Perca o medo de tomar decisões, elas não vão embora sozinhas

Perca o medo de tomar decisões, elas não vão embora sozinhas

1247
1
SHARE
tomar decisões

No ambiente de negócios, a pior atitude a ser exposta – e influenciar no seu trabalho – é o medo.

Obviamente, ele impede a tomada de decisões ruins, mas também não permite que boas ideias sejam colocadas em prática. Ter coragem de seguir adiante é um dos grandes segredos para alavancar seu negócio.

Muitas pessoas têm boas ideias, mas poucas delas têm a coragem de colocá-las em prática. E isso acontece porque o mercado de negócios é sim um ambiente que aterroriza, inicialmente, quem quer andar com as próprias pernas.

Mas com um pouco de calma, força de vontade e planejamento é possível vingar nele.

Entenda: Ter coragem é completamente diferente de ser afobado, tomar decisões instantâneas e não escutar outras pessoas. É preciso ter equilíbrio para que a melhor decisão seja sempre escolhida e implementada.

Para que as decisões sejam tomadas sempre da melhor forma, é importante seguir algumas recomendações importantes. Por isso, iremos abordar alguns pontos a serem analisados na hora de fazer escolhas.

As melhores dicas para seguir na hora de tomar decisões:

1 – Análise de riscos

Como foi dito, é preciso ter coragem, mas não afobação. Ninguém quer tomar uma decisão que possa ser prejudicial ao próprio negócio.

Tomar decisões que tragam muito risco à sua empresa pode não só prejudicá-la financeiramente, mas também desmotivar funcionários e espantar clientes.

Por isso, a análise de riscos é fundamental nesse ponto. Entender quais são os principais pontos de falha da possível decisão, como eles irão afetar a sua empresa, como o mercado irá receber a mudança que será realizada e se isso pode trazer prejuízos financeiros em algum momento para a empresa.

Existem alguns métodos que auxiliam na identificação dos riscos, como, por exemplo, a análise SWOT. 

2 – Sistematização de tomada das decisões

Agir no impulso é uma das principais fontes de decisões mal tomadas. Normalmente, quando se decide algo por impulso, muitas variáveis deixam de ser analisadas. E aí pode estar o erro da decisão tomada.

Por isso, criar um mecanismo de tomada de decisão pode ser interessante. Você deve definir um período do dia no qual serão realmente oficializadas as decisões, documentos a serem emitidos ou delegar a outra pessoa a coordenação desses processos, para que haja maior controle das decisões. Isso pode ajudar a evitar más decisões.

Mas na maioria das vezes, o melhor a ser feito é um exercício pessoal, para estimular que as decisões sejam pensadas e tomadas om equilíbrio.

3 – Análise dos fatos

Claro que a opinião de terceiros pode ser útil. Mas não é possível basear suas decisões em uma simples opinião pessoal.

É necessário analisar os fatos e ver realmente qual é o cenário momentâneo com qual sua empresa terá que lidar.

Investir em análises estatísticas e o uso de indicadores e gráficos de desempenho auxilia em tomadas de decisões mais objetivas e acertadas. Esse mecanismo permite uma análise mais imparcial da realidade da empresa.

4 – Evitar múltiplas decisões

Mudar de direção várias vezes, seguidamente, pode ser um sinal de que você não está sendo eficiente na tomada de decisões.

Por isso, é bom evitar fazer várias alterações simultâneas, ou subsequentes, para que o foco não seja perdido.

Falar em foco nos remete às metas e objetivos. Eles devem estar bem claros em qualquer decisão feita. Definir qual é o resultado esperado com a mudança é essencial para que nada saia do rumo.

5 – Previsão de cenários

Todos tomam a decisão vislumbrando o melhor cenário. Mas é difícil que esse cenário torne-se realidade imediatamente. Por isso, a decisão tem que abranger todos os cenários possíveis identificados.

Entender qual o pior cenário possível para a decisão tomada ajuda a planejar futuras ações.

Caso o cenário seja muito desfavorável, ele torna a decisão um risco, ou seja,  é melhor reformular a ideia.

6 – Visar o longo prazo

Muitas vezes você irá se deparar com um leque de decisões possíveis de serem tomadas.

A grande maioria das pessoas sempre opta por decisões que privilegiem os resultados a curto prazo.

Porém, o curto prazo é mais previsível, logo é mais fácil de se predizer. O longo prazo é difícil de ser analisado e decisões que não o levem em conta podem ser prejudiciais no futuro. Fugir do imediatismo pode tornar as decisões mais concisas.

7 – Seja democrático

Duas pessoas pensam melhor do que apenas uma.

Claro que isso é um generalismo, e que as pessoas podem ter diferenças intelectuais, mas, quando tratamos de tomada de decisões, toda ideia é bem vinda e merece ser analisada. E quanto mais pessoas envolvidas, mais ideias.

