Redes sociais: tudo o que você precisa saber sobre as mídias mais usadas no Brasil

Redes sociais: tudo o que você precisa saber sobre as mídias mais usadas no Brasil
Pare e pense sobre o uso das redes sociais no seu dia a dia. É provável que ver as atualizações seja uma das primeiras coisas que faz quando acorda. Você também deve acessá-las no almoço, naquele momento de descanso durante o trabalho e até antes de dormir. Mas será que elas são tão importantes assim?

A resposta é: claro que são! Hoje, não dá para pensar em uma vida sem “stalkear” alguém, interagir com alguma imagem e postar o que acha interessante ou “fofinho”. Porém, também é fundamental pensar na mudança do relacionamento entre empresas e marcas proporcionada por essas mídias.

Além de aumentar o engajamento e a interação, esses canais também podem ser usados para atrair talentos. É por isso que 94,4% das empresas têm perfis em um ou mais desses meios e que, desse total, 62% acreditam que essa é uma grande oportunidade para os negócios.

Além disso, os principais motivos para estar nas redes são visibilidade online (85,3%) e interação com o público (64,8%). Os dados são da pesquisa Social Media Trends 2018.

Diante de toda essa importância, é evidente que você precisa conhecer mais sobre esses canais de engajamento. É por isso que criamos este post, que aprofundará seu conhecimento sobre eles. Acompanhe!

O que é uma rede social?

No ambiente online, esse conceito trata de aplicativos de compartilhamento de informações entre pessoas e empresas. Cada rede é como uma plataforma de conexão, que possibilita a qualquer empresa ou pessoa repassar seus interesses, opiniões e pontos de vista.

O site SixDegrees.com é considerado o primeiro enquadrado nessa categoria no mundo moderno. Nele, já era possível ter um perfil e adicionar outras pessoas. Porém, muitas outras plataformas vieram depois com novas abordagens.

Entre eles estão: Friendster, hi5, MySpace e Orkut. O último foi o que teve o maior sucesso no Brasil, sendo que ao completar 10 anos em 2014, ainda contava com 32 milhões de usuários, e 6 milhões deles ainda eram ativos.

Assim, fica claro que as redes interferem muito na nossa rotina e facilitam nossas interações sociais, ao ponto de mandarmos mensagens para alguém que está fisicamente próximo. Por isso, deixou de ser exagero acreditar que essa é uma extensão da nossa vida.

As vantagens das redes sociais para as empresas

Esses lugares virtuais fazem mais do que permitir a interação entre marcas e usuários. Há vários aspectos positivos proporcionados, como:

  • compartilhamento da visão da empresa, já que são uma espécie de vitrine do negócio;
  • personalização da mensagem e interação com o cliente, o que facilita a solução de problemas e a descoberta de informações;
  • segmentação do público a partir das características da audiência para atrair as pessoas com mais afinidade e direcionar esforços;
  • capacidade de compreender melhor os clientes para se aproximar deles e se conectar melhor a partir do que é relevante;
  • possibilidade de vender por meio desses canais devido à aproximação e ao engajamento maior com o público;
  • criação de um ambiente controlado pela própria organização;
  • possibilidade de divulgação com baixo orçamento e potencial de mensurar os resultados;
  • obtenção de dados em tempo real, o que possibilita gerenciar crises e garantir um posicionamento mais acertado.

Qual é a diferença entre rede e mídia social?

Ambos os termos costumam ser usados como sinônimos, mas isso é um erro. As redes sociais são as conexões que estabelecemos com outras pessoas, no mundo digital ou no ambiente físico. São uma estrutura que permite às pessoas compartilharem seus interesses e interagirem entre si.

Já as mídias sociais são as plataformas que permitem essa conexão e a manutenção das redes de relacionamento. A função delas é possibilitar a transmissão de informações e o compartilhamento em massa dos conteúdos. Por isso, abrangem vídeos, as próprias redes e os blogs.

Em outras palavras, as redes estão inseridas nas mídias sociais. Uma precisa da outra para que exista e possibilite que as pessoas entrem em contato.

Quais são os tipos de redes sociais?

