sociedade empresarial

Sociedade empresarial: Como evitar problemas ao incluir um sócio na sua empresa?

Preparamos esse post para explicar como oficializar a sociedade empresarial e também o que fazer antes de incluir um novo sócio na sociedade. Acompanhe!

Dizem que uma sociedade empresarial é igual casamento, ou até mesmo um compromisso muito mais sério! Ou seja, é preciso ter certeza ao decidir por uma união como essas, pois é algo que espera-se que seja uma parceria sem fim.

Logo de cara já deu para perceber que é uma grande responsabilidade formar uma sociedade, não é mesmo? Por esse motivo, ainda há muita insegurança, medo e desinformação sobre como deve-se proceder durante esse processo para não ter dores de cabeça futuras.

As principais dúvidas são referente aos riscos que podem ser corridos, se vale a pena fazer esse tipo de negócio ou não e também como evitar fazer parcerias com sócios que não tenham afinidade com o empreendedor ou com o negócio.

Sendo assim, preparamos esse conteúdo que abordará alguns tópicos focados especificamente em situações em que opta-se incluir um sócio em uma sociedade empresarial sendo ela já existente ou não.

Então, continue lendo para saber mais sobre como oficializar a sociedade, avaliar se vale a pena fazer isso e também o que fazer antes de incluir um novo sócio na sociedade. Acompanhe!

O que fazer para oficializar uma sociedade empresarial?

Uma dúvida que aparece frequentemente é em relação o que deve ser feito para oficializar a sociedade empresarial, para que seja possível começar uma sociedade empresarial juntamente com um novo sócio.

Por isso, preparamos alguns pontos que mostram melhor como isso deve ser feito e as etapas a serem percorridas:

Especifique tudo no Contrato Social

O Contrato Social é um dos principais documentos que define como funcionará uma sociedade. Por isso, é preciso que todos os detalhes estejam contidos neles, principalmente as informações do negócio e as obrigações de cada sócio.

Preparamos uma lista rápida, abordando os detalhes que não podem faltar no contrato social:

  • Percentual de participação de cada sócio;
  • Responsabilidade e função de cada um;
  • Como irá funcionar a retirada de capital;
  • Estratégias e funcionamento do negócio;
  • Divisão de lucros e prejuízos;

Obviamente que muitos outros detalhes podem ser incluídos, porém o mais importante é saber que esse documento deve ser utilizado como um guia do funcionamento jurídico da empresa.

Alinhamento prévio dos objetivos

Assim como qualquer parceria, uma sociedade empresarial exige que seja feito um alinhamento de todas as partes sobre os objetivos do negócio.

Até porque, dificilmente uma sociedade será bem sucedida se os sócios não possuem objetivos em comum. Por isso, é indicado que eles sejam alinhados, além de definir quais serão as prioridades e o foco da empresa.

Fazendo isso, é possível garantir que tudo estará bem definido e será mais tranquilo trabalhar em conjunto, mesmo que os sócios tenham estilos diferentes de agir, pensar e trabalhar.

Preze pela transparência

A transparência ajuda a aumentar a confiança e estreitar o vínculo entre as pessoas. Em uma sociedade empresarial isso não é diferente.

É importante entender que prezar pela transparência logo desde o início contribuirá para que todas as partes estejam cientes dos desafios da empresa e possa enfrentá-los da melhor maneira possível.

Além disso, sendo transparente será muito mais favorável que possa ocorrer uma ajuda mútua entre os próprios sócios dentro das responsabilidades e o foco de cada um dentro do negócio.

Soma-se a isso, a necessidade de que haja uma relação sincera e que nenhum problema externo possa afetar esse relacionamento profissional.

Explore a diversidade de talentos

Uma das coisas mais importantes para que uma sociedade seja bem sucedida é a soma de experiências e talentos.

Por isso, utilize essa diversidade a favor da sociedade que está sendo formada e divida as funções, no sentido de que cada um possa dar o máximo de si e explorar seu conhecimento para contribuir com as partes do negócio que tem mais afinidade.

Além disso, é importante que as decisões estratégicas sejam discutidas entre eles. Isso irá ajudar a apurar diferentes visões sobre a situação e também a direcionar um cenário em que é possível orientar-se em busca dos melhores resultados para a empresa.

O que fazer antes de incluir um sócio na sociedade?

Agora que você entendeu como oficializar a entrada de um sócio em uma sociedade empresarial, vamos dar um passo atrás e ir para o momento de escolha de um possível parceiro nessa jornada.