Não tenha medo de escutar os outros.

Pode até ser interessante fazer um brainstorming para ajudar na geração de ideias. Mas lembre-se sempre de analisar os fatos, como dito acima, antes de efetivar a decisão.

8 – Filtre as informações

Na busca pela melhor tomada de decisões, é comum que sejam adquiridas várias informações. Mas nem todas elas terão influência direta na sua tomada de decisão.

É importante filtrar as informações, decidir qual é crucial para a sua decisão, e quais são secundárias.

Levar em conta tudo o que é analisado, todas as contas, todos os números, pode atrapalhar e te tomar muito tempo, sem auxiliar em nada. Por isso defina o seu alvo, faça a análise das informações, e coloque em ação.

9 – Autoconhecimento

Como é possível tomar uma decisão correta sem conhecer a si próprio?

Fazer uma autocrítica ajuda a entender quais são seus pontos fortes e fracos.

Dessa forma, você terá mais facilidade em perceber quais desses pontos estão influenciando nas decisões. Além disso, você pode se exercitar para que suas qualidades sobressaiam e ajudem-o a tomar a decisão certa.

Não existe nada errado em compreender suas qualidades!

10 – Não hesite

Analisar as opções a fim de tomar a melhor decisão é importante. Mas a partir do momento em que todas as informações já foram esgotadas, não adianta mais adiar as escolhas.

Portanto, não hesite em tomar a decisão que você acredita ser a correta.

11 – Decisão Estratégica

É fundamental compreender qual a natureza das decisões que devem tomadas por você, líder ou proprietário da empresa.

Nem toda decisão deve passar por você. Apenas as decisões estratégicas devem ser sua responsabilidade.

Mas o que são as decisões estratégicas?

São decisões que afetam a empresa como um todo, que mudam o foco geral da organização, alteram o nicho de mercado e reposicionam a empresa perante o mercado.

São essas decisões as fundamentais para a empresa.

Decisões técnicas cabem aos responsáveis pelo respectivo setor. É importante entender que nessas decisões você não deve interferir diretamente, porque isso pode desestruturar a empresa, descredibilizar os funcionários e trazer prejuízos comportamentais par ao ambiente de trabalho.

Contudo, as decisões estratégicas tomadas devem guiar todas as decisões técnicas tomadas.

Por isso, ao tomar uma decisão, busque passá-la de maneira clara a toda a empresa, lembrando sempre de esclarecer os objetivos e metas a serem atingidos.

12 – Modelo de ação

Como dito logo acima, a decisão tomada deve influenciar a atitude de toda a equipe de trabalho da empresa.

E para isso, ela deve se tornar um modelo de ação da empresa. Logo, a decisão tomada tem que se tornar um mantra bem difundido dentro da organização.

Se apenas o corpo de diretores (ou o diretor) sabe dos objetivos da empresa, eles não serão atingidos.

Todos devem cooperar para que aquela decisão seja bem executada. Porém, se a decisão não for clara, transparente e bem formulada, ela irá apenas confundir a todos.

13 – Diálogo e convivência

Como líder da empresa, nem sempre você estará presente no dia a dia, no processo de produção e trabalho da empresa. Mas a convivência com a empresa é importante na hora de tomar decisões.

Conversar com os funcionários, estar ciente do que acontece em todos os setores e analisar tudo é decisivo para uma boa decisão.

Se não é possível fazer isso, delegue a função para uma ou mais pessoas. Nomeie pessoas de confiança para ajudarem da tomada de decisão, mas sempre estimule o diálogo.

14 – Não tenha medo de inovar

Todas as dicas são de extrema importância para a tomada de uma boa decisão. Mas, no fim, a principal dica é a mesma: Não tenha medo. 

O medo só leva à estagnação. Faz com que você não enxergue novas oportunidades, um novo nicho de atuação ou uma nova situação de mercado.

Estar sempre pronto para mudar é um diferencial.

Só inova quem tenta. Não existe outra maneira de levar ao mercado um produto inovador, que abrirá um novo nicho, a não ser pela ação, pelo empreendedorismo.

E por mais que você busque tomar as melhores decisões possíveis, uma hora você se equivocará.

O equívoco faz parte do sucesso. Basta tomá-lo como aprendizado, e buscar acertar a partir disso. E saiba que, buscando sempre as melhores decisões, os erros serão menores.

Já está pronto para tomar decisões que levem seus negócios para outro patamar?

Então, exercite seu emocional, na busca pelas melhores decisões, entendendo um pouco mais sobre como manter a inteligência emocional no trabalho!

  • Os erros ensinam. Só não aprendemos quando não há mais tempo de errar na empresa.
    Abraços