saúde vs produtividade

Saúde vs produtividade: como essa equação deve estar equilibrada no trabalho?

Ter trabalhadores produtivos é o objetivo da maioria das empresas, porém, não basta apenas contratar funcionários capacitados e achar que tudo estará resolvido.

Ter trabalhadores produtivos é o objetivo da maioria das empresas, porém, não basta apenas contratar funcionários capacitados e achar que tudo estará resolvido.

A produtividade está diretamente relacionada à saúde e bem-estar dos colaboradores e quando esses não possuem boas condições de trabalho ou preocupações, os resultados não são satisfatórios.

Sabendo dessas informações, a qualidade de vida no trabalho tem se tornado uma preocupação frequente na empresas, mas ainda está longe de atingir um patamar ideal.

Em uma palestra, o presidente da FIESC, Glauco José Côrte, apresentou alguns dados que chamam a atenção. Para ele, por ano, se perdem 35 milhões de dias de trabalho devido a problemas de saúde.

Dos 150 mil trabalhadores afastados por problemas de saúde em 2015, somente cerca de 15 mil estariam reabilitados em pouco tempo para voltar a exercer as suas funções.

Quando se consideram os valores, os números chamam a atenção. Entre os anos de 2010 e 2014, foram gastos US$ 23,7 bilhões com problemas de saúde dos trabalhadores.

Esses dados alarmantes, aos poucos estão tentando ser revertidos pelas empresas, tanto que os investimentos em saúde têm aumentado.

Investir em saúde para aumentar a produtividade

Percebendo que para conseguir bons resultados produtivos, as empresas e indústrias notaram que não basta apenas investir em equipamentos modernos, é preciso cuidar de seus funcionários.

Devido a isso, os investimentos vêm aumentando e proporcionando bons resultados, como com a contratação do plano de saúde empresarial.

Um levantamento feito pelo Serviço Social da Indústria (SESI), entre outubro de 2015 e fevereiro de 2017, com 500 empresas de médio e grande porte, permitiu se ter uma boa noção desse cenário.

Entenda alguns dados que foram coletados durante o estudo.

  • 71,6% das empresas entrevistadas afirmam que se preocupam com a saúde dos trabalhadores;
  • Para 76,4%, a atenção à saúde deve aumentar nos próximos 5 anos, sendo que 13,2% acreditam que ela deve aumentar muito;
  • 48% possuem ações que visam promover a saúde no trabalho e assim reduzir as faltas por esse motivo;
  • 43,6% delas notaram que essas ações conseguem proporcionar maior produtividade no chão de fábrica;
  • 34,8% veem essas ações como parte importante na redução de custos;
  • 87,8% das indústrias realizam a gestão do afastamento por doença;
  • 84% das empresas monitoram os aspectos ergonômicos;
  • As grandes empresas são as que mais dão atenção à saúde dos trabalhadores, sendo que 36% delas possuem uma preocupação muito alta. Entre as médias empresas, 20,4% possuem o mesmo grau de preocupação.

Problemas que afetam a produtividade

Não basta apenas entender que o problema existe é preciso saber quais são as causas para que ele seja combatido.

Analisando as principais causas de problemas de saúde no trabalho e como afetam a produtividade, a Willis Towers Watson realizou a pesquisa [email protected] – Health & Productivity com 56 empresas brasileiras.

Também foram analisados outros lugares do mundo para se fazer uma comparação, sendo 1.700 empresas em 34 países.

No Brasil, os principais problemas citados pelos empregadores são:

  • Estresse (62%);
  • Falta de atividade física (44%);
  • Presenteísmo (42%);
  • Excesso de peso/obesidade (40%);
  • Maus hábitos alimentares (36%).

O estresse também aparece em primeiro lugar da lista em lugares como Estados Unidos, oriente Médio, Europa, África e América Latina.

Quando os gestores foram questionados sobre o comprometimento da empresa em relação à saúde dos trabalhadores, em 2018, 80% deles informaram que irão aumentar ou aumentar significativamente esse comprometimento.

Hoje, a visão ainda está um pouco diferente, com 48% delas entendendo que é essencial ter uma estratégia relacionada à saúde. Já 34% delas dizem que a saúde tem uma importância moderada.

Entretanto, com as empresas cada vez mais preocupadas e investindo em seus trabalhadores, a adesão continua baixa. Apenas 57% dos empregados brasileiros participaram de alguma ação ou programa no último ano.

Os motivos para essa baixa adesão foram:

  • 51% preferem gerenciar sozinhos a sua saúde;
  • 40% acham que as iniciativas oferecidas por suas empresas não atendem as suas necessidade;
  • 22% não querem que os empregadores tenham acesso as suas informações de saúde.

O que fazer para aumentar a qualidade no trabalho?

A segurança precisa ser verificada, pois ela pode diminuir consideravelmente os acidentes no trabalho e também contribuir para a preservação da saúde do trabalhador.

A utilização dos equipamentos de proteção individuais são essenciais, e esses devem ser fornecidos pela empresa.

Eles devem estar em boas condições e garantir que os trabalhadores possam executar as suas atividades em segurança, sem que corram grandes riscos.

Os colaboradores também devem passar por treinamento antes de executarem as suas tarefas. É preciso que eles não apenas conheçam como realizar as atividades, mas o risco envolvido em cada uma delas.

O cumprimento da legislação é normas técnicas é outro ponto fundamental. Elas existem para preservar a segurança do trabalhador e diminuir os riscos envolvidos.

A ergonomia deve ser acompanhada, os funcionários devem ser orientados sobre a postura correta em cada etapa produtiva.

Os equipamentos devem estar ajustados a cada tipo físico para que não prejudiquem a coluna ou outros membros.

A saúde psicológica é outro fator que pode fazer com que surjam doenças do trabalho e preservar a integridade mental se faz fundamental.

Para isso é preciso proporcionar um ambiente de trabalho adequado, sem que haja pressão psicológica ou ameaças.

O investimento em ginastica laboral ou outras ações que visem beneficiar os trabalhadores física ou psicologicamente, devem ser constante e transmitirem a sensação de proporcionam benefícios.

O investimento na área de saúde, pode ser complementando com a disponibilização de planos de saúde para os funcionários, 10assim pode garantir maiores cuidados.

Esse fato é tão importante que a maior parte dos planos de saúde comercializados no país são coletivos ou empresariais.

Por Jeniffer Elaina, redatora do PlanodeSaude.net.