autocoaching: estrada, homem sozinho

Autocoaching: Como alcançar suas metas pessoais e profissionais

Quem é o protagonista da história da sua vida? Se você responder “você mesmo” está no caminho correto.

Quem é o protagonista da história da sua vida? Se você responder “você mesmo” está no caminho correto.

Para alcançarmos nossas metas, precisamos nos colocar no centro da nossa atenção e, a partir disso, buscar formas de alcançar o autodesenvolvimento.

Algo muito difícil de se dedicar na correria da rotina, mas o autocoaching é uma ferramentas que permite isso. Não sabe do que se trata?

Continue lendo este artigo para conhecer essa poderosa forma de, em poucas palavras, assumir o controle da sua vida e alcançar usas metas pessoas e profissionais.

O que é autocoaching?

Na verdade, autocoaching é criar utilizar uma metodologia para lhe ajudar a organizar seus objetivos de modo que eles se tornem mais compreensíveis e menos utópicos.

Em outras palavras, é uma forma de organizar suas metas e objetivos, para potencializar seu foco e otimizar seus resultados.

De acordo com o dicionário, coaching pode ser definido como:

“PROCESSO DE TREINAMENTO QUE AUXILIA ALGUÉM A PRATICAR UM ESPORTE, A FAZER MELHOR UM TRABALHO OU A APERFEIÇOAR UMA HABILIDADE”. NESTE ARTIGO VAMOS DISCUTIR COMO VOCÊ PODE TREINAR A SI PRÓPRIO PARA SE APERFEIÇOAR NAS ÁREAS QUE JULGAR RELEVANTES PARA SUA SATISFAÇÃO PESSOAL E PROFISSIONAL.

Por que o autocoaching é importante?

Com esta técnica você volta a assumir o controle da sua vida – profissional e/ou pessoal.

A partir disso, é possível determinar onde você quer chegar e entender em que parte desse processo você se encontra. Ele permite que você trabalhe sua autoconfiança e explore potencialidades que você costuma deixar em segundo plano.

Como realizar?

Agora que você já entendeu, em linhas gerais, o que é o autocoaching, é necessário compreender o método para tirar esse projeto do papel.

Não estranhe o uso da palavra “projeto”, pois é disso que estamos falando. É necessário muita dedicação, atenção e, principalmente, disposição para realizar.

Essa busca pelo autodesenvolvimento pessoal e profissional começa com uma pergunta muito direta: Quais são seus atuais objetivos na vida?

Este exercício de reflexão é essencial porque, é a partir dele, que você poderá compreender se está no caminho certo ou se precisa mudar. Portanto, invista nessa primeira etapa:

Definição de objetivos

Essa não pode ser uma definição feita de forma relaxada e também não pode resultar em objetivos vagos como “ser feliz”, “conquistar realização profissional”, “ter o trabalho dos meus sonhos”.

Volte-se, sempre, para a realidade material. Ou seja, se quer ser feliz, como é essa felicidade? O que é realização profissional para você? Qual é o trabalho dos seus sonhos?

Depois que esses objetivos estiverem bem definidos a próxima etapa está relacionada à organização desses objetivos.

A forma mais difundida é estabelecer metas “SMART”:

  • Específicos (Specific);
  • Mensuráveis (Meansurable);
  • Atingíveis (Achievable);
  • Realistas (Realistic);
  • Temporizáveis (Time-bound).

Ou seja, as metas precisam ser razoáveis e tangíveis.

Observação: Neste ponto, vale destacar que mensurável é aquilo que pode ser medido.

Por sua vez, neste caso, atingível é usado como sinônimo de realizável, agora, realista quer dizer está ao alcance de quem pretende executar. São conceitos que podem parecer iguais, mas possuem suas peculiaridades.

Isso é muito importante para que você não transforme sua energia em frustração.

É preciso construir suas conquistas em fases e ter todas elas bem montadas e claras para você.

Mas, ao mesmo tempo, você precisa fazer com que sejam desafiadoras e tirem você da zona de conforto. Como? Por isso, o próximo passo é exatamente:

Criar um plano de ações

Conforme for estabelecendo esses objetivos, vá colocando-os no papel e criando seu planejamento. Esteja focado nos objetivos maiores e na viabilização dos menores.

Com isso determinado, avalie e questione como pode melhorar seus próprios comportamentos para que essas metas sejam alcançadas.

Lembre-se, não basta querer e fazer toda a parte documental, pois o autocoaching só funciona quando você começa a olhar para o seu dia a dia e transformá-lo de acordo com suas metas.

Agora, depois de analisar e ponderar seus comportamentos em comparação com suas metas, provavelmente, você irá identificar a necessidade da próxima dica:

Invista em excelência e capacitação pessoal

Ninguém nasce sabendo tudo e, assim como um consultor externo poderia lhe sugerir alguns cursos ou mesmo aquisições específicas para que sua empresa otimize os resultados, você deve identificar essas oportunidades em si.

