site institucional

Site institucional: 5 motivos para sua empresa investir em um

Podemos dizer que o site institucional é imprescindível para o seu negócio. Quer saber por quê? Acompanhe nosso post e descubra os motivos para criar o seu!

Há uma ou duas décadas, um site institucional foi a porta de entrada de muitas pequenas empresas na internet. Logo que começaram a tomar conhecimento dessa novidade, alguns empresários fizeram dele um ótimo cartão de visita virtual.

Embora essa ainda seja uma das funções de um website hoje em dia, muita coisa mudou. Atualmente, um site é algo muito mais fácil de fazer e útil do que quando a internet começou. E muito mais necessário também.

Quase podemos dizer que ele é imprescindível. Quer saber por quê? Então acompanhe nosso post e descubra os principais motivos para começar a criar o seu site institucional agora mesmo!

1. O empreendedorismo mudou na era digital

Na época dos nossos pais, ser empreendedor era algo muito diferente do que é hoje. Havia muito mais exigências operacionais e pouca chance de uma pequena empresa atuar na sua estratégia.

Ou seja, empreender era realizar vendas e quase nunca pensar sobre os próprios mecanismos e aprimorá-los. Não era todo mundo que podia se dar ao luxo, por exemplo, de medir suas estratégias e interagir diretamente com o público-alvo da sua empresa.

Hoje em dia, um empreendimento bem modesto dispõe de todas as ferramentas que precisa para rever constantemente os resultados dos negócios. E a maior parte delas está disponível gratuitamente.

Além disso, vivemos num mundo em que 80% das pessoas fazem buscas na internet antes de uma compra ou contratação de serviços. Mesmo nesse cenário, apenas 30% das pequenas empresas tinham website em 2013.

Se considerarmos que esse número não deve ter mudado muito de lá para cá, você já tem dois ótimos motivos — baseados em estatísticas — para construir o seu site institucional: criar presença online e deixar para trás seus concorrentes.

2. Um site institucional ajuda a gerar números

De forma indireta, o seu site ajuda a medir o comportamento dos seus potenciais clientes. Isso serve não apenas para saber se a sua estratégia tem funcionado, mas também para compreender as necessidades do seu público.

Por exemplo, num site institucional com a descrição de cada produto, serviço ou solução que você oferece, é possível medir o interesse dos usuários indiretamente, pelo número de acessos a cada página.

Além disso, você pode tirar proveito de diversos outros números, se tiver conhecimentos de SEO. Essa sigla significa Search Engine Optimization, que são as boas práticas que fazem com que o seu site se posicione melhor nas páginas de sites de busca, como o Google.

Além disso, essa gigantesca empresa americana disponibiliza gratuitamente um poderoso software que mede cada passo que cada usuário dá em seu site. É o Google Analytics.

Com ele, você sabe o horário das visitas, a região geográfica de onde elas vêm e até quanto tempo permaneceram, em média, em cada página do seu site.

Consegue imaginar um bom motivo para não conhecer o seu público tão bem assim? Dados como esse são preciosos para que você adapte suas soluções aos interesses deles!

3. É um investimento barato e com alto retorno

Para começo de conversa, criar um site, hoje, é muito barato. Tudo bem, se não pode pagar, você vai gastar umas boas horas — talvez dias — para colocá-lo no ar.

É claro que, se contar com webdesigners e programadores para criar um website, você vai investir na beleza, originalidade e funcionalidade dele. Mas, se ainda não pode pagar por isso, não tem problema.

Algumas empresas disponibilizam os CMS, isto é, plataformas de gerenciamento de conteúdo. Na prática, eles servem para que qualquer pessoa crie um site do zero, mesmo que ela não saiba absolutamente nada de linguagens de programação.

Os mais famosos, atualmente, são o WordPress (que é o mais utilizado e profissional) e o Wix (de longe, o mais fácil de usar).

Você gasta, em média, R$25 por mês para manter um site com domínio próprio (isto é, um nome assim: suaempresa.com.br) ou o mantém gratuitamente no domínio do próprio WordPress ou Wix!

Gastando muito pouco ou nada e pesquisando na internet como otimizar o seu site institucional, sua perspectiva de retorno pode ser altíssima, se comparada com o investimento.

4. Ele vai ser o seu porto seguro na internet

Deixa a gente adivinhar. Quando começou a ler este texto, o título chamou a sua atenção porque a sua dúvida é a mesma de muitos empreendedores que estão começando: porque não posso divulgar a minha empresa apenas com uma página no Facebook?

O desempenho das páginas do Facebook não é sempre o mesmo. E quando dizemos isso, não estamos falando de algo que dependa do seu esforço para gerenciá-la.

Sem gastar dinheiro com Facebook Ads (a publicidade paga do Facebook), você tem um alcance limitado com as suas publicações.

Por exemplo, se você tem muitos seguidores hoje, pode ser que apenas 1% deles realmente vejam a sua publicação. Numa página com 10.000 seguidores, o número real pode chegar a 100 pessoas!

Ou seja, você deve pagar por anúncios o tempo todo se quiser ser visualizado. E já que vai pagar por eles, não seria melhor usá-los para levar gente para o seu site?

Um site institucional é algo que permite que você controle o seu tráfego, opção que o Facebook não está nem um pouco disposto a te oferecer.

O empreendedorismo digital, as relações entre pessoas através da internet e, consequentemente, o empenho de uma empresa se relacionar online com seus clientes estão longe de ser apenas tendências.

Eles já são realidade inegável. E isso exige do empreendedor uma grande capacidade de adaptação. Afinal, graças à internet, o mundo dos negócios de hoje muda muito, mas muito mais rápido mesmo que o de antigamente.

Se você conseguir compreender e se adaptar ao rumo dessas mudanças, vai navegar águas tranquilas no futuro que a internet e o empreendedorismo digital nos reserva. Que tal começar isso criando agora mesmo o seu site institucional?

E já que você quer mergulhar de uma vez no mundo online e expor a sua marca lá, que tal conhecer também algumas maneiras de ganhar dinheiro com um blog?