Investimento em imóveis

A complexidade por trás do investimento em imóveis

Gastos extra que envolvem a compra de imóveis

Quando é tomada a decisão de se adquirir um imóvel, a maioria das pessoas acaba por subestimar a complexidade de todo este processo. De fato, muitos associam os gastos financeiros relacionados com o pagamento do preço do imóvel como os únicos a ter em consideração no decorrer deste negócio. Contudo, se pensa dessa forma e está vivenciando este importante marco na sua vida, temos de dizer-lhe que pode estar cometendo um erro grave e que pode ter repercussões negativas no seu futuro.

As razões são de várias ordem: primeiro, porque está subestimando o lado burocrático da mudança, uma vez que para tornar o imóvel efetivamente seu, terá que envolver custos de diferentes naturezas; em segundo lugar, porque está ignorando a importância da natureza do imóvel enquanto fator fundamental em relação aos custos reais da compra do seu novo imóvel; finalmente, porque estes custos têm ainda um peso considerável no seu bolso, podendo mesmo representar quase 10% relativos ao valor do seu imóvel.

Os principais gastos incluídos na compra do seu imóvel
Para o ajudar neste contexto, queremos apresentar-lhe alguns dos gastos extra com os quais deve contar.

Como sabe, após o processo de compra terá de transferir o imóvel para o seu nome. Para tal, terá de pagar o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), que é cobrado pelo município sempre que alguém compra um imóvel. Neste particular, conte com um custo de cerca de 2% do valor do seu imóvel, sendo importante salientar que este imposto é mais barato para imóveis que custam menos do que 750.000 reais.

Em outro âmbito, considere ainda os custos relacionados com o valor da escritura. Elaborado em sede de cartório e com um valor fixado em tabela, este é o documento definitivo do processo de compra, funcionando como prova oficial da transferência do imóvel para a sua posse.

Por outro lado, terá ainda a necessidade de pagar o Imposto Predial ou Territorial Urbano (IPTU), calculado de acordo com o valor do seu novo imóvel e o qual deve ser comunicado no decorrer do processo de compra.

Por último, não deve esquecer ainda o pagamento do condomínio, que é basicamente uma contribuição mensal para ajudar nas despesas de manutenção. Podem ser incluídas também algumas taxas extra de condomínio direcionadas para a realização de obras ou reformas casuais. Aqui se incluem por exemplo, obras de acréscimo à estrutura do imóvel, pintura, despesas de decoração e por último, a instalação de equipamentos de segurança ou incêndio nos locais de uso comum no condomínio. 

Conclusão
Agora que tem uma noção mais rigorosa sobre os gastos extra relacionados com a compra do seu imóvel, já poderá procurar por casas a venda, por exemplo em Osasco, e usufruir da vida neste município. Para isso visite siteimovel. Não se esqueça ainda de contar com as despesas relacionadas com mudança para o seu novo imóvel, algo que nesta região costuma variar entre os 300 e os 1000 reais, só em relação ao transporte.

Por último, e mais importante ainda, seja consciente e realista quando estiver negociando o seu imóvel, tendo em consideração que o preço do imóvel não é um fim em si mesmo. Por isso, não se comprometa com gastos incomportáveis para as suas possibilidades e que podem colocar em causa o futuro da sua família a curto, médio e longo prazo.