Que habilidades suas precisam de uma atualização ou melhoria?

Investir em si mesmo é sempre um ótimo negócio: você amplia seu leque de atuações e, se esse investimento for feito com base em suas aspirações particulares, com certeza o aproximarão de suas metas estabelecidas.

Hora de aparar as pontas. Com o plano de ações do seu autocoaching em curso, tire um tempo para fazer um brainstorm sobre as oportunidades que você enxerga para si próprio.

Coloque tudo no papel, não poupe as ideias mais malucas. Porém, depois que se esgotar, volte ao princípio “SMART” aplicado às metas e apare o que não se encaixar no que você busca no momento.

Meditar e monitorar

Seguindo os passos acima, você terá um bom plano de ações para transformar positivamente sua carreira.

Porém, o trabalho não termina por aí. Tão importante quanto elaborar o plano é executá-lo e monitorar periodicamente para garantir que os imprevistos sejam evitados.

Isso se aplica a qualquer área da gestão e também ao autocoaching. O diferencial é, por se tratar da sua vida particular, é essencial manter o equilíbrio e o foco.

Então, pode ser uma ótima alternativa, inserir um tempo na sua agenda para meditar um pouco sobre seu percurso.

Não estamos falando, caso você não se identifique, de nada místico. Imagine como uma reunião consigo mesmo para avaliar seus próprios resultados e fazer projeções.

Mas é fundamental levar essa etapa a sério, buscar se isolar e colocar no papel os pontos fortes do último período, assim como os aspectos que o fizeram sair da linha e merecem atenção.

As vantagens do autocoaching

Através dessas técnicas você conseguirá explorar e ampliar sua autoconfiança. Será possível se sentir como dono do seu destino, já que as decisões estarão de volta a “sua mesa”.

Quem segue nessa jornada de autodesenvolvimento compreende que as barreiras para o que você estabelece e pode realizar são muito poucas.

Ao final e ao longo do processo, fica cada vez mais fácil perceber as cadeias de causa-consequência e a força do seu próprio agir no mundo.

Seus resultados vêm de suas próprias mãos. Em resumo, realizar autocoaching é uma forma de extrair o máximo do seu potencial!

Dica campeão: Deixe o nível de motivação alto

Como você pode ser, não é nada fácil fazer isso tudo acontecer. E, justamente por isso, fica fácil querer desistir quando os resultados não aparecem ou quando você se frustra com algo ou alguém.

Porém, tenha certeza de que isso só fará as coisas piorarem. Pratique o pensamento positivo e ancore seu foco nos bons resultados que virão no futuro.

Essa capacidade de enxergar o lado positivo e de encontrar soluções razoáveis e inesperadas para os desafios é muito importante.

Ela funciona como uma espécie de combustível que mantém a chama do seu projeto de vida ainda acesa.

Às vezes pode não parecer, mas alcançar suas metas pessoais e profissionais está intimamente ligado com sua perseverança em sempre encontrar o lado bom – aquele que resolve! – das situações.

Concluindo

Conseguiu compreender o conceito de autocoaching? É dar uma “arrumada na casa” no que se refere aos seus objetivos e metas particulares.

A cada dia somos mais engolidos por cotidianos desgastantes e excessivamente preenchidos com trabalho e, pior, expectativas alheias.

Esses olhares de outras pessoas que tanto nos incomodam e podem, inclusive, comprometer.

É exatamente por isso que o autocoaching pode ser uma grande ferramenta para alcançar suas metas profissionais e pessoais.

Pegar todos esses sonhos, colocá-los no papel, organizá-los e correr atrás deles é um longo e penoso trabalho. Mas, não se engane, a recompensa e satisfação são gigantescas.

Uma última observação antes de nos despedirmos: não minta para si mesmo.

Esse processo de autodesenvolvimento pode desencadear desejos profissionais e pessoais antigos, fazer você olhar para seu contexto presente de forma diferente ou estimular resoluções que pareçam radicais.

Mas, confie nos seus instintos e siga aquilo que lhe inspira.

Lembre-se da famosa frase do escritor britânico Oscar Wilde: “Be yourself, everyone else is already taken” (seja você mesmo, todas as outras personalidades já estão escolhidas). Ou seja, só podemos ser, afinal, quem somos.

Então, quanto mais tempo desperdiçamos não nos aceitando e querendo maquiar nossas verdadeiras vontades, mais tempos passamos distante daquilo que pode nos fazer feliz.

Ser você mesmo não é uma questão de estilo ou de samaritanismo, é essencialmente respeitar sua essência.

Gostou do conteúdo deste artigo? De que forma ele lhe ajudou a elaborar seu autocoaching?  Siga para a parte de comentários abaixo e deixe suas impressões.

Caso você queira outros artigos e textos sobre empreendedorismo, gestão profissional e do mundo dos negócios, continue acompanhando nosso blog.

Se quiser saber sobre a poderosa ferramenta de planejamento conhecida por 5w2h, leia este post.