Planejamento: Calcule os riscos antecipadamente

Planejamento: A importância de prever os riscos logo no início

Interessante estória sobre como o planejamento pode te salvar de grandes enrascadas

A dica de hoje foi dada por Derek Sivers em seu blog

Talvez você conheça essa estória sobre planejamento. Se não conhecer, preste atenção, ela é boa.

Imagine que eu diga que vou leiloar uma nota de R$100 e o lance inicial é R$1.

A única regra do jogo é: se você for o 2o lance, você precisará pagar o lance do mesmo jeito, mas não ficará com a nota de R$100.

Claro que consigo alguns lances de R$1, R$2 e R$3. Por que não? Afinal, é uma chance de conseguir R$100 por R$3!

Os lances continuam vindo. Quando chega a R$51 eu fico feliz, já estou no lucro por causa dos R$51 do ganhador e R$50 do 2o lance.

Quando chego a R$90, existe menos entusiasmo, mas o lance continua subindo.

Porém, quando chega a R$99, a pessoa que ofereceu R$98 pensa “Ops, a outra pessoa não vai dar pra trás”, então aumenta seu lance para R$100 para não ficar em 2o e perder os R$98.

Mas aí a pessoa que estava oferecendo R$99 aumenta o lance para R$101. Melhor perder apenas R$1 do que R$99, certo?

Rapidamente eles estão oferecendo R$110, R$120, R$150, etc. Esse jogo pode ficar assim para sempre.

O maior problema nesse caso é não planejar as consequências.

Quando o jogo começa, é fácil pensar em curto prazo e dizer “É um ótimo negócio!”.

Mas aí quando é tarde demais, você vagarosamente pensa “Uh-oh. O que foi que eu fiz?!?”

Muitas pessoas ficam em situações parecidas com essa na vida.

O empreendedor que pega muito dinheiro emprestado para testar uma ideia.  O cara que compra uma casa que custa mais do que seu bolso consegue pagar. O romântico que começa um relacionamento com alguém que já estava em um relacionamento.

Depois de um tempo, você ouve essas pessoas reclamando sobre suas dívidas ou que o amor da sua vida está traindo.

Oops, não pensou até o fim antes de se meter nessa né?

O jogo estava claramente enviesado contra eles, por isso a escolha esperta seria não jogá-lo. Devemos sempre nos perguntar “Como esse jogo irá terminar?”.

Sei que é muito difícil pensar nos impactos de longo prazo de tudo que fazemos agora. É difícil, mas vale a pena o esforço.

Fica aqui a reflexão.

Obs.: Para ver mais sobre o tema, confira nossa seção planejamento.

P.S.: Imagem da bola de cristal Shutterstock