A definição desse conceito precisa ser complementado com a especificação dos diferentes tipos que existem. Os principais são os que listamos, a seguir.

Rede social de relacionamento

Esse objetivo é compartilhado por todas as redes criadas, mas algumas têm esse foco. É o caso do Facebook, que visava a conexão entre as pessoas, principalmente em sua concepção. Porém, isso também ocorre com o Instagram, o LinkedIn, o Google+ e o Twitter, por exemplo.

Rede social de entretenimento

Nesse caso, o propósito é consumir conteúdo. O exemplo mais icônico é o YouTube, plataforma de distribuição de vídeos. O Pinterest também se enquadra nessa categoria, mas o ponto principal são as imagens.

Rede social profissional

O LinkedIn é hoje o maior exemplo. Seu propósito é criar relacionamentos profissionais com outros usuários, assim como divulgar conquistas e projetos, conseguir indicações, descobrir vagas de empresa, apresentar competências e seu currículo e mais.

Rede social de nicho

Seu intuito é atingir um público específico, como uma categoria profissional ou pessoas com um interesse em comum. Alguns exemplos são:

  • TripAdvisor, que é voltado para o turismo e a gastronomia;
  • DevianArt, direcionado para a divulgação de artistas visuais;
  • Goodreads, que possibilita aos leitores fazerem resenhas e sugerirem leituras.

Perceba que uma mesma rede pode estar enquadrada em mais de um tipo, mas sempre haverá um foco principal.

Quais são as principais redes sociais usadas no Brasil?

Existem diferentes redes utilizadas no Brasil e no mundo. No total, há 2,7 bilhões de usuários de ativos, segundo a pesquisa Digital In 2017, da We Are Social. Porém, como escolher as melhores opções para sua empresa?

Tudo depende do perfil do público-alvo. É importante conhecê-lo para garantir sua presença nas redes mais utilizadas pelos seus clientes atuais e potenciais. Por isso, a seguir listamos as principais redes usadas no Brasil.

Facebook

Essa é a rede social mais popular do Brasil e a maior do mundo. No total, há 2,12 bilhões de usuários ativos por mês no mundo, sendo que 120 milhões deles são brasileiros.

Isso acontece por um motivo bastante simples: a reunião de tudo o que o usuário precisa em um só local. Devido a essas características, atraiu um grande número de pessoas e se tornou um chamariz para as marcas.

O Facebook é uma rede versátil, que permite conhecer pessoas, conectar-se com amigos e fazer negócios. Para ter uma estratégia acertada, é preciso focar na sua persona e pensar em maneiras de atrair o público.

As chances de conseguir esse resultado são elevadas quando você estuda o algoritmo do Facebook, que oferece indicativos de como seu conteúdo pode ser entregue a um número maior de usuários. Ser criativo é outra dica que ajuda muito, já que assim você tende a aumentar o engajamento.

Instagram

Os mais de 800 milhões de usuários no mundo, sendo 50 milhões deles no Brasil, tornam o Instagram uma das principais redes para clientes e marcas. Exclusiva para mobile, o Instagram começou com o estilo de fotografia vintage, já que as imagens eram limitadas para o formato quadrado.

No entanto, com a aquisição do app pelo Mark Zuckerberg, o rol de funcionalidades aumentou muito. Hoje, é possível postar fotos e vídeos, aplicar filtros, ver o Stories e por aí vai. Para as empresas, esses recursos representam uma grande oportunidade para mostrar seus produtos.

A criação de oportunidades depende de um bom gerenciamento da marca, com o uso de diferentes recursos. Vale a pena utilizar o algoritmo a seu favor e também fazer lives para aproximar sua estratégia do público. Ah! E sempre mantenha o foco na persona, que oferecerá bons insights do que deve ser realizado.

LinkedIn

A maior rede profissional do mundo tem 500 milhões de usuários e mais de 29 milhões de brasileiros. É uma plataforma excelente para pessoas que querem divulgar suas competências e seu currículo, mas também uma boa oportunidade para empresas encontrarem talentos.

