perfil financeiro

Gastador ou Poupador? Você sabe qual é o seu perfil financeiro?

Existem pessoas de diferentes jeitos. Alguns são mais extrovertidos, outros mais calados. Alguns são confiantes, outros mais tímidos.

Existem pessoas de diferentes jeitos. Alguns são mais extrovertidos, outros mais calados. Alguns são confiantes, outros mais tímidos.

Cada um com seu modo de ser e ver a vida. Cada um com seu perfil. 

Quando o assunto é dinheiro essas diferenças no modo de agir também aparecem. Por isso, podemos afirmar que cada pessoa tem o seu perfil financeiro.

Conhecer o seu perfil financeiro é muito importante. Ele te ajuda a evitar a autossabotagem, ou seja, hábitos, ou manias, que você tem ao lidar com seu dinheiro e que agem de forma quase inconsciente.

Você não sabe porque comprou aquele carro, ou fez aquela aplicação. Da mesma maneira que não entende o motivo de ser tão difícil para você realizar um investimento de grande risco.

Esses exemplos se tornam mais claros quando conhecemos o nosso perfil financeiro. Vamos lá?

Tipos de perfis financeiros

O poupador

Quem tem o perfil financeiro poupador costuma se preocupar muito com o futuro, e abre mão de viver o agora.

Por esse motivo, os poupadores costumam pensar muito antes de fazer uma compra.

Analisam se o bem adquirido vale mesmo o valor cobrado, se é necessário, ou se não pode ser substituído por outro bem semelhante, de menor preço, claro.

Quando resolvem empreender, os poupadores normalmente têm certeza do que estão fazendo, e possuem recursos para investir.

O problema é que esse perfil costuma ser muito temeroso com os gastos, por isso na hora em que for necessário um grande investimento, para alavancar o empreendimento, eles podem não o fazer, o que, em muitos casos causa danos à empresa.

O que é legal no poupador?

Ele sempre tem um dinheiro guardado e costuma ser a salvação de amigos e familiares.

Seja em uma caixinha no fundo da gaveta, ou em uma caderneta de poupança.

O poupador sempre vai guardar seu dinheiro com a mesma atenção. Não importa se é o troco do pão ou o que sobrou do salário, na dúvida ele guarda.

O que não é legal no poupador?

Por ser um investidor muito cauteloso, o poupador pode enfrentar problemas financeiros.

Sim, pode parecer estranho dizer isso, afinal, temos o hábito de achar que guardar o dinheiro é o melhor investimento que podemos fazer. Nem sempre isso é verdade.

A caderneta de poupança, por exemplo, rende pouco. Por isso, um poupador que só investe na poupança pode perder dinheiro com o passar dos anos.

Além disso, um poupador que só compra itens baratos pode estar fazendo um mal negócio, quando ignora a qualidade. Como diz o ditado: “o barato pode sair caro“.

O gastador

Quem tem o perfil financeiro gastador gosta de viver o aqui e o agora. Se pudesse ser definido por uma frase ela seria: “o futuro a Deus pertence”.

O dia mais feliz de um gastador é o dia do pagamento. O dia mais triste é o dia seguinte.

O gastador acredita que deve ser recompensado pelo dinheiro. Não enxerga seus ganhos como uma garantia de estabilidade financeira.

O gastador precisa entender qual a motivação que o leva a gastar.

Sabe quando compramos alguma coisa e depois, quando chegamos em casa, nos arrependemos? Nesse caso é interessante analisar como estava o nosso humor quando fizemos a compra.

Alguns gastadores compram para espantar a tristeza, o que pode não ser saudável. Outros compras porque “todo mundo compra”. Ou seja, são vulneráveis a modismos.

O que é legal no gastador? 

É muito bacana saber que o fruto do nosso trabalho pode nos dar momentos de alegria e realizar sonhos de consumo.

Também é bacana saber aproveitar o agora. Mas esses sentimentos devem ser verdadeiros.

Será que a alegria  trazida por aquela jaqueta que foi comprada, mas nunca usada, valeu a pena?

O que não é legal no gastador? 

Costumam se endividar com facilidade. Alguns deles param de gastar quando o dinheiro acaba.

Outros não se importam de continuar comprando, levando-os à algumas atitudes perigosas, como só pagar o mínimo do cartão de crédito ou fazer um empréstimo para comprar algo que, de fato, não precisavam.

Sabe aquela celebridade que ganhava milhões e hoje está falida? Então, gastadores podem acabar com o próprio patrimônio, colocando em risco financeiro a família e funcionários.

O doador

A pessoa que se identifica com o perfil financeiro do doador costuma pensar nos interesses dos outros em detrimento dos seus.

Sempre disposto a ajudar quem precisa o doador sente-se realizado ao ver que seu dinheiro pode trazer a alegria dos outros.

