prosperidade nos negócios

Prosperidade nos negócios: O que esperar de 2017?

Um ano novo começa e 2017 vem com expectativas de grandes oportunidades. Esse é o momento perfeito para você ter prosperidade nos negócios!

Um ano novo começa e 2017 vem com expectativas de grandes oportunidades. Esse é o momento perfeito para você ter prosperidade nos negócios!

Não importa se você tem um negócio pequeno em um bairro da sua cidade ou se já conseguiu expandir, entender como está a economia brasileira, quais são as perspectivas para o mercado e quais são as tendências para 2017 é fundamental.

É por isso que nós criamos este post. Nosso objetivo é que você tenha uma visão mais ampla do mercado e comece 2017 com o pé direito! Afinal de contas, quem não arrisca, não petisca! Mas é bom correr riscos moderados.

Vamos ver, então, como ficou o mercado em 2016 e o que esperar de 2017?

Balanço do mercado em 2016

Não dá para negar que 2016 foi o ano que atingiu a todos. Aumento da inflação, elevação do dólar, impeachment… foram tantos fatos políticos e econômicos que ficar listando aqui seria muito complicado.

Mas vamos deixar a retrospectiva para quem é especialista nisso. Nosso foco é entender como ficou o mercado em 2016. Para isso, precisamos analisar alguns elementos separadamente.

Vejamos o que considerar:

PIB

O Produto Interno Bruto é o somatório dos valores de bens e serviços finais produzidos no país. Esse índice é muito importante porque mede a atividade econômica da nação e seu nível de riqueza, já que quanto mais se produz, mais se consome, investe e vende.

Em 2016, o PIB contraiu. Esse foi o segundo ano consecutivo de retração desse indicador. Até setembro, a queda era de 4% se comparado aos nove primeiros meses de 2015. Em dezembro, a previsão do índice foi revista para – 3,43% em relação a 2015.

Contas públicas

Logo no começo do ano, o então ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, indicou que o déficit das contas públicas chegava a R$ 60,2 bilhões. Esse cenário era bem diferente do que tinha sido aprovado em 2015, quando havia um superávit de R$ 30,5 bilhões.

Ou seja, havia um saldo negativo quando o governo comparou todas as receitas e as despesas. Em bom português, estava se gastando muito mais do que se arrecadava.

Devido ao número negativo, Barbosa previu que o déficit orçamentário do país fecharia em R$ 96,7 bilhões. Com o impeachment da presidente Dilma Roussef, o vice Michel Temer assumiu o posto e colocou Henrique Meirelles como ministro da Fazenda.

Meirelles reviu novamente os dados e decretou: o déficit deve ficar em R$ 170,5 bilhões, número que foi aprovado pelo Congresso.

Dólar

Esse foi um ponto que melhorou desde o início de 2016. Se o ano começou com uma grande desvalorização do real, essa tendência reduziu nos meses seguintes. Em valores absolutos, o dólar passou de R$ 4,16 para R$ 3,10.

Inflação

A inflação oficial é medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e o resultado não foi muito bom ao longo de 2016. Quem sentiu foi o seu bolso, como consumidor e empresário.

Esse indicador chegou a 10,71%, mas o Banco Central conseguiu controlar e reduzir. Nos 12 meses que encerraram em outubro, o resultado foi de 6,99%. Já no início de dezembro, a expectativa do boletim Focus do Banco Central (Bacen) reviu a inflação para 6,52%.

Taxa de juros

Esse índice é regulado pelo Bacen por meio da Selic, considerada a taxa básica e juros. Sempre que é necessário intervir na economia, o governo aumenta ou diminui a Selic para conter os juros e, consequentemente, a inflação.

Em 2016, houve quedas na Selic, situação que não ocorria desde julho de 2015. A taxa fechou o ano em 13,75% e há previsão de mais reduções em 2017.

E 2017?

Bom, se o cenário não foi tão otimista em 2016, a verdade é que a economia deve recomeçar a crescer em 2017. A previsão é que a economia cresça 1%, segundo o Portal Brasil, o que já é bom considerando que ocorreram duas quedas seguidas.

A recuperação vai ser um pouco lenta, mas deve se intensificar nos últimos 3 meses do ano, quando deverá haver uma alta de 2,8%. Isso deve trazer uma expectativa ainda melhor para 2018.

Mas o que isso significa na prática para você? Pode continuar apostando, porque haverá grandes oportunidades para quem souber se atentar às tendências e apostar naquilo que é certo.

Tendências de 2017 para você ter prosperidade nos negócios

Vamos ver, então, quais são as possibilidades de investimentos para o ano que se aproxima:

E-commerce

O aumento das vendas do comércio eletrônico vai se intensificar e a demanda tende a crescer. Se você ainda não está investindo no e-commerce, mude já!

De acordo com o relatório Webshoppers, do E-bit, o primeiro semestre de 2016 indicou um aumento de 5,2% no faturamento das vendas online, alcançando o total de R$ 19,6 bilhões.

