ROI: Será que os seus investimentos estão trazendo um bom retorno?

ROI: Será que os seus investimentos estão trazendo um bom retorno?

1206
0
SHARE
ROI

Empreender pode ser considerado sinônimo de investir. É impossível pensar nessa atividade sem pensar nos diversos investimentos que um empreendedor precisa realizar.

No entanto, como saber se o investimento está trazendo retorno? Pensando em responder essa dúvida este artigo falará sobre o ROI, e como esse cálculo pode ajudar sua empresa.

O que é ROI?

ROI é abreviação do termo em inglês Return on Investment, que foi traduzido para o português como Retorno sobre o investimento.

O objetivo de calcular o ROI é revelar ao empresário o quanto de retorno ele teve sobre o valor que investiu, e, desse modo, descobrir se o investimento valeu ou não a pena.

Esse cálculo pode ser feito para qualquer atividade que a empresa desempenhou objetivando o lucro, como uma campanha de publicidade, por exemplo.

Por que calcular o ROI é importante?

Empresários devem dar atenção aos três “Ps” que garantem o sucesso de uma empresa: pessoas, produtos (ou serviços) e processos.

Quando falamos de pessoas estamos nos referindo à necessidade de transformá-las em consumidores. Produtos são o bem final produzido pela empresa e os processos envolvem todas as atividades desempenhadas para torná-los possíveis.

Uma empresa de sucesso busca eficiência constante, desse modo, monitorar seus processos, garantir a qualidade de seus produtos e atrair cada vez mais pessoas são palavras de ordem.

Os três pês são as três colunas que mantêm um negócio em pé.

Para alcançar um nível satisfatório de eficiência o empresário deve analisar os investimentos da empresa para pode aprimorá-los ou substituí-los.

Por isso é tão importante calcular o ROI.

Como se calcula o ROI?

O cálculo é simples:

ROI = ((Receita – Custos) / Custos) *100

Exemplo:

Sua empresa realizou uma campanha publicitária no valor de R$ 100 mil. Obteve uma receita de R$ 500 mil o cálculo do ROI seria:

ROI = ((500 – 100) / 100) * 100

ROI = (400 / 100) * 100

ROI = 4 * 100

ROI = 400

Transformando em porcentagem 400%. Ou seja, a empresa teve um retorno de 400% sobre o valor investido.

Dependendo das metas da empresa, esse resultado pode ser considerado um sucesso, mas também pode ser interpretado como ruim, se o objetivo era um retorno maior, por exemplo.

Por isso, é muito importante que os investimentos estejam alinhados com as metas do empreendimento. Desse modo, o empresário sabe o que deve esperar como retorno e o cálculo do ROI se torna mais objetivo.

É importante que no cálculo do ROI as receitas analisadas sejam aquelas relacionadas ao retorno do investimento calculado, e não as receitas totais da empresa.

A empresa pode ter obtido um aumento em suas receitas, devido a um investimento específico, enquanto outros fracassaram.

O tempo na equação do ROI

A empresa deve ter em mente que determinados investimentos demoram a trazer um retorno, são os chamados investimentos a longo prazo e têm como prioridade fortalecer a companhia para o cenário futuro.

Um grande investimento como a compra de máquinas pode ser um exemplo desse pensamento. Um investimento desse porte demanda uma grande quantia, mas ele não se pagará em um curto período de tempo, por isso a forma correta de analisá-lo é questionar seu tempo de vida útil e  o quanto ele produzirá nesse período.

Exemplo: sua empresa compra uma máquina no valor de R$ 150 mil. Essa máquina gera um aumento de R$ 1500 mensais na margem da produção. A vida útil do equipamento é de 15 anos, logo, nesse período ele gerará R$ 270 mil.

Calculando o ROI teríamos

ROI = (270 – 150) / 150) * 100

ROI = (120/150) *100

ROI = 0,8 * 100

ROI = 80%

Em 15 anos o investimento teria trazido um retorno de apenas 80%.

Todos os investimentos devem analisar o ROI?

Sim, afinal, quando se faz um investimento espera-se um retorno, mas nem sempre o empresário consegue entender isso.

Uma empresa que criou um espaço de lazer para agradar a seus funcionários calculará como o ROI?

Nesse caso, é interessante lembrar-se que para analisar alguma coisa é importante estabelecer critérios. Por isso, torna-se necessário fazer algumas perguntas, como:

  • O número de funcionário que pediu demissão diminuiu após a criação do espaço de lazer?
  • A produtividade aumentou?
  • O número de colaboradores afastados por doenças como estresse caiu?
  • O número de pessoas que indicam a empresa como “um bom lugar para se trabalhar” subiu?

Observando essas perguntas torna-se claro como todo investimento pode trazer ganhos para a empresa, mesmo os que não estão diretamente ligados à produção.

