Senso de propósito: por que você e a sua empresa não vão dar certo sem um

Talvez você já tenha reparado que atualmente se fala muito em propósito. Com a correria do dia a dia e a carga de trabalho, muitas pessoas começam a repensar suas vidas e buscar um significado maior para tudo o que fazem.

Contudo, é comum acharmos que o senso de propósito só se aplica às pessoas físicas. Isso não é verdade! Toda empresa pode e deve contar com um objetivo mais profundo do que apenas gerar receita.

Note que não estamos dizendo que o lucro não é importante. Pelo contrário: sem o lucro, até mesmo o legado de uma organização se torna impossível, já que a instituição pode ir à falência.

O que estamos propondo é que existe um meio termo, um equilíbrio. Quem disse que não é possível faturar alto e ainda contribuir com o mundo? Se as pessoas podem, as empresas também.

Ficou interessado no assunto? Continue lendo para compreender esse tema e aplicá-lo na sua gestão!

O que é o senso de propósito

Antes de qualquer coisa, é importante situarmos a discussão e deixar todos os leitores na mesma página. Afinal de contas, o que é esse tal de senso de propósito?

O dicionário Priberam define propósito como aquilo que se pretende alcançar ou realizar; fim, finalidade, mira. Já o senso é a capacidade para sentir e para pensar, além do juízo claro.

Portanto, no mundo empresarial, podemos dizer que senso de propósito é a clareza sobre o que a empresa pretende realizar.

Uma organização pode optar por alcançar praticamente qualquer coisa: faturamento, market share, número de filiais, etc.

No entanto, quando um empreendedor fala em propósito, normalmente está se referindo a um objetivo ainda mais profundo. Por exemplo: deixar um legado, construir um produto revolucionário, transformar uma indústria para sempre ou ajudar pessoas por meio de seus serviços.

Exemplos de empresas com senso de propósito

Quando olhamos para as maiores empresas do planeta, logo percebemos que seus fundadores construíram negócios que vão muito além do faturamento ou do orgulho individual.

Coincidência ou não, as organizações mais admiradas e que mais fazem história costumam ser aquelas que contribuem com o mundo de alguma forma. Novamente, não estamos falando de fazer caridade, mas sim de criar soluções que facilitam a vida das pessoas.

Veja alguns exemplos de empresas consagradas e sua visão sobre o senso de propósito:

Apple

Todo mundo já ouviu falar de Steve Jobs e de sua vontade de mudar a tecnologia para sempre. No lendário discurso que deu na Universidade de Stanford, Jobs inspirou todos com suas palavras:

*Quando eu tinha 17 anos, li uma citação que dizia algo como ‘se você viver cada dia como se fosse o último, um dia terá razão’. Isso me impressionou, e nos 33 anos transcorridos sempre me olho no espelho pela manhã e pergunto: se hoje fosse o último dia de minha vida, eu desejaria mesmo estar fazendo o que faço? E se a resposta for ‘não’ por muitos dias consecutivos, é preciso mudar alguma coisa. *

– Steve Jobs

Mas não era só Jobs que buscava fazer o que ama, isto é, ter um senso de propósito por trás de cada dia de trabalho.

Seu sócio e cofundador da Apple, Steve Wozniak, disse em entrevistas que queria fazer algo que o deixasse feliz: desenhar computadores.

Juntos, eles desejavam criar máquinas revolucionárias, capazes de transformar a vida de uma geração inteira de pessoas.

Facebook

*O desafio da nossa geração é criar um mundo em que todos tenham um senso de propósito. *

– Mark Zuckerberg

Talvez você já tenha ouvido falar que o fundador do Facebook estudou em Harvard (e mais tarde largou a faculdade para se dedicar ao empreendedorismo).

Em um discurso de graduação na mesma universidade em 2017, Zuckerberg defendeu que a geração dos jovens adultos atuais — os famosos Millenials — busca naturalmente um propósito.

No entanto, segundo ele, esse propósito deve ser estendido às empresas. Mais do que criar empregos, Mark diz que é necessário fazer com que cada organização gire em torno de uma vontade em comum.

NASA

Certa vez o presidente americano John F. Kennedy visitou o NASA Space Center. Ao cruzar por um zelador com uma vassoura, Kennedy perguntou o que ele estava fazendo.

O zelador prontamente respondeu:

“Senhor Presidente, estou ajudando a colocar um homem na lua.”

Esse é um grande exemplo do que o senso de propósito pode causar. Ele faz com que a intenção por trás dos atos seja mais importante do que a tarefa que está sendo cumprida.

A verdade é que as pessoas adoram fazer parte de algo maior e as empresas são o lugar ideal para criar essa sensação de pertencimento e contribuição.