Atualmente, o LinkedIn é muito usado como espaço de recrutamento de talentos e potencializador de carreiras. Por isso, é uma oportunidade interessante para qualquer atividade referente ao mundo corporativo.

O diferencial da estratégia do LinkedIn é focar o chamado employer branding, que visa ao fortalecimento da marca para a atração de talentos. Porém, sua empresa também pode gerar tráfego para o blog com conteúdos relevantes, especialmente os de meio e fundo de funil.

YouTube

No auge, essa rede chegou a 1,8 bilhão de usuários por mês em 2018, ficando atrás apenas do Facebook. No Brasil, as estatísticas demonstram que o acesso ao site é feito por 98 milhões de pessoas mensalmente.

Com seu direcionamento para vídeos, o YouTube é a principal desse segmento. Seja para ouvir músicas ou assistir a um filme, seja para criar conteúdos audiovisuais para fortalecer as marcas, essa plataforma é uma estratégia interessante para o marketing digital.

Perceba que o objetivo principal é oferecer visibilidade para a marca e entregar conteúdo relevante. Porém, a monetização também pode ser uma estratégia interessante. Por isso, vale a pena investir em anúncios, fazer parcerias com influenciadores e produzir conteúdo.

Twitter

Os mais de 328 milhões de contas ativas trazem relevância para essa rede, que é marcada por ser um ambiente de expressão. Porém, as marcas também podem utilizá-la como oportunidade de gerar engajamento e vendas.

Para chegar a esse patamar, é preciso ter clareza sobre os valores da empresa e definir o que é importante. Vale a pena acompanhar os seguidores e verificar o que eles compartilham para ter ideias do que chama sua atenção.

Facebook Messenger

Esse aplicativo de mensagens instantâneas já registra mais de 1,3 bilhão de usuários ativos e se tornou mais do que um canal de troca de informações entre usuários. As marcas aproveitaram seus recursos para conversar de maneira privada com os usuários e solucionar problemas, responder a dúvidas e até converter leads.

Além disso, há o recurso Stories exclusivo, porque a plataforma funciona de forma independente, e as marcas podem usar bots e respostas inteligentes.

Assim, o principal foco dessa rede é atuar como um canal de suporte, mas é preciso ter uma estratégia inteligente para fornecer um atendimento de qualidade e se destacar perante os consumidores.

WhatsApp

Esse é um aplicativo praticamente obrigatório para qualquer pessoa — e também tem se tornado essencial para as empresas. Com 1,5 bilhão de usuários ativos por mês, sua característica principal é facilitar a comunicação com outras pessoas por meio da troca de mensagens instantâneas.

Para as empresas, o grande diferencial é o WhatsApp Business, que concretizou o atendimento aos usuários e permitiu uma profissionalização dessa prática. Atualmente, a possibilidade de fazer pagamentos diretamente pelo app é uma realidade, o que traz mais praticidade e comodidade.

Quais são as vantagens e desvantagens de cada uma das redes sociais?

Viu quais são as principais ferramentas desse tipo no Brasil e no mundo? Então, chega a hora de saber quais são os prós e os contras de utilizar cada uma delas. Confira, a seguir.

Facebook

Focar o relacionamento com os clientes é uma das principais vantagens dessa rede. Outros benefícios são:

  • ser a maior rede social do mundo, o que possibilita atrair um grande número de clientes;
  • ter a oportunidade de entregar conteúdo relevante e de qualidade de uma maneira inovadora, que é valorizado pelo algoritmo da plataforma;
  • ter a capacidade de aumentar as vendas, porque essa rede é válida para oferecer visibilidade, mas também comercializar produtos.

Portanto, essa é uma boa maneira de atingir um grande público e criar ações personalizadas. Você também consegue ter acesso a ferramentas de atendimento, gerar relatórios específicos e até comparar seu desempenho com o da concorrência.

Por outro lado, o alcance orgânico está cada vez menor, o que exige das empresas um investimento maior. O novo algoritmo que privilegia o aparecimento de publicações de usuários, não de marcas, também prejudica os resultados.

