É sempre aconselhável trabalhar com o melhor potencial que os seus colaboradores podem desempenhar.

4. É preciso criar um regime de horas extras

Se a necessidade dos seus colabores ficarem além do experiente para entregar tarefas indispensáveis for frequente, é preciso acordar um regime de horas extras. Essa será uma conversa prévia, com o consentimento de todos, sobre a possibilidade de se realizar mais horas no trabalho.

O Acordo Coletivo de Trabalho pode ser de compensação aberta ou fechada. Na primeira, o funcionário acumula horas mas não sabe quando vai tirar sua folga, já no segundo modelo esses dias são previamente estabelecidos.

5. Não existe o reconhecimento do bom trabalho de um funcionário

Outra possibilidade no momento de análise do banco de horas é identificar que determinado colaborador se destaca por ser exemplar no desempenho de suas funções — e que isso deveria ser reconhecido por meio de estratégias de bonificação e de certificados.

Não deixe de analisar seu banco de horas e retirar as melhores informações possíveis para suas estratégias. Isso pode fazer uma grande diferença na sua empresa a partir da identificação de gargalos simples.

Ainda nesse âmbito, é importante saber o que são metas SMART e como elas podem ajudar a sua equipe. Boa leitura!