ROI no monitoramento dos processos

Como já explicamos em outros textos, monitorar os processos internos garante eficiência à empresa, no entanto, muitos empreendedores têm dificuldade em fazê-lo por não conseguirem calcular a qualidade desses processos.

O ROI pode facilitar essa tarefa, afinal, quando o empresário entende que todos os processos são frutos de investimentos, ele entende que esperar um retorno desses processos é mais do que compreensível.

Essa é uma das principais vantagens de se realizar esse cálculo: sua versatilidade. Do mesmo modo com que ele pode ser feito para aspectos amplos – como verificar se um anúncio na TV trouxe retorno –, ele também pode auxiliar à análise de questões específicas.

Erros comuns na hora de calcular o ROI

Além da falta de metas e a imprecisão na hora de levar em consideração investimentos a longo prazo – erros que já foram abordados neste artigo – outro erro comum na hora de calcular o ROI está ligado na projeção de retornos irreais.

Isso pode ocorrer quando a empresa não sabe dimensionar o mercado no qual está inserida e esquece-se de levar em conta aspectos como as empresas concorrentes.

Um exemplo: uma pizzaria tinha como objetivo um aumento de 500% em vendas. Essa empresa queria tornar-se a maior da cidade, por isso resolveu investir pesado em publicidade, realizando anúncios em jornais, rádios e TV.

A empresa queria tornar-se sinônimo de rapidez em suas entregas e qualidade. No entanto, ela esqueceu-se que existem diversas pizzarias de bairro, que podem entregar suas pizzas mais rápidos para os clientes que moram perto. Além disso, esses pequenos comércios resolveram realizar promoções para não perderem clientes em tempos de crise.

O consumidor optou pelo mais barato, pois para ele o importante é comprar a pizza, independente se a marca apareceu na mídia, ou não.

Esse exemplo serve apenas para a ilustrar a importância de levar aspectos externos em conta na hora de fazer investimentos e calcular um ROI específico, como uma campanha de publicidade, por exemplo.

Ignorar que existem empresas concorrentes, que também estão investindo, é um erro grave, que não pode ser cometido.

Além disso, a empresa não deve fugir de indicadores que demonstrem que algo deu errado.

Voltando ao exemplo da pizzaria, a empresa pode ter notado um grande aumento no número de ligações, o que indica que o investimento em publicidade foi um sucesso, certo? Errado!

Essas ligações não se converteram em vendas, portanto mesmo que a empresa tenha se tornado mais conhecida ela não atingiu seu objetivo de posicionamento de mercado.

Tenha cautela na hora de analisar os números, pois mesmos resultados positivos podem revelar que algo deu errado. São chamadas métricas de vaidade, elas indicam que algo na estratégia tomada deu certo, e podem induzir o empresário a continuar no caminho errado – imagine se essa pizzaria ignora a baixa conversão das ligações em vendas e continua r investindo em publicidade?

Não tenha meda de fazer mudanças

Pode ser difícil admitir que uma estratégia deu errado, mas a empresa deve evitar ter um comportamento intransigente.

Grandes companhias já cometeram erros e viram seus investimentos transformarem-se em grandes prejuízos. Isso pode acontecer. O que realmente importa é a posição que a empresa tomará para reverter isso.

Os números revelados pelo ROI podem alertar o empresário que algo deu errado, mas não podem mudar os resultados sozinho. Cabe à empresa decidir se abandonará a estratégia falha rumo à renovação.

Em resumo

Calcular o ROI deve fazer parte da rotina da empresa. Essa estratégia valida investimentos e ajuda na monitoração de processos – ajudando a aperfeiçoá-los, gerando economia à empresa e melhorando a qualidade do trabalho.

A busca pelo aperfeiçoamento constante faz com que a empresa atenda aos três “Ps” (pessoas, produtos e processos), que são considerados colunas de sustentação de uma empresa bem-sucedida.

No entanto, essa tarefa torna-se difícil se o empresário pouco conhecer sobre sua empresa e sobre o mercado no qual está incluído. O ROI é um complemento de uma análise constante que deve ser feita no empreendimento.

Estabelecer critérios de análise, em harmonia com as metas da empresa, tornará essa estratégia muito mais eficaz. Afinal, quando se faz um investimento deve-se ter em mente qual o retorno desejado.

O ROI pode ser feito em qualquer negócio, pois auxilia os processos financeiros, e esses processos estão presentes em todas as empresas.

Além disso, todo investimento, ainda que não esteja diretamente ligado à produção de bens e serviços deve ser analisado, pois mesmo que feito de forma despretensiosa ele pode trazer resultados à empresa.

Agora que você já sabe tudo sobre ROI, que tal saber quais são os 10 melhores livros sobre liderança?