Você sabe o que é remarketing? Nós te contamos tudo dessa estratégia

Você sabe o que é remarketing? Nós te contamos tudo dessa estratégia

1084
0
SHARE
remarketing

Imagine que, enquanto você navega por uma loja virtual, encontra alguns produtos realmente interessantes.

Ao clicá-los, é direcionado à página do produto, mas por algum motivo, não efetiva a compra.

Até aí, nada de mais. Porém, ao visitar outros sites, aquele mesmo produto é oferecido a você em formato de anúncio.

Como isso acontece? Essa, meus amigos, é uma técnica conhecida como remarketing.

Nesse artigo, você saberá o que é e como funciona essa estratégia de marketing digital.

O que é remarketing?

O remarketing (ou retargeting) é uma técnica criada para anúncios feitos a usuários que já demonstraram interesse no produto.

Como visto no exemplo acima, a repetição da exibição pode fazer com que o consumidor reconsidere a opção de compra.

A expressão é uma fusão de três palavras: repeat (em português, repetir), target (alvo) e marketing.

Ou seja, é uma maneira de filtrar os internautas através do comportamento, tentando convencê-lo a fechar o negócio em um momento mais oportuno.

Como fazer remarketing

Existem várias plataformas que permitem a utilização do remarketing, como o AdRoll e o FetchBack, mas as mais conhecidas são o Google Adwords e o Facebook Ads. Qualquer que seja a sua escolha, ele funcionará de maneira semelhante.

Como essa estratégia é baseada em uma ação prévia do usuário, ela utiliza-se de cookies recolhidos durante a navegação, revelando as páginas por ele visitadas.

Para se fazer remarketing é preciso escolher uma ou mais páginas de destino onde um produto seja divulgado.

Feito isso, você deverá utilizar as plataformas de anúncios para atingir somente as pessoas que já visitaram aquela página.

Vale lembrar que a URL escolhida pode também ser a do carrinho de compras, ou seja, aqueles usuários que ultrapassaram a fase da consideração e apenas não efetivaram a compra.

O remarketing no Google Adwords

No Google Adwords, principal platafora de publicidade online, é preciso criar uma tag de remarketing, ou seja, uma etiqueta que identifique as páginas nas quais você espera utilizar a estratégia.

Depois, é necessário criar listas de remarketing para cada uma das suas páginas de destino. A cada vez que um usuário acessá-las, ele será adicionado à lista automaticamente.

Aqui, observa-se uma oportunidade de anunciar não apenas para o mesmo produto, mas para itens relacionados.

Por exemplo, se uma pessoa demonstrou interesse em uma camisa esportiva, você pode oferecer a ela também um tênis para prática de esportes. Faz sentido, não é mesmo?

Observa-se também uma boa chance para realização de promoções. Você pode optar por oferecer novamente o produto por um preço menor, ou quem sabe vender pacotes e kits com condições especiais.

Depois disso, é preciso criar as suas campanhas e selecionar os procedimentos naturais de uma campanha do Google Adwords, como a escolha do interesse, variação de comportamento, dados demográficos, geográficos, sociais, etc.

Além disso, também pode definir o valor pago pelo clique, impressões, entre outros ajustes técnicos.

Assim que você ativá-la, seus anúncios passarão a ser veiculados. Eles poderão ser vistos nos sites parceiros cadastrados através do Google AdSense, ou seja, na rede de display.

O mesmo processo vale para a rede de pesquisa, com alguns diferenciais de funcionalidade, como a escolha de palavras-chave.

O remarketing no Facebook Ads

Na plataforma de Mark Zuckerber, o remarketing é uma ferramenta relativamente nova, então pode ser uma ótima oportunidade de mercado.

Ela funciona de maneira similar à rede de display do Adwords, linkando as páginas desejadas nos anúncios.

As pessoas irão ver os anúncios enquanto navegam pela rede social.

Essa técnica pode ser uma poderosa aliada dos empreendedores digitais, já que o público brasileiro é líder em tempo gasto nas redes sociais, com aproximadamente 650 horas mensais.

Se considerarmos que o Facebook é a plataforma social mais utilizada no Brasil, com 103 milhões de usuários, fica fácil entender porque essa é uma prática extremamente recomendada.

Para saber como fazer marketing nesta rede social, leia esse post!

Vantagens e desvantagens do remarketing

Além do fato de você criar uma nova oportunidade de fechar um negócio, existem diversos benefícios disponíveis em uma campanha de remarketing.

Por exemplo, o fato de haver diversas opções de segmentação comportamental de público.

É possível anunciar para qualquer um que já tenha visitado o seu website, apenas para usuários que abandonaram o carrinho, pessoas que acessaram uma página de destino específica e até mesmo para antigos compradores.

Em contrapartida, essa técnica não é recomendada para websites que possuam baixo tráfego, já que exige uma visita anterior às páginas de destino.

