plataforma de ecommerce

O Guia para ter uma plataforma de e-commerce de sucesso

Um estudo realizado pela Bain & Company aponta que o e-commerce brasileiro pode crescer acima dos 10% de maneira consistente até 2019. De acordo com o relatório Webshoppers, a expectativa de crescimento do setor para 2016 é de 8%.

Um estudo realizado pela Bain & Company aponta que o e-commerce brasileiro pode crescer acima dos 10% de maneira consistente até 2019. De acordo com o relatório Webshoppers, a expectativa de crescimento do setor para 2016 é de 8%.

Por si só, esses dados mostram que o e-commerce é cada vez mais popular no Brasil, seguindo a tendência mundial.

Se você quiser aproveitar essa oportunidade, uma das suas primeiras preocupações deve ser em escolher uma plataforma de e-commerce que seja adequada.

Não sabe do que se trata ou tem dúvidas de como fazer a melhor escolha? Então acompanhe esse guia e entenda melhor sobre o assunto.

Para que serve uma plataforma de e-commerce?

Em uma analogia com uma loja física, a plataforma de e-commerce é como se fosse o ponto comercial da sua loja virtual. É nesse lugar em que ficam expostos os seus produtos, mas em vez de vitrines há páginas com produtos.

Também é nela em que os pedidos são feitos, mas em vez de vendedores há uma estrutura intuitiva para o cliente fazer a sua compra. Por meio dela, os pedidos são faturados para que você e/ou sua equipe preparem o envio, assim como acontece com os equipamentos adequados em uma loja física.

Portanto, uma plataforma de e-commerce serve justamente para que a sua loja virtual exista, gere compras e satisfação para os clientes.

Por meio delas você consegue mapear o comportamento dos consumidores e entender quais foram os carrinhos abandonados e por que, como acontece o retorno dos clientes à loja e qual é o comportamento em geral de quem compra.

Como ela afeta os negócios?

A escolha correta da sua plataforma de e-commerce está diretamente relacionada à experiência que o seu cliente vai ter. Dependendo do nível de satisfação com a sua experiência, o cliente poderá retornar ou não.

No geral, a escolha adequada afeta diretamente questões como:

Conversão

A conversão é, inicialmente, a primeira a ser impactada pela escolha.

Considerando que 72% dos compradores online tendem a abandonar o carrinho antes de comprar, se a experiência de compra for ruim, insegura ou complicada a tendência é que essa estatística também se confirme em seu negócio.

Por outro lado, se a plataforma ajuda a criar uma experiência segura, integrada e de qualidade, as chances são de que a sua loja virtual se destaque e conduza o cliente a fechar negócio.

Como ainda existe um receio sobre vendas online, uma experiência segura passa mais confiabilidade e, a partir daí, é mais fácil converter.

Satisfação

A plataforma correta também afeta a satisfação do seu cliente. Se ele se depara com um layout intuitivo e com a opção de diversas formas de pagamento, por exemplo, maiores são as chances de que ele fique satisfeito.

O funcionamento da plataforma escolhida também tem impactos nesse ponto.

O motivo é simples: imagine que você conta com uma plataforma que fatura os pedidos, mas que conta com uma demora até que ele sejam enviados a você.

Isso faz com que o cliente precise esperar mais tempo até receber o item desejado, o que pode afetar sua satisfação.

Da mesma forma, se a plataforma não tem confiabilidade de dados são grandes as chances de que você termine enviando o produto de maneira incorreta ou então para o endereço errado, gerando transtornos para quem comprou.

Retenção

Como você provavelmente já sabe, clientes satisfeitos são clientes fidelizados. Quanto melhor e mais consistente é a experiência que eles possuem, melhores são os resultados a respeito da retenção.

Como o cliente está em contato direto com plataforma de e-commerce, ela colabora grandemente para gerar uma experiência boa e fidelizadora.

Por exemplo, imagine que um cliente precisa comprar um item no seu horário de almoço do trabalho. Ele tira o celular do bolso, faz uma pesquisa e encontra seu celular.

Na hora de pagar, precisa fazer um cadastro simples para informar seu endereço e pode calcular o frete de maneira autônoma.

O cliente então escolhe a opção mais adequada, finaliza a compra com pagamento pela própria internet banking e volta para o trabalho sabendo que resolveu o seu problema.

