Quando é hora de pivotar um negócio?

Você já ouviu falar do termo pivotar um negócio? A palavra tem sido cada vez mais comum entre os empreendedores do Vale do Silício e você vai entender o por quê neste post! A expressão vem do inglês “to pivot“, que significa “girar”. E o que isso tem a ver com o seu empreendimento?

Antes de continuar, imagine um jogador de basquete em quadra, que para passar a bola para um outro componente, ele pára e gira seu corpo para visualizar as possibilidades de passe. Essa imagem é uma ótima maneira de ilustrar o que é pivotar um negócio.

Entenda porque você deve saber disso e quais os sinais de quando é o momento de aplicar essa metodologia, a seguir:

Quando pivotar é uma boa saída

O primeiro passo antes de pensar em tomar essa decisão, é saber identificar se o que sua empresa precisa é mesmo de uma mudança de rumo ou apenas de alguns ajustes. Sabemos que essa não será necessariamente uma tarefa fácil, mas não se desespere! É possível pedir a ajuda de algum consultor responsável e além disso, vamos lhe dar algumas dicas importantes.

Em alguns casos, isso acontece naturalmente e estará bastante claro para os gestores, como aconteceu na história da Sambatech.

Inicialmente uma empresa de tecnologia que produzia jogos para celular — passou a atuar como uma plataforma online de vídeos.

O que aconteceu?

Na época, seu fundador, Gustavo Caetano, percebeu que cada vez mais seria inviável esse tipo de empreendimento por causa do surgimento dos smartphones. Ao invés de insistir naquele segmento, aproveitou para migrar rapidamente para a tendência dos vídeos online. Acabou tornando-se um dos negócios mais inovadores do mundo em 2014.

Em outros casos, é preciso analisar atentamente aos alertas que os resultados lhe indicam, como diminuição brusca das vendas ao ponto de não ser suficiente para arcar com os custos. Mas lembre-se, pivotar um negócio é mudar a estratégia da empresa. Não se trata apenas de uma mudança no plano de negócios ou na troca de fornecedores.

Essa é uma prática importante de ser reconhecida por qualquer empreendedor, principalmente na conjuntura em que vivemos em que as mudanças acontecem muito rapidamente. Qualquer bom gestor deverá adquirir essa habilidade de pensar seu negócio de forma flexível e também estar pronto para modificar suas estratégias a qualquer momento, se for necessário.

6 indícios de que sua empresa precisa pivotar

Para facilitar sua tomada de decisão, separamos alguns indícios que podem estar dizendo que é o momento de você pivotar seu negócio. Confira:

1. Pulga atrás da orelha

Se você é o dono do empreendimento, certamente está bastante conectado com ele e com os rumos que normalmente toma. Uma dica importante é começar por tentar identificar se há em você alguma desconfiança de que as coisas não estão indo para o melhor caminho.

No livro “Blink! A decisão num piscar de olhos”, o autor Malcolm Gladwell defende que a intuição pode ser uma grande aliada para antever o futuro e na tomada de decisões e deve ser mais valorizado tanto no âmbito profissional quanto pessoal.

É claro que isso por si só não fará parte da resolução de uma ação tão estratégica. Porém, em um contexto geral poderá servir como termômetro de que algo não anda bem e que é preciso agir. Principalmente se você for experiente e já tiver passado por várias situações no passado que lhe fazer estar em alerta. Fique atento aos sinais!

2. Pouco entusiasmo de seus clientes

A ansiedade por ver seu produto no mercado pode ser um dos motivos em que empresas tenham que pivotar, justamente por não realizar um pré-lançamento adequado. Isso porque é muito comum acreditar que a solução que seu negócio traz é revolucionária e não prestar atenção às reais dores do mercado.

Um dos grandes valores é entender porque seu cliente compraria seu produto.

Se você identificar pouco entusiasmo das pessoas em relação ao que o seu negócio faz ou vende, tente analisar se a causa pode ser por esse motivo citado. Esse é um sinal de que, talvez, suas apostas não estejam conectadas de fato à realidade do consumidor.

3.Feedbacks negativos da equipe de comunicação

Esteja atento aos feedbacks de sua equipe de marketing, pois provavelmente é este o setor que estará mais antenado tanto na recepção dos clientes quanto nas tendências e inovações do mercado. No mundo de hoje, uma empresa precisa usar as mídias digitais a seu favor, porque a experiência do cliente estará cada vez mais na internet.