O conteúdo também é disperso e os anúncios patrocinados limitam imagens com texto, que deve ser de no máximo 25%. Além disso, o Google não indexa os posts.

Instagram

Poder apresentar seus produtos é o principal benefício nesse caso, mas existem outras vantagens, como:

  • geração de diferentes oportunidades, porque sua empresa pode expor os produtos pelo feed e usar o Stories, por exemplo, para ter um contato mais próximo com os clientes e gerar tráfego para seu site;
  • inovações frequentes, o que possibilita à marca criar maneiras de interagir com os clientes e dinamizar o conteúdo;
  • visualização dos produtos, aumentando o atrativo deles para o público.

Além disso, as marcas podem seguir os perfis de seu público, o que tende a aproximar ainda mais empresa e usuários. Porém, existem desvantagens também. As principais são:

  • necessidade de focar as imagens, em detrimento do texto;
  • monitoramento limitado, porque muitos perfis são bloqueados;
  • API restrita.

LinkedIn

Posicionar-se no mundo corporativo e tornar-se referência é o objetivo de todo usuário. Essa e outras peculiaridades tornam o LinkedIn uma rede de grande influência e relevância. Ela também oferece benefícios às empresas, como:

  • reconhecimento de vagas e alavancagem da carreira, porque muitas empresas buscam talentos e os usuários, uma colocação profissional. Vale a pena lembrar que a própria ferramenta oferece recursos para o anúncio de vagas;
  • oportunidades de negócio, porque as empresas centralizam algumas decisões nessa plataforma, o que facilita a geração e a conversão de leads e o fechamento de negócios.

No entanto, a rede oferece pouca interação e tem o foco na visibilidade de conteúdo. Há poucas opções avançadas de gestão e métricas e é difícil fazer qualquer monitoramento por meio de ferramentas específicas.

YouTube

Oferecer o maior potencial visual e viral para as marcas é o ponto positivo. Como é uma rede do Google, tem alta relevância para o SEO. Também é possível criar playlists e canais para segmentação. Dentro desse escopo, seus principais benefícios são:

Os aspectos negativos são a limitação de alguns vídeos devido à política de termos de uso e o fato de que a produção exige mais tempo e dinheiro por parte das marcas. Mais do que isso, propagandas de outras empresas podem ser exibidas, o que tende a ser negativo, pelo menos em alguns casos.

Twitter

Poder compartilhar textos, informações e opiniões é a ideia do microblog. Muitos recursos foram implementados com o passar dos anos, como a possibilidade de postas GIFs e vídeos. Dentro desse cenário, as principais vantagens conquistadas ao usar o Twitter são:

  • melhoria do relacionamento com os seguidores, porque é uma plataforma que possibilita criar conteúdos específicos e que realmente importam para os fãs, o que aumenta a proximidade;
  • fortalecimento do posicionamento da marca pela possibilidade de aproveitar as discussões da rede para mostrar sua relevância.

Por sua vez, o Twitter é uma boa alternativa somente para marcas cujo público-alvo é mais jovem, já que a quantidade de pessoas mais velhas é pequena. A limitação de caracteres pode ser um problema e até causar má interpretações.

O alcance é mais limitado que o do Facebook e os anúncios costumam ser mais caros. É difícil fazer qualquer segmentação e a facilidade de algum usuário deixar de seguir o perfil é maior.

Facebook Messenger

Interagir rapidamente com o usuário é a principal vantagem, que é complementada por outras, como:

  • aumento da proximidade com o usuário, porque o Facebook Messenger pode funcionar como um SAC;
  • uso de chatbots para responder mais rapidamente os usuários, gerar engajamento, otimizar a gestão e criar oportunidades.

O ponto negativo é que há pouca privacidade nas mensagens, já que o conteúdo não é criptografado. Além disso, as marcas precisam estar atentas a qualquer mensagem, porque a falta de resposta pode gerar uma ou mais reações negativas, que podem até se transformar em uma crise.

WhatsApp

Possibilitar a troca e o compartilhamento de textos, vídeos, ícones e áudios sem limitação é o principal benefício. No entanto, as marcas também contam com a praticidade desse aplicativo. Portanto, é um recurso interessante, inclusive para empreendimentos menores e locais, que podem estabelecer um contato mais próximo e rápido com os clientes.