O fato é que uma avaliação cuidadosa de alguns critérios é fundamental para tomar a decisão de dividir a empresa com alguém. Por isso, preparamos algumas dicas para auxiliá-lo a tomar essa decisão. Veja:

1 – Faça uma boa escolha

Assim como falamos no início do texto, sociedade é igual casamento, portanto é preciso ter consciência dessa escolha para que ela não seja feita de forma equivocada.

Sendo assim, a primeira coisa que deve ser analisada é qual o valor agregado que aquele possível sócio poderá trazer para o negócio, pois essa parceria precisa fazer sentido.

Além disso, o relacionamento pessoal é algo que deve ser levado em consideração também, pois ninguém quer conviver com um sócio em que não saiba lidar muito bem.

2 – Analise os prós e os contras

Toda parceria precisa ser algo muito bom para ambos os lados, então antes de iniciá-la é importante verificar quais são os prós e contras que esse acordo poderá gerar.

Obviamente que essa análise só indicará se vale a pena fazer essa parceria se houver mais pontos positivos do que negativos.

Não se esqueça de levar em consideração também que agora vai ser preciso ter disposição em dar satisfações do seu trabalho para outra pessoa. Então, será preciso aprender a lidar com isso.

3 – Divida as responsabilidades e as tarefas

Outra reflexão que precisará ser feita é sobre a divisão das responsabilidades de cada um e quais tarefas estão incluídas nessa divisão.

Nesse sentido, procure aproveitar as melhores habilidades e conhecimento que cada um possui para delegar da melhor maneira possível.

Lembre-se de que feito isso, cada um terá sua responsabilidade e deve ser livre para tomar decisões, a não ser que ela seja muito estratégica e precise da aprovação de todos os sócios.

4 – Verifique o lado financeiro

Uma reflexão importante é sobre o lado financeiro, ou seja, uma pergunta que deve ser feita é se o seu negócio tem condições de manter financeiramente um novo colaborador a nível de sócio.

Caso positivo, veja qual seria o melhor valor de remuneração, além de combinar como será a divisão de lucros e retiradas mensais e anuais.

5 – Defina as regras

Independente se a sociedade é com amigos ou familiares, é preciso separar a vida pessoal da profissional, portanto é indicado que sejam definidas regras de conduta para cada sócio.

Além disso ajudar no andamento das atividades do negócio e na tomada de decisão, caso haja uma ruptura no futuro, ajudará a evitar possíveis desgastes que sejam traumáticos.

6 – Esteja preparado para os feedbacks

O feedback é uma das mais poderosas ferramentas de relacionamento. Em uma sociedade empresarial ele deve ser usado sem exceção.

Até porque, ele ajudará para que se tenha o hábito de discutir abertamente qualquer insatisfação, evitando que os problemas se acumulem e possam virar algo maior, assim como uma bomba que pode estourar a qualquer momento.

Isso ajudará não somente no relacionamento pessoal mas também para que o negócio possa prosperar e crescer.

Afinal, vale a pena ter um sócio?

Bom, você já deve ter percebido que a sociedade empresarial é quase um caminho sem volta! Mas será que vale a pena buscar um ou mais sócios?

Podemos dizer que quando isso é feito com todos os cuidados que listamos aqui e também quando há realmente uma parceria, vale muito a pena!

Até porque, tendo um sócio é possível trazer uma experiência diferente para o negócio, ou seja, você não precisará ser aquele empreendedor que tem que focar em tudo e ficará sobrecarregado.

Então, pode-se dar ao luxo de focar em assuntos específicos, além de ficar tranquilo com certas áreas, pois saberá que alguém especialista está a frente dela.

Além disso, muitas vezes é difícil tomar decisões sozinho, então colocando mais uma cabeça para pensar nesses momentos ajudar muito para que esse processo seja conduzido da melhor maneira possível.

Junto a isso, há o fato de que sempre será preciso alguém para desabafar e compartilhar os medos, frustrações e os desafios do dia a dia. Sem dúvida nenhuma, um sócio poderá ser a melhor pessoa para isso. Dessa maneira é possível ter um mentor ou conselheiro bem próximo da sua rotina.

Obviamente que há também as histórias que não tem um final muito feliz, por isso que recomendamos fazer uma análise completa da situação e dos pontos críticos que envolvem ela.

Porém, caso isso aconteça mesmo assim, lembre-se de que tudo na vida gera um aprendizado importante e ajudará a preveni-lo de experiências ruins no futuro.

O fato é que hoje formar ou participar de uma sociedade empresarial não é mais um processo parecido com “jogar na loteria”. Afinal, é possível tomar essa decisão com base em muita coisa que falamos aqui, ok?

Agora que você já sabe como evitar problemas ao incluir um novo sócio na sua empresa, o que acha de aprender a contratar um VP de Vendas?