4 atitudes para você conquistar você mesmoInsistimento.

">

4 atitudes para você conquistar você mesmo

A dica de hoje foi dada por Marcos Rezende no portal Insistimento.

A dica de hoje foi dada por Marcos Rezende no portal Insistimento.

Sentir o que é verdade
“É melhor cumprir o seu dever sem muito mérito do que executar o de outro com perfeição.” Dizia um discurso de um sábio da Índia antiga. A maioria da sociedade atual está em conflito porque as pessoas estão executando atividades que não são delas. Pior, estão tentando atingir a perfeição nesta atividade, deixando de lado aquilo que deveriam fazer. Sabe aquela coisa de sentir que está no lugar errado e fazendo a coisa errada todos os dias? Eu já senti isso. Até enxergava que o que estava à minha volta era totalmente incorreto, mas ficava com medo de assumir a responsabilidade da minha própria vida e sair daquela situação. Foi preciso uma crise existencial, para me mostrar que eu deveria seguir o meu caminho e não o dos outros. Dentro de você, há uma semente daquilo que você deve fazer. Você deve descobrir o que há dentro dessa semente para fazê-la brotar e doá-la ao mundo para atingir a perfeição no seu dever.

Pensar o que sente
Quando você pensa o que sente, é porque sabe como suas emoções funcionam e fluem sobre o seu corpo e sobre suas atitudes. É como colocar-se um passo atrás de si mesmo, observando pacientemente para construir uma ideia mental do que se está sentindo. Exemplo disso é aquela situação onde você começa a se sentir injustiçado em uma situação e sente uma raiva partindo do centro do seu estômago. Automaticamente, uma série de pensamentos em cascata começam a surgir da sua mente para dar alguma razão à sua raiva. Não devemos deixar esse tipo de emoção se torne pensamentos e tampouco, que estes se tornem ações. Se cultivamos o ato de refletir sobre os nossos sentimentos, aprendemos que a raiva é fruto daquilo que pensamos sobre o mundo e não do que sentimos em si. O que provocou aquela sensação de injustiça foram os conceitos que tínhamos de justiça. Temos sim que ampliar a visão desses “conceitos” para compreender e aceitar a “injustiça” e seguir adiante.

Falar o que pensa
Será que ainda existem pessoas honestas nesse mundo? Será que uma pessoa totalmente responsável pela sua própria vida, age com total honestidade falando exatamente aquilo que pensa? Já sabemos que para atingir o equilíbrio precisamos pensar aquilo que sentimos, mas será que falamos honestamente e abertamente para todos se algo não está correto? Se quisermos evoluir de verdade, precisamos conservar o compromisso de estarmos totalmente atentos aos nossos sentimentos, para que eles possam virar pensamentos e posteriormente palavras. A auto-observação é o que nos fará, definitivamente, conquistar as nossas metas, pois só com o cultivo deste hábito, estaremos conquistando a nós mesmos.

Fazer o que fala
Muitos são os profissionais que falam pelos cotovelos, mas nada fazem a respeito daquilo que falaram. Quantos projetos já vimos afundar por conta de pessoas que se comprometeram a fazer algo e na “hora H” não cumpriram com o prometido? Ter responsabilidade total é dar-se conta de que tudo que sai de nós como emoções, pensamentos ou palavras, afetam o mundo de alguma forma e, pior, cria expectativas. Para manter o equilíbrio e conquistar-se dentro do ambiente onde transitamos, precisamos ter responsabilidade e comprometimento ímpar com aquilo que nos comprometemos, ou melhor, falamos. É preferível ficarmos de boca fechada a nos comprometermos com algo que ainda não foi bem avaliado.

__

Com essas atitudes com certeza você se tornará uma pessoa muito mais equilibrada, o que refletirá diretamente em sua performance, saúde e motivação. Aproveitando o gancho, recomendo o post: Características do Empreendedor: Motivação Intrínseca.

Você possui alguma dica de empreendedorismo que vale a pena ser compartilhada? Envie-a para: [email protected]

Se quiser receber mais dicas sobre empreendedorismo, assine nosso RSS ou siga-nos no Twitter: @empreendemia.

  • adorei, uma ajuda para fazer na prática…

  • adorei, uma ajuda para fazer na prática…

  • Muito bom o texto, mas só faltou uma coisa: se comprometer com o que faz. De nada adianta fazer as coisas isoladamente sem um propósito real de melhora para o mundo em que vivemos. De que adianta esses profissionais que fazem o lucro acontecer, mas não se comprometem com a melhora do seu produto em um contexto. É preciso lutar por uma causa, seja ela a Educação, meio-ambiente, inclusão social, inclusão econômica, de caráter psicológico, religioso, evolutivo…Qualquer coisa, mas tenha uma causa e lute por ela, por um Brasil e um mundo melhor.

    Marcos –[email protected]:twitter