Dois motivos importantes que colaboraram para esse aumento foram a elevação dos consumidores virtuais ativos, que chegou a 31%, e o aumento das vendas por dispositivos móveis, cuja alta foi de 18,8% no semestre.

A dica é: se você já tem um negócio físico, aproveite e venda também pela plataforma digital. Isso vai expandir suas vendas e a possibilidade de alcançar novos públicos. Sem contar que é uma forma comparativamente mais barata de atingir o sucesso.

Startups

Esse modelo de empresa começou a ser implantado há alguns anos e ganhou muita força ultimamente. A sacada desses negócios foi trabalhar com tecnologia da informação e dados em massa, que impactam diretamente a experiência do usuário.

O cenário de 2017 para as startups passa principalmente por 4 áreas:

Ferramentas que melhoram o conceito de escala de produção

Alguns exemplos são o tratamento de efluentes de forma local e a geração de energia limpa. Essas soluções devem ser financeiramente viáveis e trazer contribuições para a sociedade, como redução da poluição;

Serviços financeiros

Cada vez mais o mercado trabalhará com os meios de pagamentos digitais, as bitcoins e os robôs de investimentos;

Serviços de saúde que requerem tecnologia

Especialmente o mapeamento de DNA e os prontuários atualizados em tempo real;

Ferramentas que melhoram o transporte e a mobilidade

Temos como exemplos os drones, os carros sem motorista, entre outros. A ideia é facilitar o transporte nas grandes cidades.

Negócios locais

Apesar do mundo digital estar cada vez mais forte, os negócios locais também estão crescendo. Se você tem um, aproveite essa onda!

A dica aqui é se diferenciar da concorrência e chamar a atenção dos consumidores por meio da valorização dos itens de origem, que demonstram quais são suas raízes.

Essa tendência não exclui o e-commerce. O varejo agora tem o lema: “pense localmente, aja globalmente”. Ou seja, invista nos produtos locais, mas os ofereça pela internet.

Dessa forma, você consegue atender um público bem específico, mas expandir seus horizontes e o seu negócio.

Franquias

Enquanto muitos negócios passaram dificuldades em 2016, as franquias continuaram crescendo. Em 2015, o aumento foi de 8,3% e a expectativa é que a alta de 2016 seja de aproximadamente esse percentual, segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Se você não quer investir muito, a dica é trabalhar com quiosques ou serviços. Os quiosques são modelos de franquias mais baratas, mas que permitem a você trabalhar com grandes marcas.

Há opções nas áreas de artigos esportivos, beleza, bebidas, alimentação, realidade virtual etc. O benefício é contar com o suporte da franqueadora e fazer um investimento bem mais baixo que uma franquia tradicional.

Já as franquias de serviços são outras boas opções para atuar nos ramos de TI, medicina, gestão financeira, entre outros.

Saúde e nutrição

Como sempre, a alimentação é um negócio promissor. Mas dessa vez vem acompanhada dos cuidados com saúde. O aumento de pessoas preocupadas com esses dois quesitos é notável e vale a pena apostar nesses segmentos.

Em 2017, uma tendência que deve se fortalecer é a da alimentação saudável. Projetos de salada no pote, delivery de comida saudável, combos voltados para o emagrecimento ou para pessoas intolerantes a glúten e lactose são um diferencial.

Na esteira disso, os food trucks continuam no páreo. A proposta é entregar produtos de qualidade artesanal, frescos e que sejam gostosos.

Mas não podemos nos esquecer dos aplicativos para medir calorias, anotar registros nutricionais, verificar hábitos esportivos etc.

Ou seja, aposte em alimentação e saúde e se conseguir aliar esses dois elementos, melhor!

Gestão de pessoas

A gestão de pessoas é uma tendência forte, porque os empreendedores já chegaram à conclusão de que colaboradores felizes são mais produtivos e ajudam a empresa a se destacar da concorrência.

Para se adequar a essa nova realidade, o treinamento é crucial. Em 2017, a ideia não será mais ensinar as mesmas capacidades e habilidades para todo mundo, mas sim focar nos pontos positivos do empregado e investir em seu talento natural.

Outra possibilidade será oferecer o treinamento para funcionários remotos, ou seja, que trabalham em casa. Nem sempre existe essa possibilidade, mas o home office vem crescendo devido ao nível de estresse dos colaboradores e ao trânsito das grandes cidades.

Essa é uma forma de conseguir aliar produtividade, satisfação da empresa e do colaborador e qualidade de vida no trabalho. Como não gostar?

Assim, fica evidente que 2017 será um ano de grandes oportunidades para qualquer empreendedor. Esperamos que você tenha muita prosperidade nos negócios e que possa aplicar nossas dicas no seu dia a dia! E para continuar aprendendo, aproveite e leia o post 7 formas de manter seus funcionários motivados sem gastar muito.