Tenha em mente, também, que este é um recurso limitado, então apesar de o custo ser relativamente mais baixo, não é uma ação que visa a divulgação massiva do produto.

No caso de anúncios gráficos, utilizados na rede de display do Google Adwords, há também um dispêndio de recursos, já que a composição das peças pode demandar investimento de tempo ou de profissionais especializados.

Cases de remarketing

Fonte: Conversionxl

Algumas empresas têm obtido resultados espetaculares com o uso do remarketing. Para confirmar essa afirmativa, mostramos alguns casos, onde a inteligência humana foi combinada com as ferramentas digitais:

Mazda

A empresa do ramo automotivo Mazda tinha como principal objetivo conseguir mais pessoas para fazerem o test drive de seus veículos. Para isso, utilizaram um software de remarketing.

Os responsáveis pela ação utilizaram a segmentação geográfica para atingir somente usuários que estivessem próximos a alguma loja ou concessionária.

A seguir, alinharam a estratégia com o remarketing. Com isso os anúncios de modelos específicos pelos quais os consumidores se interessavam chegavam até eles com um convite para o test drive.

Os resultados? Os usuários que visualizaram os anúncios converteram 53% mais do que aqueles invitados pelo grupo de controle, e o valor das vendas de carros através do remarketing foi 98% superior à média offline.

Bebê Store

A loja virtual de produtos para bebês precisava daquilo que é a meta final de quase todos negócios: aumentar as vendas.

A estratégia do casal de administradores brasileiros foi investir em uma das opções do Google Adwords, a otimização por conversão.

Nela, é possível fazer com que plataforma identifique automaticamente as melhores combinações de métricas para gerar uma conversão, incluindo dados comportamentais do consumidor.

Por fim, eles utilizaram uma ferramenta chamada de remarketing dinâmico, que é vinculado à rede de pesquisa do Google, e divulgaram seus produtos através do Google Shopping, mostrando em formato de carrossel os itens pelos quais os usuários haviam mostrado interesse.

No fim, as vendas aumentaram em 98% e a empresa obteve o tão sonhado destaque no mercado.

Watchfinder

A empresa ucraniana era líder do mercado de vendas de relógios online. Porém, na busca do sucesso, eles queriam aumentar as vendas diretas. Então, decidiram investir no remarketing.

O setor responsável criou 20 listas de remarketing, e definiram diferentes audiências pelo estágio da compra (na página do produto ou no carrinho de compras, por exemplo), localização, comportamento e – pasmem! – pelo servidor de internet.

Depois disso, foram muitas análises de relatórios, onde decidia-se quais seriam as melhores formas de investir.

Não há muito o que falar sobre os resultados obtidos, apenas observá-los e admitir o quanto essa estratégia pode ser eficaz: em 6 meses, a empresa alcançou o ROI (retorno sobre o investimento) de 1.300%.

Lumension

Agora vamos a um case relacionado a um negócio B2B (business to business), ou de empresa para empresa. A Lumension era uma grande marca de softwares de endpoint security, uma tecnologia de proteção e segurança de computadores, ou seja, ofereciam seu produto para outras empresas.

Eles não utilizaram somente uma campanha comum de remarketing, mas mesclaram com sua estratégia offline. Para tal, entraram em contato com websites parceiros responsáveis por eventos cujo público era interessante à Lumension.

Então, cruzaram os dados dos visitantes dos sites e definiram como alvo os internautas que demonstravam interesse no conteúdo de seus concorrentes. Portanto, tinham como objetivo atingir pessoas engajadas pelo mesmo produto, mas de marcas diferentes. Tudo isso utilizando informações obtidas por terceiros.

O volume de leads captados aumentou 81%, e o valor pago por clique foi reduzido em 30%. Resultados realmente impressionantes.

Dicas de remarketing

Algumas práticas são extremamente recomendadas no remarketing:

  • Invista na UX (experiência do usuário) do seu site e das suas landing pages;
  • Seja específico e crie listas diferentes para cada público;
  • Tome cuidado para não exibir anúncios do mesmo produto para usuários que já efetivaram a compra;
  • Fique atento ao valor dos lances e às palavras-chave que podem ser relevantes para o seu negócio;
  • Utilize anúncios gráficos de qualidade na rede de display;
  • Fique de olho no Google Shopping;
  • Observe outras plataformas onde o remarketing é disponibilizado, como por exemplo o YouTube e o Twitter Ads;
  • Realize testes e faça modificações durante a execução da campanha.

Conclusão

Não há dúvidas que o remarketing é uma das principais estratégias de marketing digital no cenário atual de internet.

Afinal, é muito mais fácil converter consumidores que já conhecem a sua marca. Cabe ao bom empreendedor saber tirar o máximo proveito dessa técnica para obtenção dos resultados esperados.

Quer alavancar as vendas no seu site mais? Confira algumas dicas exclusivas do Saia do Lugar.