sites de e-commerce

Sites de e-commerce: É a melhor opção para o seu negócio?

Consumidores que optam por fazer suas compras em sites de e-commerce sabem enumerar todas as qualidades desse tipo de serviço: preços baixos, maior variedade que o comércio tradicional, possibilidade de interagir com outros compradores coletando opiniões e muito mais.

Consumidores que optam por fazer suas compras em sites de e-commerce sabem enumerar todas as qualidades desse tipo de serviço: preços baixos, maior variedade que o comércio tradicional, possibilidade de interagir com outros compradores coletando opiniões e muito mais.

Esse otimismo dos usuários de lojas virtuais não apenas se espalha e cria novos clientes do segmento, como costuma também contagiar os que querem começar a empreender.

Afinal, tudo parece muito simples: basta um site funcional na internet com boas descrições e fotos dos produtos, uns poucos funcionários e entregas no prazo e o sucesso está garantido. Bem, a coisa é um pouco mais complexa que isso.

Claro que o e-commerce é uma sensação no Brasil e cresce a cada ano, mas é bom que você esteja muito bem informado antes de investir nessa área.

Por isso é que fizemos este texto, no qual tentamos reunir tudo que você precisa saber para começar o seu projeto de loja virtual sem tropeços.

Pronto para começar? Então veja aqui como o e-commerce é importante, suas diferenças em relação ao comércio tradicional e muitas outras dicas para começar nesse ramo. Mãos à obra:

Qual a importância do e-commerce para um negócio?

Há muita discussão sobre se o melhor é comprar na internet ou em lojas físicas. Para o consumidor, argumentar a favor ou contra as compras virtuais ajuda muito nas suas escolhas, mas essa rivalidade não precisa existir para o comerciante.

Muitas lojas de varejo enormes oferecem os dois serviços. O que os grandes varejistas fazem é usar a grande credibilidade que conquistaram durante os anos no comércio tradicional para alavancar também as vendas online.

Aliás, se decidir mesmo investir nesse ramo, essas lojas vão ser suas principais concorrentes até que você encontre um público específico para os seus produtos.

Mas não precisa se assustar com esse tipo de concorrência. A boa notícia é que, se essas empresas com faturamento astronômico e conhecidas em todo o Brasil (algumas até internacionalmente) investem forte no e-commerce, é porque ele promete.

Os números reforçam essa impressão, já que as vendas virtuais cresceram mais de 5% no primeiro semestre de 2016, auge da crise econômica no Brasil.

Loja física ou loja online: qual a melhor opção?

Bom, agora ficou entendido que essas duas opções não são excludentes. Mas qual a melhor aposta para novos empreendedores com poucos recursos para investir e que não têm como arcar com ambas?

Claro que ter uma loja virtual é muito mais simples e, principalmente, barato para quem vai começar. Mas isso não significa que você vai conseguir montar o seu e-commerce da noite para o dia.

Muita informação é necessária e, também, uma boa dose de faro para lidar com detalhes que fazem toda a diferença para o seu negócio crescer.

Vejamos alguns:

O e-commerce não tem limites geográficos

Este é um detalhe interessante: a maior vantagem do e-commerce é que ele tem muito menos limites geográficos que uma loja física.

Afinal, mesmo que você não tenha um serviço de entrega especializado, pode contar com os Correios para fazer seus produtos chegarem a qualquer lugar do Brasil.

Ainda assim, há outros tipos de limites para vendas online. Um dos mais fáceis de constatar é que as pessoas mais velhas têm menos facilidade com as novas tecnologias que os mais jovens.

Se o seu produto se destina a um público, digamos, em sua maioria acima dos 50 anos, é um caso a se pensar se essas pessoas vão realmente optar por comprar na internet.

Em outras palavras: a dificuldade de acesso aos seus produtos e a desconfiança do seu público-alvo dos serviços online compensa o seu investimento?

Os clientes de lojas especialistas confiam nos vendedores

Há ainda o caso das lojas especialistas, isto é, que vendem produtos especializados para um determinado nicho de mercado.

Aquelas que ficam restritas a um mesmo tipo de produto como perfume, terno e roupa social ou vinho, por exemplo.

Consumidores de lojas especialistas dão muito valor à opinião dos vendedores, por considerarem-nos especialistas no assunto.

Uma boa forma de o e-commerce contornar esse problema é investindo no marketing de conteúdo, que cria textos que instruem, educam e inspiram confiança no seu público.

Ideal para quem tem que assumir uma postura de autoridade no assunto para melhorar as vendas, não é mesmo?

O envolvimento com o produto antes da compra é diferente

Boa parte dos clientes de lojas virtuais têm um perfil mais independente.

Eles já estão acostumados a ir atrás das informações de que precisam e compararem por si mesmos marcas e modelos diferentes de um mesmo produto.

Isso se deve, em parte, a um fato: o comércio tradicional oferece a possibilidade de o consumidor ter o produto nas mãos e verificar o seu funcionamento e isso não pode ser igualado de nenhuma forma pelo e-commerce.

No entanto, algumas medidas podem minimizar essa desvantagem.

Certifique-se de que cada produto seja descrito em detalhes, tenha boas fotos e, se possível, inclua a avaliação de outros usuários que o compraram.

Reforçar a segurança do consumidor no ato da compra só tem a acrescentar à sua loja virtual.

