Loja virtual

Por que sua loja deve estar também na internet?

Mesmo que sua loja seja de tijolo e cimento, a internet ainda pode te trazer novos clientes e aumentar as vendas com os clientes atuais

O varejo não só foi um dos primeiros mercados a mudar com a internet, como também é um que ainda tem muito (muito mesmo!) espaço para crescer: o potencial do e-commerce no Brasil ainda é enorme, não só em categorias já conhecidas, como eletrônicos e roupas, mas também com artigos perecíveis (alimentos) e serviços.

Ao mesmo tempo, conseguimos ver um amadurecimento: a tendência que falava que o e-commerce acabaria com o comércio físico já não é mais levada a sério – em vez disso, o mercado está comprovando que um empreendedor deve fazer seu varejo coexistir nos dois mundos de uma maneira coordenada.

Por exemplo, uma pesquisa da Cielo, credenciadora líder na América Latina, com sua base de clientes aponta que uma loja física que passa a vender também no mundo online pode incrementar seu faturamento em até 30%.

Loja virtual para ajudar na presença online

Veja abaixo o porquê de fazer sua loja também existir na internet

1- Novos clientes
O mundo do varejo já percebeu que sua base de clientes não precisa estar limitada ao seu ponto comercial, ou mesmo ao que seus vendedores/representantes conseguem vender.

Por meio de uma loja virtual, você consegue alcançar pessoas que antes você nunca imaginaria.

Isso porque existem diversos serviços na internet que te ajudam a trazer novos interessados em seus produtos. Por exemplo:

  • Publicidade: entre Google AdWords, Facebook e diversos outros, você consegue mostrar sua loja e suas ofertas de maneira segmentada (para conseguir uma ajuda em AdWords, a Locaweb tem um serviço muito bacana — veja aqui);
  • Comparadores: estar num comparador como o Buscapé hoje é fator crucial para aparecer para clientes que estão muito perto de comprar;
  • Afiliados: existem hoje várias plataformas que você pode utilizar para que pequenos sites e blogs falem sobre o seu produto em seus conteúdos e, caso gerem uma venda, ganham uma comissão – você ganha novos clientes e paga apenas uma comissão.

Ações como as três citadas acima são ótimas para gerar vendas pontuais, mas devem ser vistas muito mais com o objetivo de conseguir novos clientes que gerarão mais vendas no futuro (para isso, trabalhe seu inbound marketing).

2- Mais vendas
Primeiro, o ideal aqui é diferenciar ‘mais clientes‘ de ‘mais vendas‘: enquanto o primeiro trata-se de trazer um cliente inédito, o segundo pode significar duas coisas:

  1. Aumentar as vendas da sua base atual de clientes;
  2. Fazer com que parceiros vendam os seus produtos;
  3. Aproveitar datas do comércio eletrônico.

Considerando o ponto A, com a sua loja virtual aberta 24h e acessível de qualquer lugar, você ganha a possibilidade de gerar novas vendas a partir de trabalhos de comunicação com a sua base de clientes usando email marketing (veja como fazer direito) e redes sociais.

Se você tem apenas a loja física, você pode até fazer esse tipo de ação, mas dependerá também da locomoção desses clientes até sua loja – tempo esse que pode ser fatal para o impulso de compra.

Já para o ponto B, a internet oferece canais para que seus produtos sejam vendidos em diversos lugares. Um ótimo exemplo disso são os Marketplaces: além do já conhecido Mercado Livre (onde você pode conectar sua loja), os grande varejistas online possibilitam que você coloque os seus produtos dentro de seus sites (Extra, Walmart e Submarino já fazem isso).

Assim, os milhões de clientes desses sites comprarão o seu produto ao mesmo tempo que estão comprando dessas grandes empresas (ou de outros varejistas como você).

Por fim (ponto C), na internet existem algumas datas especiais do e-commerce que podem fazer uma boa diferença nas suas vendas, já que geram uma grande atenção da mídia e, claro, dos consumidores. A maior delas hoje é a Black Friday – você realmente acha que vale a pena ficar de fora?

Conclusão: vá para a internet, mas garanta uma boa experiência de compra
Ter mais clientes e mais vendas com certeza são os motivos principais para motivar varejistas a ir para a internet. Porém, não adianta visualizar apenas isso e não se atentar para garantir a melhor experiência possível ao seu cliente.

Por esse motivo, a criação da sua loja virtual deve ser bem planejada e, principalmente, deve utilizar ferramentas já comprovadas – principalmente relacionadas à segurança do seu cliente na hora de fazer o pagamento.

Em assuntos como esse, o recomendado é utilizar os serviços de empresas especialistas e com ótimo histórico de segurança em transações. Um bom exemplo disso é a Cielo, que além de referência com a máquina, também é referência em transações online com o Cielo E-commerce.

E para você que pensa que é difícil montar uma loja virtual, recentemente, eles lançaram uma parceria com o Terra para oferecer uma solução integrada no conceito “Faça você mesmo”.

Além de um construtor de lojas virtuais com layouts personalizados, banco de imagens, cadastro de produtos, cupons de desconto, integração com redes sociais e sites de pesquisa e comparação de preços, a oferta terá um cardápio completo de soluções de pagamento – cartões de crédito e débito, boleto bancário ou débito em conta.

Para conhecer mais, clique aqui.

Abraços,
Luiz Piovesana (por lojas que sabem ser off e online)

Obs.: Esse artigo foi patrocinado pela Cielo. Isso significa que os recomendamos como referência, mas não há influência em nossa linha editorial nem nossa opinião.

Confira como trabalhamos com artigos patrocinados no post Conteúdo útil para empreendedores em primeiro lugar.

P.S.: Créditos das imagens Shutterstock