O ponto negativo é a impossibilidade de ter estatísticas consolidadas e uma privacidade limitada. Se mal utilizado, também é invasivo e pode prejudicar a reputação da marca, especialmente se for enviado spam. Por isso, deve ser utilizado com precaução.

Como fazer marketing e anúncios nas redes sociais?

Essas duas estratégias são fundamentais para obter bons resultados para sua empresa. Afinal, pouco adianta apenas criar seu perfil, sem traçar uma ação específica para interagir e gerar conteúdo relevante para seus usuários.

Tenha em mente que as principais redes contam com algoritmos específicos, que analisam o acesso do usuário na linha do tempo e suas preferências com o objetivo de entregar conteúdo mais relevante. Além disso, pode haver diretrizes que determinam a entrega de mais postagens de amigos que de marcas.

Na prática, isso significa que apenas usar o alcance orgânico pode trazer mais dificuldades. É necessário investir em anúncios, ou seja, mídias pagas, que elevam o total de usuários conectados e impulsionam até os resultados sem investimento.

Cada rede possui seu próprio sistema de anúncios. Os referentes às redes citadas são:

  • Facebook Ads: permite mensurar e segmentar anúncios, investir conforme o orçamento disponível, pausar e editar publicações;
  • Instagram Ads: funciona de maneira similar ao anterior e ainda favorece o crossover de anúncios, isto é, os patrocinados do Facebook podem aparecer no Instagram também;
  • LinkedIn Ads: é uma facilidade a mais para as empresas e aparece entre as publicações normais com tag de patrocinado, nas laterais ou no topo da página. Ajuda a adquirir e converter leads qualificados, dependendo do tipo de anúncio escolhido;
  • Youtube Ads: consiste nas propagandas que aparecem antes dos vídeos, mas também em outros anúncios que não atrapalham a visibilidade do usuário. É importante considerar esse quesito para evitar um prejuízo à imagem da marca;
  • Twitter Ads: tem o objetivo de aumentar o número de seguidores e a visibilidade da marca. Os formatos mais comuns são os patrocinados e os trending topics (TTs). Ainda é possível segmentar a campanha de acordo com seu objetivo.

O WhatsApp e o Facebook Messenger impedem a realização de anúncios, porque suas características são diferentes. Por isso, inexiste qualquer ferramenta com essa finalidade.

Quais são as últimas mudanças nas redes sociais?

Essas plataformas de interação estão em constante desenvolvimento. Por isso, é necessário estar atento às alterações para evitar a perda de seguidores, curtidas e engajamento nos seus perfis.

Um dos impactos mais fortes é a diminuição do alcance orgânico, situação que dificulta a interação entre empresas e público-alvo. No começo de 2018, foi anunciado que o algoritmo passaria a apresentar mais postagens de amigos que de marcas.

Devido a essa informação, alguns perfis chegaram a anunciar sua saída da rede, como foi o caso da Folha de S. Paulo, que ganhou maior repercussão. Além disso, as conversas significativas, ou seja, aquelas com assuntos que engajam os perfis, foram estimuladas. Com isso, o alcance de publicidade e propagandas reduziu muito.

Há rumores de funcionalidades específicas para os perfis corporativos, mas nada foi anunciado oficialmente. Por isso, as marcas tentam eliminar as barreiras levando os usuários do Facebook para outra plataforma, como seu site ou blog.

Uma alternativa são os anúncios patrocinados, que literalmente exigem um pagamento pela atenção dos usuários. Assim, as marcas conseguem conquistar mais visibilidade, mesmo que a determinado custo.

Assim, fica claro que investir em redes sociais é fundamental, mas você precisa ter conhecimento e estudar as formas mais inteligentes de atrair seu público-alvo. Neste post, apresentamos as melhores opções e as características de cada uma delas para que você aproveite seu potencial máximo.

E aí, gostou do conteúdo? Se tiver alguma dúvida, deixe seu comentário!

comments powered by Disqus