Notou como isso cria uma situação muito mais positiva para o cliente e que favorece o seu negócio? Isso aumenta as chances de que ele retorne outras vezes para o seu negócio, o que também é importante para as finanças, já que um cliente recorrente no e-commerce gasta duas vezes mais do que um novo cliente.

Qual é o custo para ter uma plataforma de ecommerce no seu negócio?

Especialmente quando se trata de lojas virtuais menores, o custo de uma plataforma de e-commerce deve ser considerado.

Como ele vai influenciar diretamente o preço dos produtos, manter o controle sobre esse custo ajuda o negócio a ter uma margem de lucro melhor.

A verdade é que a matriz de gastos com uma plataforma desse tipo inclui diversos gastos, dentre os quais:

Plataforma e suporte

O primeiro custo associado diz respeito à plataforma em si e ao seu suporte de maneira geral. Há algumas opções mais conhecidas no mercado e que oferecem planos totalmente gratuitos.

Do ponto de vista da plataforma em si, portanto, é possível ter uma loja virtual de maneira totalmente gratuita.

Porém, normalmente esses planos gratuitos não oferecem suporte, o que significa que quaisquer modificações e otimizações que você deseje fazer devem ser feitas por conta própria.

Nesse caso, pode ser necessário contratar uma equipe especializada em TI, o que gera um custo relacionado a esse assunto.

Segurança

A plataforma de e-commerce precisa ser segura já que movimenta dados sensíveis dos clientes e que devem ser protegidos. Como ataques virtuais não são nada incomuns, essa preocupação deve estar no topo da lista para o seu negócio.

Em geral, é preciso obter um certificado de segurança, como do tipo SSL.

Há também outros certificados e proteções extras, como monitoração em tempo real das movimentações e certificados especificamente voltados para a confiabilidade do e-commerce.

Embora isso gere custos, a verdade é que se trata de um investimento necessário tanto para evitar problemas posteriores quanto para gerar mais segurança ao cliente.

Considerando que 26% dos clientes vão reconsiderar a decisão de compra se encontrarem alguma objeção, o melhor é garantir a segurança desde o princípio da experiência.

Intermediadores ou gateways de pagamento

Na hora de finalizar a compra os clientes precisam ter boas opções de pagamento e que sejam especialmente seguras.

Oferecer apenas uma opção como o depósito direto em conta, por exemplo, não é conveniente e tampouco é seguro para quem deseja comprar.

É por isso que se torna necessário investir em intermediadores ou gateways de pagamento.

Embora diferentes, essas soluções permitem que você oferte um “leque” maior de possibilidades, cobrindo melhor as necessidades dos clientes.

Para que funcionem de maneira adequada e segura, entretanto, há um custo envolvido, que pode ou não estar associado a cada compra.

Embora o cliente sequer conheça sobre a existência dos intermediadores, ele lida diretamente com eles na hora de pagar e por isso uma boa escolha é crucial.

Automação

Hoje, ter um e-commerce não deve significar apenas realizar vendas, emitir pedidos e fazer o envio de itens.

É preciso ir um pouco além e isso significa conhecer muito bem os resultados envolvidos em todo o processo, assim como é necessário criar uma comunicação com o comprador.

Para atingir esse objetivo, o uso das ferramentas de automação se faz indispensável.

Por meio delas você consegue mapear o comportamento dos consumidores e entender quais carrinhos foram abandonados e por que, como acontece o retorno dos clientes à loja e qual é o comportamento em geral de quem compra.

Se você já procurou produtos em uma loja virtual na qual está cadastrado e, depois, recebeu um e-mail com uma oferta do mesmo produto então você já se viu diante de uma experiência gerada pela automação.

Embora gere um custo e não seja obrigatória, essa ferramenta integrada à plataforma de e-commerce favorece a obtenção de melhores resultados para o seu negócio.

Passo a Passo para montar uma loja virtual

Se você deseja aproveitar a expansão que o e-commerce vem sofrendo ao criar a sua própria loja virtual é preciso ter muita preparação e planejamento. Para começar do jeito certo, siga os seguintes passos:

Crie uma marca forte para a sua loja

Assim como acontece com qualquer negócio, a sua loja virtual precisa ter uma marca adequada para atrair clientes.