Será o setor de comunicação que ajudará os gestores a identificarem as novas formas de relacionamento com clientes e também acompanhar, por meio de pesquisas direcionadas e um investimento em business intelligence, as mudanças no comportamento do consumidor.

4.Declínio das vendas dos produtos

Não é preciso nem explicar muito para que você entenda que se as vendas estão caindo, é porque algo não está certo. Esse é o primeiro alerta que irá acender quando algo começar a dar errado. Porém, esse fato por si não indica a necessidade de uma pivotagem. Afinal de contas, as possibilidades que poderão justificar a diminuição das vendas são inúmeras.

Mas no contexto em geral, esse é sim agravante. Uma dica é analisar se existem fatores pontuais externos que justificam essa mudança, como uma crise no setor, ou se o produto não vende mais pois já não é mais inovador, e ir descartando as possibilidades. Até encontrar a resposta que justifique essa realidade.

Se ao final dessa análise for constatado que o que você entrega ao cliente não é o que ele precisa, já é um bom motivo para pensar em pivotar.

5.Se estiver caro adquirir um cliente

O que significa dizer que um cliente está caro? Existem CACs (Custo de Aquisição de Clientes) altos, porém que são justificados pela grande receita líquida adquirida. O ponto aqui não é julgar o valor absoluto que sua empresa emprega para conquistar um cliente, mas sim se esse valor é menor do que é ganho. Se essa conta continuar assim, tudo bem.** Porém, se esse valor for bem maior do que sua companhia recebe, é um bom motivo para rever suas realizações.**

6.Quando o negócio não consegue mais crescer

Existem muitos empreendimentos que crescem rapidamente e também com a mesma velocidade param de expandir. Isso pode acontecer por inúmeras razões, mas a que nos interessa aqui em analisar é se o mercado absorveu tudo o que poderia do seu produto. Isso se torna um grande problema quando o que é calculado para manter seu negócio girando não é atingido porque o número de potenciais clientes é inferior ao necessário.

Conheça 3 exemplos de pivotagem na prática

Entenda melhor como funciona essa metodologia de pivotagem com 3 exemplos de sucesso que separamos abaixo. Confira:

1.Paypal

A empresa começou com um modelo de negócios de troca de dinheiro virtual entre aparelhos de assistência pessoal, como o Palmtop. Porém, com o tempo perceberam que o empreendimento deles estava no sistema de micropagamentos, além da troca de dinheiro na web. Por terem tomado essa decisão, hoje o Paypal é uma das gigantes do ramo e já está em mais de 180 países.

2.Flickr

O Flickr nasceu por causa do jogo de RPG. A ideia inicial era ser um sistema de salas virtuais em que os jogadores poderiam compartilhar imagens em tempo real. E por causa disso, a empresa ajudou a criar tendências no ambiente digital, dando inspiração para o nascimento de redes sociais, como o Facebook.

Porém, em meados de 2005, resolveram pivotar o negócio e estender para todo o mercado, sendo hoje um site referência em compartilhamento e edição de fotos online em todo o mundo.

3.Foursquare

O aplicativo nasceu com o propósito de ser uma plataforma em que as pessoas poderia fazer check-in em lugares que estavam. Além de avaliá-los para que outros usuários pudessem frequentar. Porém, eles começaram a perceber que a maior utilização dos usuários se concentrava em usar o app como um guia online de restaurantes. Para ajudar, por meio de geolocalização, no momento de escolher para qual lugar deveriam ir — principalmente em cidades desconhecidas.

Por causa disso, eles resolveram tirar a funcionalidade de check-in e deixá-lo apenas com a funcionalidade mais usada. Isso ajudou a empresa a continuar crescendo!

O que fazer agora

Essas foram algumas informações que consideramos ser muito importantes de destacar a respeito de pivotar seu negócio. Esperamos que essas dicas possam lhe ajudar a entender melhor se é preciso aplicar esse método na sua empresa e também possam lhe ajudar, como empreendedor, a pensar seu negócio de forma mais flexível.

Vale lembrar que pivotar um negócio não é sinal de desistência, mas sim uma prática muito comum na vivência empreendedora, que é cheia de erros e acertos.

Mais do que persistir em uma ideia, o que um bom líder deve fazer é testar rapidamente suas hipóteses, aprender com os erros e fazer algo melhor. No menor gasto de tempo e dinheiro possível.

Gostou de saber mais sobre esse assunto? Então você pode gostar também de ler o e-book “Gerindo sua empresa: dicas para maximizar seu sucesso”!

comments powered by Disqus