Por que a sua empresa precisa de um propósito

Senso de pertencimento

A primeira grande razão para ter um propósito empresarial tem tudo a ver com o exemplo da NASA. Ao contar com um motivo maior capaz de unir os colaboradores, a instituição cria um senso de pertencimento.

Mais do que uma organização comercial, a empresa passa a ser um local onde seres humanos compartilham um mesmo sonho.

Com isso, o trabalho deixa de ser uma obrigação e passa a ser algo prazeroso, dividido com pessoas que têm uma visão semelhante.

Produtividade

Na ânsia de aumentar os resultados, muitos gestores pressionam suas equipes além do limite de seus colaboradores, fazendo com que as metas não sejam alcançadas.

Por outro lado, o senso de propósito tem um efeito poderoso em termos de produtividade, pois gera engajamento e motivação. As taxas de turnover e as faltas diminuem, enquanto a proatividade e a iniciativa aumentam.

Segundo a professora de Harvard Rebecca Hendenson, o compartilhamento de crenças e opiniões faz com que as pessoas trabalhem em alta performance.

Formação de líderes

Ter um senso de propósito empresarial é o jeito mais fácil de formar novos líderes e, assim, garantir o crescimento constante da marca no longo prazo.

Quando as pessoas se identificam com os valores da corporação, elas têm muito mais vontade de vestir a camisa. Se os objetivos pessoais e profissionais estão alinhados, surge naturalmente a vontade de liderar colegas e colaboradores para contribuir ainda mais com a causa.

A consequência disso tudo é que os novos líderes irão além dos conhecimentos técnicos e do domínio da gestão. Eles estarão alinhados com a instituição em um nível muito mais profundo.

Disrupção

Termo que vem sendo cada vez mais usado, disrupção consiste em transformar drasticamente um determinado mercado ou indústria. Até hoje, todas as empresas que se tornaram referências mundiais foram disruptivas.

Empresas disruptivas — como as citadas acima — são capazes de lucrar valores inimagináveis. Porém, mais do que isso, deixam um legado.

Já imaginou você, como empreendedor, deixar seu nome gravado para sempre na história? Isso só será possível se a sua marca tiver um propósito permeando todas as ações.

Checklist de boas práticas

Legal, até aqui você já compreendeu a importância de ter um propósito empresarial. Mas como gerar um senso de propósito em todos os colaboradores e parceiros do seu negócio?

Não se preocupe! Preparamos uma checklist para ajudar a faz com que seus objetivos se tornem parte da cultura da empresa:

1. Crie sua missão, visão e valores

Uma empresa com propósito certamente tem capacidade para desenvolver missão, visão e valores com significado real, muito além das palavras bonitas.

Os valores são as regras do jogo, aquilo que não pode ser quebrado. A missão é o que você se propõe a fazer diariamente, o seu modo de operar e trabalhar. Já a visão é onde a empresa quer chegar no longo prazo.

2. Comunique seu propósito

A única forma de gerar um senso de propósito é comunicar esse propósito.

Parece óbvio, né? Entretanto, a grande maioria das instituições nunca chega a esclarecer os objetivos e valores para seus colaboradores.

3. Contrate por alinhamento

Um estudo da consultoria Gallup mostrou que apenas um terço dos empregados americanos consideram que a missão ou o propósito das empresas nas quais trabalham faz eles sentirem que seu trabalho é importante.

Para resolver esse problema é preciso recrutar pessoas que tenham valores similares aos da marca. Quando os líderes e liderados acreditam em uma mesma causa, a satisfação aumenta e os resultados também.

4. Valorize a igualdade

Quando as ideias são mais valorizadas do que a aparência, o senso de propósito se espalha muito mais rápido. E isso ainda faz bem para a empresa.

Uma pesquisa da McKinsey apontou que empresas com diversidade de gênero e etnia apresentam resultados superiores. Essas marcas são 21% mais propensas a ter uma rentabilidade acima da média de seus mercados.

5. Incentive o intraempreendedorismo

Hoje em dia todos são empreendedores. Um funcionário pode trazer ideias inovadoras, gerenciar projetos de expansão e criar novas soluções dentro da sua empresa.

Ao incentivar a proatividade e o empreendedorismo interno, você faz com que as pessoas tenham uma atitude de donas do negócio. O senso de propósito aumenta e a corporação colhe os frutos dessas contribuições.

Como deu para perceber, empresas com senso de propósito são capazes de deixar um legado e ainda gerar muito mais lucros. Portanto, é possível trabalhar todos os dias com uma causa por trás, contribuindo para o mundo e fazendo com que a equipe toda esteja unida em prol de um objetivo maior.

Gostou do conteúdo? Compartilhe nas redes sociais e ajude a construir um mundo no qual mais empresas têm um senso de propósito!

comments powered by Disqus