Tudo começa com a definição de um bom nome, que seja fácil de lembrar, que tenha a ver com o seu negócio e que também não seja utilizado por outra loja.

Depois disso, é preciso pensar na identidade visual, que será responsável por toda a comunicação de marca.

Não basta apenas criar um logotipo: também é necessário pensar em toda a questão que vai desde o layout até a embalagem dos seus produtos.

Quanto mais estruturada por essa marca e quanto mais forte ela for construída, mais fácil vai ser atrair clientes.

Escolha a plataforma adequada

Na sequência, você deve escolher corretamente qual é a plataforma de e-commerce mais adequada para você. Isso depende do tipo de loja que você pretende montar, da sua capacidade de investimento e da sua familiaridade com todo o processo de venda online.

Se você estiver começando agora vale a pena escolher uma plataforma mais simples e intuitiva que, ao mesmo tempo, ofereça um bom suporte.

Não se baseie apenas pelo preço, mas, sim, pelas funcionalidades contidas nessa solução.

Cuide da segurança

Já que a segurança é tão importante ela deve ser uma das suas primeiras preocupações ao montar uma loja virtual.

Por isso, antes mesmo de seguir para os próximos passos você deve proteger inteiramente o seu comércio virtual.

Isso ajuda não apenas os clientes, mas também o seu negócio, que fica protegido contra fraudes financeiras.

O uso de certificados de segurança, de soluções antirroubo e antifraude, portanto, é indispensável.

Tenha um layout adequado

Com a plataforma segura é preciso pensar na apresentação aos clientes e na experiência de compra como um todo — e é aqui que entram os cuidados com o layout. Nesse sentido, é fundamental que ele seja mais simples, rápido de carregar e que seja responsivo.

Essa última característica significa que o layout é capaz de se adaptar a qualquer tamanho de tela, oferecendo uma boa experiência de compra em qualquer que seja o caso. Como as compras via mobile são cada vez maiores, é fundamental ter esse tipo de preocupação.

Cadastre os produtos

Acertou na plataforma e no layout? Então é hora de cadastrar os produtos para que fiquem expostos na sua vitrine virtual. Use títulos completos, descritivos e que também ajudem seus produtos a serem encontrados.

Além disso, é preciso oferecer descrições completas sobre o produto, informando tanto as especificações técnicas como também as vantagens de cada item. É hora de ser persuasivo e convencer o cliente a comprar.

Para melhorar a experiência, utilize fotos em alta qualidade para a melhor avaliação do produto e, se possível, até mesmo vídeos do item em ação para aumentar a chance de conversão.

Planeje a logística

Para garantir a satisfação e o retorno dos consumidores você também deve ter cuidado com a logística.

É preciso pensar em questões como processamento de pedidos, escolha do transporte, oferta de frete e assim por diante.

Se decidir oferecer frete grátis, por exemplo, os preços devem ser ajustados para que você não perca a margem de lucro. Independentemente disso, é necessário pensar se você utilizará os Correios ou uma transportadora.

Enquanto a primeira opção é melhor para quem está começando, a segunda pode ser mais segura e mais conveniente.

Igualmente, é necessário pensar no manejo de estoque e em como os produtos sairão do seu negócio.

No geral, essa etapa é crucial para evitar atrasos, frustrações e expectativas que não são cumpridas e que poderiam comprometer o sucesso da sua loja.

Leia esse post e saiba como usar o overdelivering a favor do seu negócio!

Faça a divulgação

Depois de planejar e executar tudo corretamente é hora de atrair pessoas para o seu negócio virtual. Isso é conseguido por meio do marketing, o que pode ser feito em redes sociais, por meio da criação de conteúdo, em links patrocinados e mais.

É importante ter uma parte do orçamento voltada para esse setor porque, de outro modo, seus esforços não terão o retorno esperado.

Conclusão

A plataforma de e-commerce deve ser uma das primeiras preocupações entre quem deseja abrir a sua loja virtual com grandes chances de sucesso.

Responsável por boa parte do processo de vendas, uma boa plataforma impacta a conversão em vendas e também o retorno de clientes — por isso, fique de olho.

Além da própria plataforma, algumas outras questões estéticas podem fazer toda a diferença para aumentar as vendas do seu e-commerce. Quer se destacar? Então leia nosso artigo e saiba mais do assunto!