Você é o melhor! Em 2013 e sempre!Plataforma Brasil feito especialmente para os leitores do Saia do Lugar.
Por: Gustavo Chierighini, fundador da Plataforma Brasil Editorial.

">

Você é o melhor! Em 2013 e sempre!

Logo que nascemos, cada conquista nossa era uma vitória que merecia celebração: os primeiros passos, primeiras palavras, primeiro aniversário, primeiro dia de escola e outros tantos “primeiros” em que éramos aplaudidos. Os adultos babavam impressionados com nossa inteligência e esforço:

Logo que nascemos, cada conquista nossa era uma vitória que merecia celebração: os primeiros passos, primeiras palavras, primeiro aniversário, primeiro dia de escola e outros tantos “primeiros” em que éramos aplaudidos. Os adultos babavam impressionados com nossa inteligência e esforço:

– Nossa! Olha como ele está ficando esperto!
– Que menino inteligente!
– Olha como já está falante!
– Como você cresce rápido!

Éramos os melhores da casa.

Na infância começamos a sonhar, a aventurar e explorar o desconhecido. Aprender a fazer bolinha de sabão, aprender a andar de bicicleta, aprender na escola. E mesmo quando algum adulto dizia o “Não!”, éramos teimosos e andávamos descalços, corríamos, subíamos nas árvores, descíamos a ladeira de skate e brincávamos na chuva! Tudo que a gente queria era ouvir a nossa própria vontade. Às vezes escorregávamos, caíamos, nos esfolávamos, pegávamos um resfriado. E nos diziam: “eu avisei”. E mesmo com a bronca, logo estaríamos aprontando tudo de novo.

Foi na escola onde começaram as disputas e concorrências. Sempre teve o melhor em matemática, o melhor desenhista, a mais bonita, o mais atleta, a melhor bailarina. E melhores ainda são aqueles que sabiam reconhecer e acreditar nas próprias qualidades e estavam sempre as aprimorando.

Então crescemos, ficamos adultos resmungões, chatos e medrosos.

Muitos preferem aceitar a mediocridade a fazer algo de útil. É muito mais fácil falar mal – e o pior é que muita gente se diverte com isso – do próprio emprego, da vida dos outros e do país do que fazer algo para melhorar. Se ninguém faz nada, por que a gente iria fazer, não é mesmo?

E ainda temos medo de tudo! Medo do desconhecido, de ouvir não, de tomar bronca, do que os outros pensam da gente, de encontrar alguém melhor no que faz, de cair e não conseguir se levantar. Medo de Sair do Lugar.

Às vezes até criamos coragem para mudar nossas vidas. Empolgamos com a ideia e fazemos um pequeno planejamento, contamos para nossos amigos e familiares e cultivamos aquela emoção de que a vida pode mudar para melhor! Até alguém chegar e dizer “não!”, “você está maluco!” e “isso nunca vai dar certo!”. Assim, sem ao menos tentar, ajoelhamos novamente na mediocridade e desistimos do que realmente sonhamos.

Temos uma mania besta de sempre querer ouvir a opinião dos outros – e muitas vezes essa opinião é de quem não entende do assunto – e levamos mais a sério eles do que nós mesmos. Devemos saber para quem pedir opinião e o que fazer com a ela. Podemos até pedir uma direção para quem já chegou ou quase chegou lá, mas ainda assim existem infinitos caminhos e maneiras que você só vai descobrir tentando.

E se você acredita que consegue chegar até onde ninguém chegou antes, por um caminho totalmente inexplorado, e que você é a melhor pessoa para chegar lá… Meu amigo ou minha amiga, esqueça qualquer opinião que vá contra o seu sonho, pois você é o único capaz de dar seus próprios passos. Você pode cair, você pode se machucar, mas lembre-se que, quando você era criança, já se levantou sozinho e continuou sua jornada, olhando sempre em frente. Você é o melhor. Vá!

Desejamos um Feliz Natal, um ótimo Ano Novo e que 2013 seja mais um ano de sucesso para você e para todos os leitores e usuários Saia do Lugar e Empreendemia!