3 mitos que dificultam a vida do empreendedor iniciante

3 mitos que dificultam a vida do empreendedor iniciante

A dica de hoje foi dada por Scott Berger no portal Entrepreneur.com.

A dica de hoje foi dada por Scott Berger no portal Entrepreneur.com.

1. Nós achamos que precisamos ser ricos para começar a investir no nosso negócio
Isso não é verdade, ainda mais hoje quando podemos fazer um site, lançar um produto e divulgá-lo gastando muito pouco.

2. Nós achamos que precisamos fazer tudo e temos dificuldade para delegar tarefas
Pensamos que ninguém faz as coisas tão bem quanto nós. A questão é, você não é tão importante, ou pelo menos não deveria ser. Se você é insubstituível, isso significa que sua empresa terá problemas para crescer.

Analise quais tarefas trarão o maior retorno e delegue o resto.

3. Nós achamos que somos diferentes das pessoas que vieram antes de nós
Muitos empreendedores partem para negócios em que outras empresas já falharam sem entender o porquê disso! Por que não gastar algumas semanas entendendo o mercado e os clientes antes de pular de cabeça?

Então como que empreendedores iniciantes podem superar seus medos e obstáculos?
Saia do seu quarto e comece a conversar com as pessoas ao seu redor. O melhor investimento que você pode fazer é conversar com pessoas da sua área, seja com clientes em potencial ou outros empreendedores do seu mercado.

Você rapidamente vai descobrir ou que a ideia é maluca, ou o preço está muito alto, ou que os clientes não se importam com isso. Com essas conversas, aos poucos você irá descobrir o que as pessoas realmente querem.

Para se aprofundar nessa ideia de como gerar ideias para seu negócio, recomendamos a Metodologia OPS (Observe, Pesquise e Saia do Lugar).

Se você está na fase de abertura do CNPJ e (como todos nós) tem dúvidas sobre os tipos existentes, impostos, contratos e toda aquela burocracia, o Abra Sua PJ pode te ajudar não só com conteúdo prático, mas também com o suporte da nossa equipe.
Para saber mais, é só clicar aqui.

Se quiser dicas diárias que te auxiliarão na jornada como empreendedor, assine nosso RSS ou siga-nos no Twitter: @empreendemia.

  • Millor, tudo isso é verdade pq eu já ouvi de amigos. Além de conversar muito, eu recomendo ler bons livros sobre o assunto, que sempre trazem visões diferentes sobre o assunto.

  • Rsrsrs..
    Muito cara do EMPRETEC esse post.

    Muito bom post. Obrigado.

  • Oi Tiago,

    Nós não fizemos o Empretec, mas temos muita curiosidade. Você chegou a fazer
    o curso? Como foi a experiência?

    Abraços!

  • Pablo,

    Com certeza procurar sempre estudar é fundamental. Conhecimento teórico
    aliado ao contato com o cliente é o que fará diferença para o empreendedor.

    Abraços!

  • Tenho um grande problema com o item 2. Já melhorei muito, mas tenho que me policiar diariamente pra conseguir me controlar.

  • É uma experiência inesquecível. Eu recomendo a todos empreendedores. Tanto experientes quanto iniciantes.

    Abraços.

  • O grande problema de começar o próprio negócio é: no começo, não dá lucro. Quem paga as contas? Por isso, o ideal é começar quando se está ainda na faculdade, em que há pais, bolsas, etc. ajudando. Depois, só se tiver uma bolada de uma demissão ou algo assim, que te sustente pelos primeiros meses.

  • Luís,

    Concordo com você, inclusive a Empreendemia nós começamos ainda na faculdade com dinheiro dos pais.

    Porém, existem casos em que empreendedores começaram suas empresas enquanto ainda estavam em um emprego (Camiseteria por exemplo) ou empreendedores que procuraram fontes de financiamento como editais do governo, investidores, etc.

    Acho que é importante ser um passo planejado, mas muita gente usa a falta de dinheiro como desculpa, onde não deveria ser.

    Abraços!

  • Roberto Fermino

    Gostaria de comentar algo em linha aos meus amigos que postaram anteriormente. Nem todo projeto, aliás a maioria, precisa de dinheiro sim. Isto eu tendo como referência todos as empresas iniciantes. Tecnologia ligada a serviços de internet é um desses universos, onde o investimento é menor, concordo. No entanto, tech é só parte do bolo de novos negócios. Faço engenharia de materiais, vejo um grande empenho por parte do empreendedores nesta área em levantar capital para seus negócios. Um ótimo exemplo é o empreendedor Endeavor da MEXTRA http://bit.ly/cmrub9 com habilidade e doses de “ajuda” de orgãos do governo vem construindo uma empresa bem bacana. A mesma dificuldade vejo pra galera de biotecnologia, é uma batalha conseguir tornar a pesquisa em algo comercial, vendável. Até para pesquisas inovadoras. Nem todo céu é de brigadeiro!

  • Roberto,

    Concordo plenamente com você que internet é um setor específico que não
    precisa de dinheiro, mas aí entra um outro ponto. O empreendedor não
    precisar de dinheiro não quer dizer que a empresa não precise de dinheiro.

    Existem diversas opções de financiamento, é questão de montar um bom projeto
    e ter persistência para apresentá-lo diversas vezes.

    Abraços!

  • Roberto Fermino

    Olá, Millor.

    Talvez não tenha me expressado direito. Só quis enfatizar que para empreendedores com projetos nos setores primário e secundário a coisa não é assim tão facíl. No entanto, é possível e também viável como citado em meus próprios exemplos.

    Um Abraço.

  • Show de bola Roberto!

    Realmente conseguir financiamento mas não é a coisa mais simples do mundo.
    Mas quem falou que empreender era fácil? hehe

    Abraços!