Lições do fracasso

10 lições sobre empreendedorismo que só o fracasso ensina

Por mais que ninguém goste dele, o fracasso pode trazer ótimas lições sobre empreendedorismo. Vale a pena conferir algumas delas!

Cursos de Marketing Digital para empresasPowered by Rock Convert

Este texto faz parte da coluna da Plataforma Brasil feito especialmente para os leitores do Saia do Lugar.
Por: Gustavo Chierighini, fundador da Plataforma Brasil Editorial.

Meus caros, começo esse texto com uma constatação inevitável: ninguém quer o fracasso. Trata-se de uma verdade, passamos toda a nossa existência tapeando ou fugindo dele. Eventualmente o sobrepujamos, e as vezes ele nos vence, e detestamos quando isso acontece.

Contudo, tem sido muito cansativo a forma como a nossa cultura o destrata. O que observo é que sua existência vem sendo recorrentemente esquecida, ou talvez seja a sua importância que é constantemente relegada ao segundo.

É fato que ou por medo de sua existência e mais provavelmente pela própria histeria que a busca pelo sucesso provoca, costumeiramente passamos a tratar o fracasso como um doente cuja enfermidade contagiante deve ser tratada em regime de quarentena.

Observem que quase ninguém no universo corporativo ou empreendedor consegue admitir grandes erros, que é o sinônimo de fracasso.

Os pequenos e costumeiros são tratados até com um certo humor. Mas a derrocada, a grande derrapada quase sempre é deixada para debaixo do tapete.

Ninguém a admite, e é convenientemente esquecida para a manutenção da imagem perfeita e irretocável (mas evidentemente inverossímil).

E desta forma surge um mundo imaginário, com expressões bonitinhas para não assustar criancinhas e mimadinhos de plantão, e onde a experiência não conta, e onde obviamente nada é o que parece ser.

Uma demissão não é uma demissão, mas uma troca de perspectivas profissionais.

Powered by Rock Convert

A quebra ou falência não é uma quebra ou falência, mas uma hipótese no empreendimento que não deu muito certo (por causa do momento é claro, afinal estamos muito a frente dele, naturalmente).

Uma sociedade que se desfaz na verdade não se desfez, transformou-se em “algo maior” “mais inovador” blá blá blá.

E de espuma em espuma originadas na grande prateleira da perfumaria do embromation corporativo, pratica-se a grande injustiça de minimizar o valor do fracasso em formar gente forte de verdade, e de ser parte indissolúvel da história real de empreendimentos e carreiras sólidas.

Sendo assim, hoje resgatamos aqui o seu peso, mostrando com clareza as lições sobre empreendedorismo que só o fracasso ensina.

  1. Com o fracasso você aprende de uma vez por todas a lidar com as suas fraquezas e ineficiências. Sim você não é perfeito;
  2. Uma vez experimentado, podemos farejar com grande chance de acerto a sua aproximação. Quem já caiu sempre fica mais esperto e ágil;
  3. Aprendemos que experiência dos nossos pares, superiores e subalternos sejam eles mais velhos ou mais jovens, e independentemente da geração da qual tenham saído, analógicos, x, y, z, w, 2,0 ou 3,0 sempre vale muito, e precisa ser absorvida;
  4. Que trabalhar com quem nunca levou um tombo na vida é um grande risco;
  5. Passamos a distinguir prepotência de autoconfiança;
  6. Que grande parte da autoconfiança, tão necessária para o sucesso e a tomada de riscos, nasce muitas vezes do enfrentamento do medo, que por sua vez nasce com algumas derrapadas;
  7. Aprendemos a não levar muito a sério as pessoas que não tem medo de nada;
  8. Que coragem não é não ter medo, mas reconhece-lo, senti-lo e ainda assim enfrenta-lo de frente;
  9. Que podemos nos levantar da maioria dos tombos;
  10. Que gente que caiu e depois foi capaz de se levantar vale o dobro, e que não se vivencia o sucesso sem antes fracassarmos de alguma forma.

Até o próximo.

Plataforma Brasil Editorial atua como uma agência independente na produção de conteúdo e informação.

Nota do editor: Para ganhar um pouco mais de inspiração e lições sobre empreendedorismo que o fracasso ensina, recomendo muito o post Se você nunca falhou, você nunca viveu.

Obs.: Créditos da imagem Shutterstock