Você depende muito dos seus fornecedores e transportadora

Em muitos casos, o seu maior recurso para tornar a sua empresa competitiva não está exatamente em algo sobre o qual você tenha total controle.

A logística — como o produto vai ser entregue, qual o prazo, o estado de conservação do mesmo quando chega à casa do consumidor — é um dos detalhes mais importantes para o sucesso das vendas virtuais.

Já parou pra pensar o quanto você deve ser criterioso ao escolher seus fornecedores e transportadora?

Numa loja física, o produto já está no estoque antes de quase 100% das vendas. O cliente testa, avalia e leva para casa ele mesmo, se gostar.

No e-commerce, um item em falta no estoque ou uma entrega fora do prazo pode botar tudo a perder.

Lembre-se de que o seu cliente não quer saber se o erro é do seu fornecedor ou da empresa que realiza as entregas. Ele vai culpar você por atrasos e avarias no produto.

O que um empreendedor precisa saber antes de montar um e-commerce

Começar algo na internet é muito fácil. Com uns poucos minutos é possível colocar um blog ou site no ar, por exemplo. E esse, talvez, seja um dos maiores perigos para quem vai montar uma loja virtual.

Não caia na tentação de começar a empreender de qualquer jeito e perder dinheiro aprendendo com tentativas e erros. Isso faz parte da rotina de vários empreendedores, mas é muito difícil sobreviver assim.

Seu primeiro passo para criar uma loja virtual que cresça e prospere é bolar um plano de negócio.

Coloque no papel quem são seus potenciais clientes, a que distância estão do seu estoque, suas dificuldades para fazer o negócio funcionar, investimento inicial e o tempo para recuperá-lo.

Não ponha a mão na massa até ter bem esboçados os seus objetivos para as próximas semanas, meses e anos.

Organização e planejamento vão diferenciá-lo da maior parte dos empreendedores que se aventuram no ramo e não conseguem chegar a lugar nenhum.

Dicas para montar sites de e-commerce de sucesso

Além dos detalhes que já mencionamos, há algumas dicas que podem fazer o diferencial nos seus primeiros passos no e-commerce. Vamos a elas:

1. Aproveite os benefícios do SAC 2.0

A cada dia ficamos mais distantes da época do polêmico “telemarketing”.

Felizmente, hoje há mecanismos muito mais eficientes e menos invasivos para que uma empresa se comunique com seus clientes.

O mais comum é que ela vá aonde todos esses consumidores estão: as redes sociais.

Cada vez mais empresas utilizam o SAC 2.0 — que, na maior parte das vezes são páginas empresariais em redes sociais como Facebook e Twitter — para se comunicarem com clientes.

Além de ser barato e prático, o SAC 2.0 é uma grande arma para que a sua relação com os clientes cresça no ambiente virtual. Basta, para isso, que você os ouça, seja ouvido por eles e que eles falem bem de você online.

2. Fidelize seus clientes

Com todas as conveniências do e-commerce, só mesmo a desconfiança de um cliente em potencial pode afastá-lo do seu site.

Enquanto for pouco conhecido, você vai precisar investir para que aqueles que já realizaram uma compra com você gostem, se sintam valorizados e voltem à sua loja.

Crie mecanismos para mantê-los por perto: promoções para uma segunda compra, descontos e mecanismos para que eles possam opinar sobre um produto que comprou. Afinal, as pessoas adoram dar opiniões sobre o que compraram!

3. Tenha um marketing online impecável

Uma campanha de marketing bem-feita é essencial para qualquer tipo de negócio. Mas há ainda mais motivos para que o empreendedor do e-commerce dar um lugar especial para o marketing digital no seu dia a dia: seu produto deve encantar o cliente sem que ele tenha contato direto com ele.

Além disso, métricas e análise de resultados são cruciais para a evolução do seu negócio. Mantenha uma imagem impecável online, fazendo clientes e tornando-se parte da vida deles.

4. Escolha uma boa plataforma

Essa talvez seja a primeira coisa a se fazer ao começar uma loja virtual. Mas, dada a importância do tema, deixamos pro final para que fique marcado na sua memória: se não tiver critérios para escolher a melhor plataforma para criar um site de e-commerce, você vai perder tempo, dinheiro e ter muitas dores de cabeça no futuro.

Leve em conta não apenas as suas necessidades imediatas, mas também onde você pretende chegar com o seu e-commerce a curto, médio e longo prazo.

Conclusão

Deve ter dado para perceber que lojas virtuais são relativamente baratas e fáceis de implantar. Mas isso não significa que tudo acontece de forma absolutamente natural e imediata, com o sucesso chegando nos primeiros meses.

Analisar cada passo antecipadamente, tomando decisões sóbrias, orientadas por reflexão e números é o ideal. Fazer, entender e melhorar pode se tornar o seu lema!

E para aplicar esse lema em sites de e-commerce, é só dar uma olhada nas 15 principais métricas de marketing digital para ficar de olho. Lá você vai aprender o que fazer, como entender e onde melhorar!

  • Parabéns pelo artigo! É legal que, pouco a pouco, as pessoas vão compreendendo que uma loja virtual dá tanto trabalho como uma loja física e que conhecimento e planejamento são fundamentais.

    • Renato Mesquita

      Obrigado pelo feedback, André! Nossa intenção é ter empreendedores cada vez mais informados e próximos ao sucesso.

      Abraços.