Levar as pessoas que ama para uma viagem ajudar um amigo em apuros, fazer a alegria da criançada no Natal, enfim, tudo isso motiva o doador a gastar.

O empreendedor doador é aquele que pensa na satisfação dos colaboradores da empresa, que oferece bons benefícios e fica feliz ao saber que seu empreendimento trouxe resultados positivos para a vida das pessoas.

Além disso, ele leva em consideração questões como: a responsabilidade social do negócio.

O que é legal em um doador? 

O doador é uma pessoa que pensa no outro, o que demonstra empatia.

Ter a consciência de que nosso dinheiro pode ajudar os outros é algo muito bacana. Fazer o bem por outra pessoa é algo que pode trazer bem estar.

O que não é legal em um doador? 

É necessária cautela antes de sair por aí abrindo a carteira.

Doadores podem ser vítimas de pessoas exploradoras, que ao perceberem sua disposição em ajudar os outros abusam da boa vontade do doador.

Se você se identificou como um doador, tenha em mente que, da mesma maneira com que você possui suas reservas financeiras o outro também pode possuir. Dizer não a alguém também pode ajudá-la.

O planejador

Quem se enquadra nesse perfil financeiro pensa no futuro, como o poupador, mas tem diferentes estratégias para alcançar seu objetivo.

O planejador estabelece uma meta econômica e trabalha para alcançá-la.

Ele tem um planejamento financeiro, conhece suas fontes de rendas e gastos e, antes de fazer um investimento ele estuda bem os riscos e possibilidade de ganhos.

Ou seja: ele não sai de casa sem ver se vai chover e, se a previsão garantir que o tempo vai fechar, ele leva um guarda-chuva, mesmo que o sol esteja forte. Ele estuda o cenário e confia nos resultados para tomar suas decisões.

Quando resolve empreender o planejador sente-se à vontade, uma vez que todo bom empreendedor está cercado de estudos e planejamentos sobre sua empresa.

O que é legal em um planejador? 

Ele pensa no futuro, mas sabe que só isso não é suficiente. Então ele estuda as possibilidades de investimento.

Se abriu uma conta em um banco é porque aquela instituição oferece as melhores taxas. Dificilmente ele é pego de surpresa.

O que não é legal em um planejador? 

Por, normalmente, ter a situação sobre controle, o planejador pode ter dificuldades para ouvir e aceitar opiniões.

Em uma situação em que as decisões são compartilhadas, como em uma empresa, por exemplo, isso pode trazer problemas.

Além disso, planejadores devem evitar a teimosia, afinal, mesmo empresários com estudos, e uma visão clara sobre o mercado, podem ser surpreendidos. Saber a hora de alterar o rumo das coisas também é útil.

A importância de saber seu perfil financeiro

As classificações descritas neste artigo são baseadas nos testes de personalidade Myers-Briggs, que foi criado na década de 1960, nos Estados Unidos, por Katharine Cook Briggs e sua filha Isabel Briggs Myers, duas psicólogas renomadas, que usaram as teorias psicológicas de Jung para determinar os tipos de personalidades que existem.

Empresas financeiras, como bancos e agências de investimentos, adaptaram esses estudos para entender como cada tipo de personalidade age quando o assunto é dinheiro.

Conhecer essas informações é fundamental, pois ajuda o indivíduo a lidar de maneira mais eficiente com os produtos financeiros, como empréstimos, por exemplo.

Além disso, ter acesso a essas informações nos ajuda a evitar erros recorrentes. Se uma pessoa sabe que tem o perfil de um gastador, ela pode se policiar para entender o que a motiva a comprar.

O perfil financeiro muda com o tempo

É importante saber que esse tipo de comportamento muda com o passar dos anos. Um jovem pode ter uma atitude mais irresponsável com seus primeiros salários.

Dez anos depois, o mesmo rapaz pode se revelar um investidor de sucesso.

Da mesma maneira que uma empresária que viu seu primeiro negócio ir à falência pode ser mais cautelosa com o segundo.

Se hoje você se identifica com algum dos perfis descritos neste texto, saiba que a situação não é permanente, e que você pode mudá-la.

Autoconhecimento é importante!

Agora que você já conhece os diferentes perfis financeiros poderá se analisar, para assim ver se tem uma relação saudável com suas finanças.

É muito importante saber como nossa relação com o dinheiro depõem sobre nossa personalidade, ou momento de vida atual.

Diversas instituições financeiras oferecem testes de personalidade, para que o cliente descubra qual é o seu perfil financeiro. Encontramos estes dois testes para você, um é do Uol e o outro do Bradesco.

Agora, que tal aproveitar e descobrir dicas para aumentar seu poder de persuasão?